18

O Indiana Jones está "amassado, mas ok"

Anterior
Governo não escondeu o desemprego, escondeu mais austeridade
Seguinte
A filosofia de Passos Coelho, segundo os Monty Python
Página Inicial   >  Blogues  >  Blogues Economia  >  Utilidade marginal  >  O Euromilhões é pior que a dívida grega

O Euromilhões é pior que a dívida grega

|

Os portugueses adoram o Euromilhões. São dos que mais apostam, em termos relativos, entre os países que partilham o jogo. Pode ter a ver com as diferenças de rendimento ou com o nível de escolaridade, como sugere um estudo sobre este tipo de jogos de Horácio Faustino, Maria João Kaizeler e Rafael Marques publicado pelo ISEG em 2009. Seja qual for a explicação, a verdade é que não parece uma grande alternativa de investimento.  

À primeira vista, até pode parecer bastante atrativo. Com apenas dois euros é possível ganhar muitos milhões e passar a integrar, num piscar de olhos, a lista dos mais ricos do país. Dito assim parece altamente tentador. Mas basta um bocadinho de Matemática para perceber que não é assim tão fantástico. Os apostadores estão a comprar gato por lebre pagando um valor exagerado pelo 'serviço' que adquirem. A situação já era desigual antes e agravou-se a partir de maio de 2011 quando passaram a ser 11 estrelas em vez de nove.

É tudo uma questão de cálculo combinatório. Existem 116,5 milhões de combinações possíveis de cinco números e duas estrelas num universo de 50 números e 11 estrelas. Assim, o apostador paga dois euros por aposta e tem uma probabilidade de 0,0000009% de acertar. (Antes eram 76,3 milhões de combinações, o que significa que esta 'pequena' alteração implicou que os apostadores passassem a pagar o mesmo por um serviço que encolheu cerca de um terço.)  

Significa que é necessário um jackpot do dobro do número de combinações possíveis - 233 milhões de euros, que nunca aconteceu - para que o valor esperado da aposta seja de dois euros. Quaisquer prémios inferiores significam que o apostador está a pagar dois euros por uma coisa que vale menos, bastante menos. Por exemplo, se o jackpot for de 116,5 milhões, o que também é bastante elevado, o valor esperado é de apenas um euro.  

Esta questão tem a ver com o facto de nem todo o dinheiro das apostas ir para os prémios (há impostos, por exemplo) e, além disso, haver mais do que um prémio o que implica repartir o bolo. Desta forma, um apostador que aposte em todos os números, perde dinheiro e muito. 

Alguém que aposte em todos os sorteios durante cinco anos (às terças e sextas-feiras) gasta 1040 euros e o mais provável é chegar ao fim de mãos a abanar. A probabilidade de acertar, pelo menos uma vez ao longo deste período, ronda apenas 0,00045%. Ou seja, praticamente zero. A verdade nua e crua é que alguém que jogue tem pouco mais hipóteses de acertar do que algúem que não apostou.

Quem achava que a dívida grega era má, porque impôs um corte de 75% aos credores, não sei como classificará este 'investimento'. Como já alguém disse, "o Euromilhões é um imposto para quem não sabe Matemática". E coitados dos portugueses que já pagam tantos impostos.


Opinião


Multimédia

Os assassínios, as execuções, as decapitações são as imagens mais chocantes de uma propaganda cada vez mais sofisticada. É a Jihad, que recruta guerrilheiros no ocidente para matar e morrer na Síria. O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Reportagem em Londres, no café onde viam jogos de futebol, na universidade onde estudavam e na mesquita onde rezavam. Autoridades e especialistas em terrorismo estão alerta sobre este pequeno mas perigoso grupo, onde corre sangue português - e de onde escorre sangue por Alá.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Hoje é dia de cozido serrano... light

O Talasnal é talvez a mais famosa das aldeias de Xisto da Lousã, cheia de carisma e de pormenores que fazem esquecer o tempo a passar. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta receita.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.


Comentários 18 Comentar
ordenar por:
mais votados
'O Euromilhões é pior que a dívida grega
Com os problemas do Expresso on-line, não pude comentar ontem quando esta crónica era mais fresquinha. Enganou-se ao calcular os 0.0009%, João? Terá contado 1040 jogos em vez de contar 520?

Fora a falta de cálculos levando em conta o retorno de outros prémios que não o primeiro, não encontrei mais nada a que pudesse objectar. É um texto sólido. O que achei realmente delicioso foi ele ter aparecido no mesmo dia em que Passos Coelho foi noticia a falar das "vantagens" do desemprego num contexto em que prega aos Portugueses que adiram mais a uma cultura de risco. E nisso fez-me lembrar todas aquelas histórias, sobre empresários que perdem fortunas nos casinos, de uma forma que para mim acho aberrante. O cliché é quase sempre um empresário do Norte, fortuna feita com a sua fábricazinha a explorar salários mínimos e perdas extravagantes, ou por bravata, ou por vício extremo a essa cultura de risco. O modelo de crescimento anterior baseado em dívida também resultou de uma aposta, aposta que os juros iriam se manter controlados. As probabilidades eram de longe muito melhores do que ganhar a lotaria. Curioso como o mesmo povo que alimenta o Euromilhões, é também aquele que chega a considerar criminosa as políticas anteriores. "Perde" todas as semanas, mas isso já não é crime. E nisso tudo, houve esse apelo de Passos.

Coincidência?

Porque, o que isto me fez lembrar é que cultura de risco e apostas extravagantes são faces da mesma moeda.
Re: 'O Euromilhões é pior que a dívida grega
Re: 'O Euromilhões é pior que a dívida grega
Re: 'O Euromilhões é pior que a dívida grega
Re: 'O Euromilhões é pior que a dívida grega
Re: 'O Euromilhões é pior que a dívida grega
Re: 'O Euromilhões é pior que a dívida grega
Re: 'O Euromilhões é pior que a dívida grega
BOA NOITE
BOA NOITE DEJEJO AO SENHOR
Sonhar
O Euromilhões é o sonho de todos os Portugueses. Deixem-nos ao menos sonhar um bocadinho. Não nos tirem isso por favor porque é a única coisa que ainda nos resta: sonhar.
Re: Sonhar
Errado !
Esta ideia de que as pessoas que jogam no totoloto sao burras nao so' esta' completamente errada mas e' de uma arrogancia tal que tem que ser combatida.

Os seres humanos nao maximizam riqueza. Maximizam felicidade. E a relacao entre riqueza e felicidade nao e' linear. Uma pessoa pode nao perder felicidade se "perder" 104 euros por ano mas ficaria bastante mais feliz se ganhasse no totoloto. Nesta situacao e' perfeitamente "racional" que jogue

O mesmo acontece quando as pessoas fazem seguro de casa. Estatisticamente tb perdem dinheiro mas a maior parte das pessoas segura porque se perde a casa fica muito infeliz.

Finalmente, quando ninguem ganha e ha' "rollover" ate' estatisticamente e' melhor jogar.

Antes de se chamar as pessoas burras, pense-se um bocadinho.
Os recos
Esta apreciação científica é do melhor que há...!
Só os imaginativos e reputados cientistas portugueses é que poderiam chegar lá. Chegar à India. É o que é!
Se não estivesse habituado a semelhantes asneirolas dessa camada de esterco que coabita connosco na porcalhota nação, estaria aqui a aplaudi-los. Como fazem os seus semelhantes. OS RECOS !
Re: O Euromilhões é pior que a dívida grega
A ideia do texto - a de quem joga regularmente perde muito dinheiro - está correcta, apesar da matemática estar um pouco martelada.
A matemática é muito simples. Tal como a própria Santa Casa anuncia no seu site, apenas metade do valor das receitas vai para prémio. Assim, para quem joga os dois sorteios todos as semanas tem um valor esperado de €1 por cada €2 que aposte. Significa isto que os jogadores assíduos perdem metade daquilo que apostam.

Os conselhos que eu deixo a quem joga:
- Aposte o mínimo possível. Apostar €2 ou €20 é quase a mesma coisa. É extremamente difícil ganhar o 1º prémio seja qual for a quantia apostada, mas €20 deixa o bolso muito mais leve...
- No seguimento do ponto anterior, não caia no erro de apostar múltiplas. Basicamente as múltiplas é uma maneira de fazer apostas simples de vários quadrados num quadrado apenas. O valor esperado é o mesmo, por cada €2 apostados no longo prazo ira perder €1. Não existe magia. A matemática está lá e o resultado será invariavelmente o mesmo.

Resta-me dizer que eu jogo. Sempre a quantia mínima.
Tal como o utilizador JimmyTheSailor, eu não jogo exclusivamente pelo dinheiro. Existem mais factores tal como a excitação de imaginar que posso ganhar, saber que metade das receitas vai para impostos e solidariedade e a outra metade contribui para fazer alguém muito sortudo feliz :)

Para lotarias, totoloto, totobola, concursos ou casinos a conversa é a mesma. Ninguém dá nada a ninguém, muito menos dinheiro.
Dependendo da sorte
Naturalmente que em países mais ricos as pessoas não perdem tempo a jogar porque já têm um rendimento que lhes permite algum desafogo económico. Mas neste país, o trabalho não é valorizado, nem o é a qualidade do mesmo. A escada para o sucesso só existe para muito poucos. É por isso que dependemos de um sonho, por mais pequena que seja a hipótese de ganhar, é mesmo assim a única hipótese que se vislumbra de ganhar dinheiro a sério.
Matemática sem sentido.
Claramente esta noticia só pode ser escrita por quem não gosta, não quer ou não precisa do Euromilhões.

Pois saiba Sr. Jornalista no meio de tanta matemática (incorrecta) só há um resultado no final:

O Euromilhões só não sai a quem não joga...
A explicação é...
...Porque acreditam em milagres, com Fátima no top e também em bruxedos, com bruxas e bruxas mui sábios. A da Arrentela à cabeça. Sem falar no temor reverencial, que revelam, dos ricos e poderosos que os exploram há decénios.
Quanto será o dobro de nada?
A verdade nua e crua é que alguém que jogue tem pouco mais hipóteses de acertar do que algúem que não apostou.

Ler mais: expresso.sapo.pt/o-euromilhoes-e-pior-que-a-divida-grega=f725315#ixzz1wOf1APv6

Quem não joga não tem hipótese de ganhar. Logo quem joga, mesmo com uma aposta simples, terá uma hipotese de ganhar. Não tem o dobro das hipóteses, pois zero a multiplicar por dois é zero, logo tem mais do dobro das hipóteses, e seguindo por aí adiante, tem mais do triplo, mais de cem vezes, mais de mil vezes, ....., de hipóteses de ganhar que o que não joga.
As contas aqui apresentadas são contas de beneficiários do RSI. Um RSI de 300 €/mês é melhor que um ordenado de 700€, pois não tem de pagar transportes, não paga alimentação fora, e nem de roupa precisa, pois anda o dia todo de fato-de-treino, e ainda, não faz a ponta de um "corno", como se diz na minha terra. Para quê "chatear-se" a trabalhar? Vive melhor assim.
Comentários 18 Comentar

Últimas

Ver mais
Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub