Siga-nos

Perfil

Expresso

Martim Silva Diretor-Executivo

350 milhões de entradas no Google: será o salvamento dos Wild Boars ou a transferência de Ronaldo?

11 de Julho de 2018
Familiares das crianças retidas na gruta acenam à passagem de uma das ambulâncias

Familiares das crianças retidas na gruta acenam à passagem de uma das ambulâncias

Lauren DeCicca/Getty Images

ISABELLA BONOTTO

Uau, que dia. Uma das mais mediáticas, dramáticas e bem sucedidas operações de resgate de sempre terminou com final feliz numa gruta na Tailândia.

Por cá, o nosso maior jogador de sempre transferiu-se de clube depois de ao longo de nove anos se ter tornado no maior símbolo do maior clube do planeta.

E França, no dia em que passavam dois anos da final perdida do Europeu, conseguiu qualificar-se para a final do Mundial depois de bater a seleção vizinha da Bélgica.

TAILÂNDIA
Em poucos dias, o nome “Wild Boar” da equipa de futebol de jovens tailandeses correu mundo. A incrível história dos 12 meninos encerrados numa gruta com o seu treinador durante 18 dias terminou ontem. E terminou bem (tirando, como ainda ontem lembrava na newsletter da tarde do Expresso, a morte do mergulhador tailandês ocorrida ainda antes de se iniciar a retirada dos jovens).

O caso foi acompanhado com enorme atenção em Portugal. E no mundo todo. Sim, no mundo todo. Ainda ontem, no Google, o mais usado motor de busca do planeta, uma pesquisa com as palavras “Thai cave rescue” tinha mais de 359… milhões de resultados!!!

Aqui pode ver algumas das imagens, e vídeo, divulgadas por um dos mergulhadores, de nacionalidade finlandesa, que participou nas operações de resgate. Aliás, bom exemplo da atenção e destaque que em todo o mundo foi dado a este caso é o facto de a própria equipa de salvamento se ter tornado numa espécie de Nações Unidas dos mergulhadores, com a ajuda a vir de todo o lado (até o multimilionário Elon Musk levou para o local a cápsula que construi de propósito para o salvamento)

No Expresso, escrevemos sobre o resgate que não se sabe se foi ciência se foi milagre. E aqui escrevemos sobre o delicado trabalho que os psicólogos e responsáveis médicos têm agora pela frente para garantir que os jovens conseguem superar os terríveis acontecimentos que viveram com o cativeiro de 18 dias numa gruta.

Contamos também com um pouco mais de detalhe "quem são os 11 Wild Boars, o amigo e o treinador que foram resgatados de uma gruta na Tailândia".

Este trabalho do Observador explica, por exemplo, como 50 centímetros de um cabo subaquático foram decisivos para que o mergulhador britânico John Volanthen encontrasse o grupo de 13 na semana passada.

Este texto do Guardian, outro dos sites que mais consultei nos últimos dias, também vale muito a pena. Explica como, por exemplo, o último dia da operação era o mais delicado (ao contrário do que pudesse parecer, pela experiência acumulada), dado tratar-se de retirar as crianças fisicamente mais frágeis.

Perante tudo o que se passou, este pormenor não tem qualquer importância, mas aqui fica: em Hollywood parece já se estudar a possibilidade de levar esta história ao cinema, à imagem do que se fez com a saga dos mineiros chilenos.


CRISTIANO RONALDO
A tarde de verão em que, algures na Grécia, Ronaldo e Mendes brindam com champanhe com o herdeiro dos Agnelli que preside à Juventus (e lidera a FIAT) ocorreu nove anos depois da tarde em que Cristiano Ronaldo dava entrada no Santiago Bernabéu para ser recebido em euforia por 75 mil merengues. Nesse dia, no estádio, estavam lá a recebê-lo Alfredo Di Stefano, então o melhor marcador de sempre do Real, e Eusébio, então considerado o melhor jogador português de todos os tempos.

Nove anos depois, Ronaldo ruma a Turim, depois de se ter sagrado e consagrado como o maior de sempre em Madrid. E como o maior de sempre em Portugal.

438 jogos e 451 golos depois, Ronaldo troca a camisola branca pela bianchanerra da Juventus.


A despedida de Ronaldo acabou por ser feita por carta. Carta do craque, AQUI, a agradecer estes nove anos em Madrid. Carta e vídeo do Real Madrid, a agradecer ao melhor marcador de golos da sua história.

E aqui pode ver os incríveis números desta passagem de nove anos por Madrid. A Marca, jornal desportivo de Madrid, dedica-lhe a capa na edição de hoje.

De entre os muitos textos que li sobre o tema, gostava ainda de deixar aqui o do El Pais, em que, pelo olhar do adepto madrilista, se titula "No veréis nada parecido a Cristiano Ronaldo".

Finalmente, não sei se foi coincidência ou não, mas a verdade é que na última noite fui consultar o site oficial da Juventus. E quando ia à loja de clube em busca da nova camisola 7, o resultado era sempre o mesmo... ia abaixo por sobrecarga.

MUNDIAL DE FUTEBOL
Ontem, a França carimbou a passagem à sua terceira final de Mundial em 20 anos. Bateu a Bélgica (para mim, a equipa mais maravilhosa da competição) e vai disputar a final, domingo, em Moscovo, com o vencedor do Croácia-Inglaterra, que se disputa ao final da tarde de hoje.

Na partida de ontem de São Petersburgo, o adolescente Mbappé voltou a brilhar a grande altura e ofusca já Griezmann como figura maior dos Bleus.

Ainda sobre o Mundial, dois trabalhos que misturam bola com... psicologia. Este, que pergunta (e dá resposta) porque é que os jogadores colocam a mão na cabeça de cada vez que falham. E este, do Guardian, em que se explica com detalhe o trabalho de Pippa Grange, psicóloga da seleção nacional inglesa, aliás a equipa mais jovem de todo o torneio.


OUTRAS NOTÍCIAS
Cá dentro,

António Costa esteve na última noite em mais uma das sessões dos governantes pelo país, a preparar o debate do Estado da Nação, esta sexta-feira no Parlamento. E deixou mais uma deixa na novela que já vai longa sobre a estabilidade da solução governativa e união das forças da geringonça. Ou, posto de outra forma, deu uma bicada nos parceiros. "O PS não é a carochinha à procura do João Ratão", afirmou.

No Parlamento, Mário Centeno foi ouvido na comissão parlamentar e ficaram no ouvido as críticas duras que lhe foram feitas pela deputada bloquista Mariana Mortágua, que o acusa de se ter convertido à narrativa do diretório europeu desde que se tornou presidente do Eurogrupo. Na resposta, Centeno não se desviou um milímetro do que tem dito.

Na Saúde, a situação continua crítica. Ou, pelo menos, o ministro da Saúde não consegue passar a ideia de que a situação não está crítica. Depois de um relatório muito duro do Tribunal de Contas, o responsável pelos hospitais de Lisboa Norte (Santa Maia e Pulido Valente) veio queixar-se da falta de autonomia de que dispõe, dizendo que essa é a grande causa da situação atual. Recorde-se que a dívida aumentou qualquer coisa como 7 milhões de euros por dia no ano passado.

Por cá tem andado o ministro dos Negócios Estrangeiros angolano. E, pela segunda vez em dois dias, Marcelo fez questão de deixar palavras públicas de normalização na relação entre Portugal e Angola.

A Fosun e a Caixa aumentaram o capital da Fidelidade.

Parece que os deputados se queixaram de andar a sofrer ciberbullying, com as caixas de correio inundadas de mensagens sobre a prospeção de petróleo ao largo da costa oeste do Algarve. Agora estudam formas de bloquear os ataques.

A lei que permite o uso medicinal de cannabis foi promulgada pelo Presidente Marcelo.

No tribunal onde está a julgar-se o caso de violência policial no Bairro Cova da Moura ontem houve sessão. E o Expresso esteve lá: “Levei um tiro e pensei: ‘já morri’”, conta testemunha ouvida.

Na sessão de Câmara, Fernando Medina admitiu ontem estar muito preocupado com o que se passa no Aeroporto de Lisboa, que disse estar completamente esgotado. E admitiu que a situação não tem um fim à vista para breve e ainda vai ficar pior.

Entretanto, a ANA prepara-se para aumentar as taxas cobradas nos aeropostos de Lisboa e do Porto.

O IMT duplicou nos últimos cinco anos. Graças à pressão e crescimento do mercado imobiliário, as verbas arrecadas pelas autarquias com o Imposto Municipal sobre Transmissões subiu quase cem por cento.

A escassez dos nossos recursos piscatórios, a pressão que exercemos sobre determinadas espécies com os nosso hábitos alimentares. Eis alguns dos tópicos da entrevista que fomos fazer a esta responsável da organização WWF. Um alerta importante.

Ontem, o Sporting apresentou um reforço, que era um dos jogadores que já estava no plantel na última época. Bruno Fernandes foi o primeiro, e até agora único, dos nove que rescindiram com os leões e voltar a casa. E numa declaração que deve ter caído no goto dos sportinguistas, garantiu que voltou a ganhar exatamente o mesmo que antes.

Ao mesmo tempo que se jogava a meia final do Mundial, o Benfica abria a época, com o primeiro triunfo da pré-temporada. O destaque vai para um dos homens mais antigos na casa, Jardel, que marcou dois dos três golos.


Lá fora,
No Reino Unido, o clima político está on fire, depois das demissões de dois pesos pesados do governo de Theresa May deixaram a primeira-ministra numa posição muito frágil. Tudo por causa das negociações do Brexit com a União Europeia. No Expresso Diário, pela Ana França, que conhece bem a política de um país onde já viveu, lê-se que eleições gerais podem estar a caminho.

Hoje começa mais uma Cimeira da Nato. Encontro marcado pelas frias relações entre os dois lados do Atlântico nesta altura. Trump volta à Europa, mas os sorrisos de parte a parte são cada vez menores.
O encontro começa ao início de tarde de todas as atenções vão estar voltadas para as palvras que o líder norte-americano disser. E para aquilo que escrever no Twitter...

Pelo menos 12 pessoas morreram num ataque suicida no Paquistão.

Na Turquia, já tomou posse o novo governo liderado por Erdogan. Um executivo que passou de 26 para os 16 ministros e do qual desapareceu o ministro para as relações com a UE.

O realizador Luc Besson foi acusado por várias mulheres de comportamento impróprio e agressão sexual. As denúncias foram agora reveladas num site francês e seguem-se a uma acusação de violação conhecida em maio.

No Zimbabué, o presidente, revelando ter os pés bem assentes na terra, anunciou a criação de uma agência espacial nacional.

FRASES
"O PS não é a carochinha à procura do João Ratão", António Costa, sobre a novela dos partidos à volta da discussão do Orçamento e da estabilidade da geringonça

“Vou ser bem claro: o meu empresário pediu uma melhoria de contrato, mas rejeitei-a. Voltei nas mesmas condições”, Bruno Fernandes, jogador do Sporting

"Estamos muito preocupados com a situação do Aeroporto de Lisboa. Como era antecipável, o aeroporto encontra-se numa situação de esgotamento", Fernando Medina, presidente da Câmara


O QUE ANDO A LER
Nos últimos dias, duas leituras que nada têm que as aproxime, a não ser o fascínio da leitura e da descoberta de histórias interessantes.

1. Um ensaio, de Maria Filomena Mónica, sobre “Os Ricos” (Esfera dos Livros) dos últimos dois séculos em Portugal. Aqui se fala do Duque de Palmela, dos Condes de Vila Real, mas também de Alfredo da Silva, Jorge de Mello, António Champalimaud, Américo Amorim e Belmiro de Azevedo.

2. Uma reportagem, extraordinária, de Ken Bensinger, de nome “Cartão Vermelho”, da Editorial Presença, que vai ao fundo do enorme escândalo de corrupção à volta da FIFA na cúpula do futebol mundial. Uma reportagem que tem tanto de bom, pelos podres que nos revela dos senhores que frequentam os salões dourados do futebol internacional, como de mau, pelo que nos agonia, sobretudo numa altura que devia ser apenas de celebração do futebol mundial (sim, aqui também se fala do escândalo que foi a atribuição dos mundiais de 2018 e 2022 à Rússia e Qatar, respetivamente).

Por hoje é tudo, tenha um excelente dia de trabalho ou um muito relaxante dia de férias, se for esse o caso.

Boas leituras

Partilhe esta edição