Siga-nos

Perfil

Expresso

Cristina Peres Jornalista de Internacional

O Ronaldo do Ecofin foi eleito presidente

5 de Dezembro de 2017

Mário Centeno deu de bandeja o nobre tema de abertura do Expresso Curto de hoje. Não é para menos: “Habemus Centeno!”. O ministro das Finanças de Portugal é o vencedor (não de um festival Eurovisão, não de uma Taça europeia de futebol, não de uma desgarrada de fados nem de mais uma estrela Michelin!) da corrida à presidência dos 19 da zona euro, um dos grupos financeiros mais poderosos do mundo. Veja aqui a peça da SIC intitulada “De patinho feio a Ronaldo do Eurogrupo”.

A eleição de Mário Centeno entre quatro candidatos ao cargo prova que o ex-ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schäuble, tinha razão quando lhe chamou “Ronaldo do Ecofin”. Mário Centeno foi consagrado ontem em Bruxelas, um ministro que é muitas vezes visto a sorrir e até a rir, qualidades notáveis no contexto dos que dirigem aquela pasta. Esta eleição à segunda volta vai permitir vingar alguma da má disposição provocada nos países do Sul pelo seu antecessor, o holandês Jeroen Dijsselbloem, quando os referiu como gente que “gasta todo o dinheiro em aguardente e mulheres” e depois vai pedir mais emprestado.

O ainda presidente do Eurogrupo afirmou sê-lo, ontem à tarde aos jornalistas à entrada na reunião do Eurogrupo, em Bruxelas, “até 12 de janeiro e Mário Centeno sê-lo-á a 13", disse Jeroen Dijssembloem. E corrigiu-o de imediato: “Eu disse Mário Centeno? Obviamente, não sei quem vai ganhar”, e pediu que os jornalistas não o citassem sobre aquele tema.

Nicolau Santos explica aqui a importância desta vitória de Centeno para um país que esteve sob resgate financeiro entre 2011 e 2015 sob o título “Centeno, de Mr. Hyde a Dr. Jekill do Eurogrupo”. E lembra que quando o Expresso publicou em manchete no dia 1 de abril deste ano que Centeno estava na corrida para a presidência do Eurogrupo houve quem tomasse a notícia pela mentira comemorativa do dia das mentiras de 2017. Leia aqui 13 reações.

“Mal posso esperar por 28 de janeiro de 2018”, declarou Centeno em Bruxelas, sublinhando que será “apenas o presidente”, a “função principal” pertence a todos os Estados-membros. E disse: “Gerar consensos é a única maneira de avançar, temos que aprender com as lições dos outros”. Leia aqui o que o espera. O Adriano Nobre explica como o ministro das Finanças passou de ministro mais contestado do Governo português a presidente do Eurogrupo em pouco mais de um ano. Aqui fica a notícia dada pelo Siegel Online onde se fala do apoio recebido de Angela Merkel e do epíteto dado por Wolfgang Schäuble a Mário Centeno.

OUTRAS NOTÍCIAS
A Coreia do Sul e os Estados Unidos estão a realizar o maior exercício militar conjunto de que há memória. Veja aqui imagens de alguns dos 230 aviões envolvidos, que farão simulações bem realistas.

A justiça espanhola vai manter independentistas em prisão preventiva. Não há perigo de fuga, mas mantém-se o risco de continuação do conflito, sustenta o Supremo. Oriol Junqueras, antigo vice-presidente do governo autonómico da Catalunha conta-se entre os detidos. A Bélgica vai decidir sobre a extradição de Puigdemont a 14 de dezembro.

No final de mais uma extenuante jornada de negociações sobre os termos do Brexit, a primeira-ministra britânica e o presidente da Comissão Europeia foram forçados a admitir não terem conseguido chegar a acordo nalguns pontos: direitos dos cidadãos, questões financeiras e o cada vez mais espinhoso tema da fronteira com a Irlanda. Theresa May disse que as conversações retomariam no final desta semana.

Espera-se que os ministros das Finanças europeus finalizem hoje a lista negra de paraísos fiscais que inclui 25 países. Entre os listados são grandes os esforços para prometer as reformas que permitam salvá-los deste contratempo. Pelo menos o Panamá, Samoa, Guam e as Ilhas Marshall devem conseguir livrar-se, escreve o Financial Times.

Para espanto dos defensores da liberdade de circulação e da anti-discriminação, o Supremo Tribunal aprovou a aplicação da proibição de viajar para os Estados Unidos apesar da promessa de recurso. A proibição implica os EUA recusarem categoricamente vistos de entrada a pessoas que viajem de países de maioria muçulmana como o CHade, Irão, Somália, Síria e Iémen, mais a Coreia do Norte e Venezuela.

É hoje que a Rússia vai saber se o Comité Olímpico Internacional (COI) vai ou não banir todos ou a maioria dos seus atletas das Olimpíadas de Inverno, já em fevereiro. Em causa estão as alegações de doping dos atletas com patrocinado estatal. Até agora, nem o documentário que há três anos expôs o programa de doping estatal russo nem os relatórios da Agência Anti-Doping Mundial que descreviam o nível de batota conseguiram convencer o COI a agir…

Menor sorte poderá ter o Presidente sul-africano Jacob Zuma, que desde ontem tem a Provedora pública à perna com uma investigação sobre o desvio de 300 milhões de rands (cerca de €18 milhões) para t-shirts e outros items do funeral de Nelson Mandela, O dinheiro era originalmente destinado a água e escolas de lama (coisa que por cá não se imagina). A unidade especial de investigação está a apurar se as despesas foram ilegais, irregulares, intencionais ou negligentes, como escreve o Mail & Guardian.

A provar que nem tudo é tolerado: foi ontem morto o ex-Presidente do Iémen, deposto em 2012 após 33 anos no poder, durante a onda que muitos identificaram com a “primavera árabe”, e que agora se mostrava disponível para regressar ao poder comprometendo-se com a Arábia Saudita. A morte de Ali Abdulah Saleh foi reivindicada por rebeldes houtis e significa uma reviravolta na guerra civil. O Conselho de Segurança da ONU será hoje informado sobre a situação no Iémen.

Manchetes: “Quem partilhar habitação por valores 20% abaixo do preço de mercado fica isento de tributação sobre rendas em sede de IRS”, escreve hoje o JN na manchete” (veja aqui o vídeo). “PSD ameaça chumbar a entrada de Portugal na defesa comum da UE”, Passos Coelho impõe condições para aceitar integração que a esquerda reprova. Governo enviou documentação “reservada” à AR que só hoje será conhecida, escreve o Público. “CTT dão prejuízo a investidores mesmo com dividendos”, diz o Negócios.

São 17 os polícias que vão responder em tribunal por racismo e tortura exercida sobre jovens negros do bairro da Cova da Moura depois de o Tribunal de Instrução Criminal de Sintra ter confirmado a acusação. Apenas uma subcomissária foi ilibada.

Cristiano Ronaldo vale muito, vale mais de 100 milhões de €€€€€, atesta o Instituto Português de Administração e Marketing. O estudo que analisa a visibilidade, perfil e valor comercial da marca CR7 tem como objetivo compreender o impacto do negócio do futebol de alta competição nos mercados e, concretamente, medir o retorno comercial da marca “Cristiano Ronaldo”.

A redação do Expresso escolheu ontem em plenário as figuras e os acontecimentos nacionais e internacionais de 2017. Trata-se de uma das mais antigas tradições democráticas na comunicação social portuguesa, iniciada em 1981. Quatro categorias: Acontecimento e Figura do ano nacional e internacional. Vá espreitando o site do Expresso e veja como vai poder votar online.

FRASES
“Esta eleição não muda nada em Portugal”, Mário Centeno, ministro das Finanças de Portugal e agora também presidente do Eurogrupo citado pelo jornal i

“Hoje não discutimos défices excessivos. Hoje podemos congratular-nos ao vermos [Centeno] ser eleito presidente do Eurogrupo”, António Costa, primeiro-ministro citado pelo Negócios

“O Orçamento para 2019 e a execução para 2018 têm de corresponder à exigência de alguém que dá o exemplo no Eurogrupo”, Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República citado pelo Público

“[Designação de Mário Centeno] é o reconhecimento das reformas difíceis e bem sucedidas [feitas em Portugal]”, Peter Altmaier, ministro das Finanças da Alemanha citado pelo Negócios

O QUE ANDO A LER… E A VER
Um mimo: humor bem feito passa pela capacidade de sublinhar os traços da “normalidade”e é irresistível é quando consegue expôr as manias do momento. Quando procurar um produto nas prateleiras de um supermercado passou a exigir ler tantas composições e indicações e observar tantas instruções que se leva mais tempo a comprar uma sopa instantânea do que a ver a retrospetiva de um… Picasso, esse momento exige “Porta dos Fundos”.

Monty Python sempre! Leia a conversa que o Luís M. Faria fez com Michael Palin quando ele passou de raspão por Lisboa. Vale sempre a pena ouvir gente livre a falar.

Regressei ao livro que mais contribuiu para alterar a minha perspetiva sobre reportagens de fundo: Gomorra. É um dos raríssimos exemplos de autoria que se adapta a vários média com a dose perfeita de plasticidade, o que nem sempre acontece apenas pelo facto de o autor do livro ser o autor do guião do filme (2008, veja aqui o trailer) e autor dos guiões das séries televisivas. Roberto Saviano é mesmo bom nisto e tem um património de trabalho invejável, material que lhe permite desenvolver personagens-pessoas. Apesar do “batalhão” de guionistas e realizadores, a história conta com a escrita deste autor que vive “sequestrado” pelo que escreveu a partir das suas investigações. Tem a cabeça a prémio por ter mostrado as camadas mais feias de Itália, aquilo que subjaz e avança em paralelo a todas as maravilhas que aquele povo tem criado. Tráfico, códigos implacáveis, morte. A nossa sorte grande é que a segunda série de Gomorra, cujo último episódio passou ontem na RTP2, coincide com a estreia da terceira série em Itália (veja aqui um vídeo promocional). Dá esperança de que venhamos a ter um corpo de trabalho em torno da camorra napolitana para a História. Os atores são maravilhosos-maravilhosos-maravilhosos.

Depois disto, sugiro que vá espreitando as notícias frescas em www.expresso.pt e não perca o Diário que vamos passar parte do dia a preparar para lhe “entregar” às 18h. Boa terça-feira.

Partilhe esta edição