Siga-nos

Perfil

Expresso

Martim Silva Diretor-Executivo

Estúpido é ainda termos de assinalar o dia pela eliminação da violência contra as mulheres

24 de Novembro de 2017

Bom dia,
Hoje é Black Friday, amanhã, 25 de Novembro é o Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres e este é o seu Expresso Curto


Amanhã assinala-se um dia cuja maior tristeza e angústia é mesmo o facto de ainda ter que ser assinalado. E tem mesmo!
Veja estes gráficos, números e dados sobre a violência que ainda é cometida sobre as mulheres em todo o planeta. O trabalho é das Nações Unidas. AQUI

Deixo-lhe alguns dados para reflectir: uma em cada três mulheres já foi submetida a violência física ou sexual. Uma em cada duas mulheres mortas são-no pelos maridos ou familiares. 71 por cento das vítimas de tráfico humano são mulheres e raparigas.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, veio alertar para o assunto, dizendo que "a violência contra as mulheres so acabará quando a total emancipação das mulheres for uma realidade". Tão verdade.

Um pouco por todo o lado, há trabalhos jornalísticos a assinalar a data. O Expresso, na sua edição semanal que sai amanhã, também tem muito para ler sobre o tema.
AQUI, o El Pais conta o caso de cinco mulheres que quebram o silêncio e contam os seus (terríveis) casos se sobrevivência à violência sexual.
Cá dentro, o PSD acusa o Governo de estar a deixar de lado o combate à violência doméstica.


ORÇAMENTO DO ESTADO
Na discussão do Orçamento do Estado, no Parlamento, depois de duas maratonas a discutir e votar propostas (uma a uma, alínea a alínea), há algumas novidades que merecem ser relatadas. Até porque mexem com os nossos bolsos e com as contas do país.

Os subsídios de Natal e Férias dos trabalhadores deixam de poder ser pagos em duodécimos. Resultado? Para o ano volta a receber-se os subsídios de uma vez, por inteiro, mas ao longo do ano também vai receber menos de salário.
O chamado polémico imposto da batata frita parece que não vai ver a luz do dia.
A esquerda aprovou o aumento da derrama de IRC sobre as empresas com maiores lucros.
Os estudantes até aos 18 anos vão ter um desconto no passe social.
O congelamento das propinas nas universidades e o maior controlo parlamentar das cativações feitas pelo Governo são outras novidades face ao texto inicial apresentado pelo Executivo.
O debate prossegue hoje.


CHUVA DE MORTE. Quero ainda destacar o grande trabalho multimédia que a partir desta manhã está disponível para todos os leitores no site do Expresso, a propósito dos 50 anos das cheias de Lisboa, uma das maiores tragédias de sempre no país, e uma tragédia que o anterior regime tentou abafar.

OUTRAS NOTÍCIAS
Cá dentro,

Como lhe disse logo a abrir esta newsletter, hoje é Black Friday e é bem possível que de tanto ser bombardeado com anúncios a promoções tenha a tentação de ir gastar uns euros. Antes de o fazer leia os seis conselhos que AQUI deixamos.


A polémica nacional da semana é seguramente a ida não ida do Infarmed para o Porto. O Governo anunciou a transferência mal se soube que a cidade nortenha perdera a candidatura à Agência Europeia do Medicamento, mas daí em diante só têm surgido pedras no caminho (é o que dá fazer anúncios pomposos sem cuidar de os preparar devidamente antes).

O próprio António Costa afirma agora que a comunicação não correu bem. Mas garante que a mudança já fazia parte dos planos com a candidatura falhada à agência europeia.
Uma das dúvidas em cima da mesa é perceber se é ou não legal forçar os trabalhadores a esta mudança. Trabalhadores que, já se sabe, estão esmagadoramente contra. E o Executivo já veio entretanto garantir que os direitos de quem trabalha no Infarmed serão respeitados e garantidos.

Morreu o ator João Ricardo. A sua vida e percurso podem ser recordadas AQUI, neste trabalho da SIC, estação pela qual deu a cara na última década.

Com a abertura das negociações na Concertação em volta do salário mínimo, os patrões revelam quais as suas pretensões e exigências.


As possibilidades de Mário Centeno ser bem sucedido na conquista da liderança do Eurogrupo são ameaçadas pelos Liberais europeus, afirma o Público.


A família de um jovem desaparecido há quatro anos depois de ter sido convidado a sair do Urban Beach pelos seguranças ameaça levar o caso a tribunal.

O DN escreve sobre Viseu, a cidade que está a aprender a viver sem água.

Há uma semana, no Expresso, contámos como está a ser difícil para Inês Medeiros pegar na Câmara de Almada. Em parte pela forma como os comunistas fizeram (ou melhor, não fizeram) a transição. Agora, a CDU vem negar oficialmente ter dificultado a transição. AQUI poder ler o texto original do Expresso com a reportagem em Almada.

Ontem foi noite de Liga Europa, no futebol, com boas notícias para o Braga, que venceu e se apurou, e menos boas para o Guimarães, que perdeu e tem a vida complicada. AQUI pode ver os 72 golos da jornada europeia.

Complicada tem estado a situação do futebol português esta semana, com os três grandes a insistirem na luta de lama e os árbitros a ameaçarem com uma greve e depois a recuarem. Sobre isto, o antigo árbitro internacional Duarte Gomes escreve na Tribuna em tom crítico.

Lá fora,
Se na Alemanha a vida política de Angela Merkel não está fácil, com o falhanço das negociações para uma solução política que viabilize mais um executivo da chanceler alemã, agora as coisas também se complicam mais para Martin Schulz, o líder do SPD. Schulz, recorde-se, rejeitou de forma veemente uma aliança (a Grande Coligação) com a CDU de Merkel, na sequência das eleições de setembro, mas perante o impasse agora vê crescer no seu partido o número dos que defendem a viabilização de uma solução política. O que parecia irresoluvel parece agora poder ter afinal uma saída.

Se as esperanças de encontrar o submarino argentino desaparecido e os seus 44 tripulantes já eram escassas, ainda ficaram mais pequenas ao saber-se de uma explosão que aconteceu no exacto local em que se soube do submarino pela última vez.

No Zimbabwe hoje é dia do crocodilo. Ou seja, é o dia em que o sucessor de Robert Mugabe, conhecido pelo crocodilo, toma as rédeas do poder no país.

Thomas L Friedman escreve no New York Times sobre o que se passa na Arábia Saudita e o que podemos e devemos esperar das reformas em curso no que tem sido um dos mais fechados países do Médio Oriente.


Um tribunal sul-africano decidiu duplicar a pena de prisão a Oscar Pistorius, o antigo atleta olímpico acusado pela morte da sua mulher.

Robinho é uma das grandes estrelas do futebol brasileiro (embora agora já na fase final da carreira), depois de ter passado por clubes como o Real Madrid, Milão e Manchester City. Agora foi condenado por um tribunal italiano a nove anos de prisão pela violação de uma jovem.


NÚMEROS
19220

É o valor em euros que custou um polémico jantar recente no Palácio da Ajuda, noticiado ontem pelo Expresso Diário. Convidados a mais, comida junto de pinturas e tapeçarias, enfim, mais razões para quem contesta o uso que está a ser dado a monumentos nacionais.

100
mil euros é o valor doado por Aga Khan para ajudar na reflorestação do Pinhal de Leiria.

135
milhões é o encaixe feito pelo BPI com a venda do BPIVida ao Caixa Bank.


O QUE ANDO A LER
Depois de terminar a fantástica biografia de Vladimir Ulitch Ulianov, Lenine, seguramente um dos melhores livros que li este ano, agora ano a vaguear de forma mais ou menos caótica e desordenada entre "A Estranha Ordem das Coisas", de António Damásio (Círculo de Leitores), "Einstein", de Walter Isaacson, autor também da biografia de Steve Jobs (Casa das Letras), "Dia D", de Antony Beevor (Bertrand Editora), "O Último dos Czares", de Robert Service (Editora Desassossego) e ainda "A História da Espionagem e o Mundo dos Serviços Secretos e de Informação", de John Hughes-Wilson (Marcador).

Por hoje é tudo. Amanhã é dia de Expresso nas bancas. Boas leituras.

Partilhe esta edição