Siga-nos

Perfil

Expresso

Martim Silva Diretor-Executivo

Centeno, Barreto, Angola, rendas e Malta Files. O melhor do Expresso esta semana

27 de Maio de 2017

Bom dia,
Na edição semanal do Expresso hoje disponível destaco as entrevistas a Mário Centeno, o novo 'ronaldo' das contas, e ao sociólogo António Barreto (que não se deixa impressionar pela recente onda de optimismo à volta da geringonça), os trabalhos sobre as alterações à lei do arrendamento local, os novos desenvolvimentos dos chamados Malta Files e ainda o longo trabalho que publicamos na Revista sobre os 40 anos do golpe de Nito Alves em Angola.

1. Dois deputados do PS avançaram com um projeto lei que visa regular o atual boom de alojamento local, mas o assunto não está a ser fácil. Não só os socialistas ainda não encontraram uma base parlamentar de apoio para a aprovação do diploma, que visa dar o poder de decisão aos condóminos, como mesmo dentro do governo o assunto não é cristalino, por exemplo para quem tutela o Turismo. Além disso, em matéria de arrendamento, revelamos os planos de Fernando Medina para a capital, que passam por vender menos casas e reabilitar e arrendar mais nos bairros históricos.

2. "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo". A frase, clara, é do ministro das Finanças e titula a entrevista que lhe fazemos esta semana, depois de dias em que o seu nome voltou a ser falado como possibilidade para suceder ao holandês Dijsselbloem na liderança dos ministros das Finanças da Zona Euro. Além disso, Centeno garante nesta entrevista que a nossa dívida é viável, que a situação do Montepio está controlada e, finalmente, que não antevê dificuldades de maior para a aprovação do Orçamento do Estado para o próximo ano.

Em matéria de números e contas, quero ainda destacar a notícia que dá conta de como nesta altura a principal preocupação com as contas nacionais é a área da Saúde, em que as Finanças já estão a monitorizar de perto os gastos do Ministério de Adalberto Campos Fernandes, com receio de descontrolo nos gastos.

3. Na Economia há um outro trabalho que nos ajuda a perceber um pouco melhor o que se passa com o crescimento económico nacional nesta altura. O título é "Espanha é o principal motor das exportações". Como afirma a Joana Nunes Mateus, bastam seis mercados e seis produtos para explicar o forte crescimento das exportações nos primeiros três meses do ano. Um bom guia para percebermos melhor o que está por trás de algumas das boas notícias dos últimos tempos.

4. Angola 77, uma ferida aberta. Após o golpe de Nito Alves, há precisamente quarenta anos, o casal Sita Valles e José Van-Dunem foi preso e barbaramente assassinado pelo regime angolano, tal como dezenas de milhares de pessoas. O filho deles acabaria por ser educado em Lisboa pela tia, Francisca (que é hoje ministra da Justiça de Portugal). Agora, che Van-Dunem e outros angolanos falam pela primeira vez da matança que ainda hoje divide o país. Um trabalho de fôlego da Alexandra Simões de Abreu, Nicolau Santos e Gustavo Costa.

5. Por melhor que sejam as notícias, há coisas que não mudam. Como o cepticismo militante de António Barreto, sociólogo e uma das vozes mais respeitadas do país. Em entrevista, Barreto afirma e reconhece que não queria que a geringonça funcionasse e explica como está convencido que o Partido Socialista vai descartar (um piparote é a expressão que usa) o PCP e o Bloco mal perceba que não necessita das duas forças à sua esquerda para ter maioria no Parlamento.

6. Este domingo termina oficialmente a época futebolística cá dentro, com a habitual festa da final da Taça de Portugal no Jamor. De um lado o Benfica de Rui Vitória, do outro o Vitória de Guimarães de Pedro Martins. Com um aliciante, que é a utilização pela primeira vez em Portugal, oficialmente, do vídeoárbitro. A partir de agora vai ser sempre assim. E nós damos as perguntas e as respostas para ajudar a perceber como a coisa vai funcionar.

7. Ainda em matéria de futebol, na Revista temos uma reportagem do Tiago Carrasco sobre o mundo negro das claques de futebol. Um mundo em que, por exemplo, se marcam batalhas campais pelo whattsapp para medir forças. Em que há adolescentes a serem iniciados de forma violenta. E em que a influencia do Leste europeu é crescente.

8. Para os que gostam de espreitar pelo buraco da fechadura, neste caso da maçonaria, vale a pena ler o trabalho da Catarina Guerreiro a propósito das eleições na mais importante obediência maçónica em Portugal, o Grande Oriente Lusitano, que se aproximam.

9. Esta semana prosseguimos com a investigação aos chamados 'Malta files', um trabalho do consórcio europeu de jornalismo de investigação a que o Expresso está associado. E voltamos à forma como aquele país europeu é utilizado para esquemas do que muitos gostam pomposamente de tratar como 'planeamento fiscal agressivo', que é mais ou menos o mesmo que dizer 'arranjar uma forma de pagar menos impostos que eu ou o caro leitor'. Os documentos que agora revelamos mostram como dezenas de sócios da Deloitte em Portugal receberam 53 milhões de euros através daquele país.

10. Finalmente, e por também ser um assunto muito atual, quero destacar o trabalho que apresentamos na sociedade a propósito dos julgamentos em que quer juízes quer procuradores têm de inquirir crianças e de como se procuram formas de fazer com que estas situações sejam o menos traumáticas possíveis para os mais pequenos. Assim, quer juízes quer procuradores vão passar a ter formação obrigatória em psicologia infantil. E para esta semana já está prevista a distribuição em todos os tribunais de um guia com instruções precisamente sobre a melhor forma de falar e inquirir e abordar os mais pequenos.

Falei-lhe destes assuntos mas acredite que há muito mais que vale a pena ler no Primeiro Caderno Economia e Revista do Expresso. Que, além disso, distribui hoje mais um volume do Portugal Amordaçado, de Mário Soares.

Boas leituras

Partilhe esta edição