Siga-nos

Perfil

Expresso

Nicolau Santos Diretor-Adjunto

O Schäuble está a gozar connosco

26 de Maio de 2017

Bom dia.
Este é o seu Expresso Curto e vai ser servido à pressão
porque, como tive uma semana terrível, esqueci-me e só agora vi que era o meu dia de servir o leitor.

Que lhe posso dizer, caro leitor? Bom, que o país anda extasiado com os elogios do ministro alemão das Finanças ao seu homólogo português, Mário Centeno, segundo o qual este é “o Ronaldo do Ecofin”. E que até se fala que Centeno pode fazer as malas, deixar o país e ir dirigir o Eurogrupo.

Pois, eu acho que há muita gente a não perceber o humor alemão, sobretudo o de Schäuble. Ele não disse o que disse publicamente. Terá bichanado para alguém a “boutade” e ela terá sido escutada por um site normalmente bem informado. E nunca falou em Eurogrupo mas em Ecofin. As diferenças são muito importantes. O único ministro das Finanças que ele alguma vez defendeu publicamente foi Jeroen Dijsselbloem, por acaso o presidente do Eurogrupo, que é uma espécie de porta-voz de Schäuble. Mas para os mais distraídos recomendo vivamente a crónica que o embaixador Seixas da Costa escreve hoje no seu blogue “Duas ou três coisas” (e que vai exactamente no mesmo sentido do que escrevo amanhã para o Expresso).
Diz Seixas da Costa: Só alguma saloiíce lusitana é que acha que a “teoria económica” da Geringonça é vista com admiração nos círculos preponderantes no Eurogrupo. É claro que eles podem achar curiosos os resultados obtidos, mas ninguém os convence minimamente de que tudo não decorre de um acaso pontual. Para eles, trata-se apenas de um "desenrascanço" conjuntural, fruto de alguma acalmia dos mercados, do efeito das políticas temporalmente limitadas do BCE, do salto das exportações (que entendem nada ter a ver com a ação do governo), do surto do turismo (por azares alheios e sorte nossa, como o “milagre do sol”), bem como do "pânico" de PCP e BE em poderem ver Passos & Cia de volta, desta forma “engolindo sapos” e permitindo ao PS surpreender Bruxelas com o seu seguidismo dos ditâmes dos tratado. Ah! Eles também constatam que a política de estímulo do consumo acabou por não ser o “driver” anunciado do crescimento. E que tudo o que foi feito está muito longe das imensas reformas que eles consideram indispensáveis, nomeadamente no regime laboral e nas políticas públicas mais onerosas para o OGE (Saúde, Educação, Segurança Social, Fiscalidade), por forma a promover uma redução, significativa e sustentada, da dívida. É assim uma grande e indesculpável ingenuidade estar a dar importância à "boca" do cavalheiro alemão!”

Mais: “Também só a crendice paroquial concede um mínimo de plausibilidade à ideia de Mário Centeno vir a chefiar o Eurogrupo. Conhecidos os desequilíbrios doutrinários no seu seio, passa pela cabeça de alguém (pelos vistos passa!) que venha a ser escolhida uma pessoa que tem titulado uma linha em aberto contraponto com o sentido do “mainstream” que domina aquele fórum?”

Como dizem os miúdos, “mai nada”. E se querem saber mesmo tudo o que Seixas da Costa escreve – e com que concordo a 100%; aliás, ontem o embaixador Rosa Lã tinha-me dito o mesmo - vão ao seu blogue http://duas-ou-tres.blogspot.pt/ e leiam na íntegra o artigo.

De qualquer forma, Centeno está “partout” e claramente em alta.
Depois da saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo, o ministro veio ontem dizer em entrevista na RTP que acredita que até ao final do verão e início do próximo ano Portugal vai ter o seu rating melhorado pelas agências financeiras. “Temos estado em contacto com as agências de rating de forma permanente e quase todas avaliam os fundamentos de crescimento económico e a capacidade produtiva da economia portuguesa num patamar claramente acima do que se vulgarizou chamar de lixo”, disse. E se ele o diz…

E na senda da rainha Santa Isabel, que ficou imortalizada pela frase “são rosas, Senhor”, Centeno garantiu também na mesma entrevista que em janeiro do próximo ano nenhum contribuinte português já vai ter de pagar a sobretaxa de IRS. “Em janeiro de 2018 ninguém vai pagar sobretaxa. E em janeiro de 2018 teremos promovido, numa discussão que está em curso e que irá continuar em curso, uma redução da carga fiscal adicional, para um conjunto muito significativo e representativo das famílias portuguesas com rendimentos mais baixos”, sublinhou. Se isto não são milagres atrás de milagres, não sei o que serão. Mas Schäuble é como o Jorge de “O nome da rosa”: detesta o riso e, como bom calvinista, não acredita em milagres. E Centeno tem sempre o ar de quem está um bocadinho divertido com tudo isto.

OUTRAS NOTÍCIAS
Há greve na Função Pública. Em Aveiro, Coimbra, Leiria, Viseu, Porto, Braga e no hospital do Tâmega e Sousa o cenário é comum. Em Lisboa, a adesão variou entre os 100% e os 50%, diz a Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais.

Manuela Ferreira Leite criticou ontem fortemente o projeto de lei do PS para o alojamento local, segundo o qual esse tipo de alojamento, muito procurado pelos turistas, passa a ficar dependente de autorização dos outros condóminos. “Vai acabar com o negócio para os privados, mas vai dar grandes negócios às grandes empresas e grandes imobiliárias, porque esses podem comprar o prédio inteiro”, afirmou a economista e ex-líder do PSD que se manifestou “inteiramente perplexa” com o projeto de alteração legislativa.

Para rir ou para chorar é a história de que a Altice, que comprou a PT em 2015, lhe vai mudar o nome para Altice Portugal. A ideia para os portugueses já era desagradável, mas agora sabe-se que a PT não só deixa de ser PT mas vai ter de pagar à Altice, casa-mãe, para usar o nome de Altice Portugal, que a casa mãe lhe decidiu impor. Não é espantoso? Ah, não se sabe quanto vai ter de pagar, mas deve variar entre 50 e 70 milhões de euros por ano. Responsáveis da Altice consideram o modelo “justo, directo e transparente”. Pois, eu também. Só espero que o dr. Balsemão não decida mudar-me o nome e eu tenha de lhe pagar para me passar a chamar, sei lá, Francisco…

Cantinho de Donald Trump: Jared Kushner, marido da filha mais velha de Donald Trump e que é um dos conselheiros mais próximos do Presidente norte-americano também está sob escrutínio do FBI por causa do alegado conluio da equipa eleitoral do então candidato com a Rússia para influenciar o resultado das eleições de 2016. Entretanto, depois de ter aproveitado a mini-cimeira da NATO em Bruxelas, na quinta-feira à tarde, para criticar duramente "23 dos 28" Estados-membros da aliança por não contribuírem com 2% do PIB para a defesa comum, Donald Trump vai estar esta hoje amanhã em Taormina, na Sicília, para uma antecipada cimeira do G7. E cheira à distância que o encontro dos líderes das sete maiores economias mundiais e representantes da União Europeia vai ficar marcado por discórdias sobre o combate às alterações climáticas e as trocas comerciais na era da globalização.

No Brasil, a oposição acredita que sobram apenas dez dias de vida ao Governo Temer. Mas a avaliar pelos discursos, Michel pensa que vai ficar lá por muito mais tempo…

Para terminar este Curto à pressão. Amanhã passam 40 anos sobre o 27 de Maio de 1977 em Angola, uma tentativa de golpe de Estado, segundo a versão dos vencedores, que conduziu depois a dois anos de terror absoluto, durante os quais fora mortas mais de 30 mil pessoas. O trabalho será publicado amanhã na revista do Expresso mas alguns dos impressionantes depoimentos dos órfãos, sobreviventes e familiares já estão a começar a ser disponibilizados no Expresso on line.

FRASES
“A zona euro tem de garantir oportunidades para todos e não apenas para a Alemanha”. Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, num recado para Schäuble. Consta, contudo, que ele é muito duro de ouvido…

“Nos países ricos já comemos mais do que o que nos faz bem”. Tristam Stuart, especialista em redução do desperdício alimentar. Ouve lá, ó Tristam, olha que a fome também não dá assim muita saúde…

“O Brasil não parou nem vai parar”. Michel Temer, presidente do Brasil. Pois não, Michel. Tu é que me pareces que vais parar, embora ainda não acredites nisso.

“Não há dúvida que a economia portuguesa está numa evolução muito positiva”. Vítor Constâncio, vice-governador do BCE. Obrigadinho, Vítor. Pela ajuda e pelas palavras. Já nem nos lembrávamos que existias.


O QUE ANDO A LER
Bom, nas últimas duas semanas, li que me fartei sobre o 27 de Maio em Angola, nomeadamente “Purga em Angola”, de Dalila e Álvaro Mateus, e “Angola – O 27 de Maio – Memórias de um sobrevivente”, de José Reis, que será lançado amanhã, sábado, às 17 horas, na Casa de Goa, em Lisboa. Também já li o mais recente livro de poemas da Golgona Anghel, “Nadar na piscina dos pequenos”, uma romena que se apaixonou por Portugal e por cá ficou, sem andar a pedir esmola nos cruzamentos nem a dar dentadas no pescoço das pessoas, mas sim a escrever magnífica poesia. É de comprar, ler e reler.

E pronto. Este Expresso Curto à pressão já vai um bocadinho frio mas tive uma semana esmagadora em termos de trabalho, mais uma mudança de casa que é sempre uma coisa ciclópica. Os meus perdões e um excelente fim-de-semana para todos. Entretanto, não se esqueçam de comprar amanhã o Expresso e de ir lendo hoje, todos os dias e sempre o Expresso on line e o Expresso Diário.

Partilhe esta edição