Anterior
Ira islâmica sem fim à vista
Seguinte
Alegado 'estripador de Lisboa' julgado em novembro
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >  Nervos, filas extensas e falta de informação na rotunda do Marquês

Nervos, filas extensas e falta de informação na rotunda do Marquês

Alterações à circulação no Marquês de Pombal provocaram congestionamentos na nova rotunda externa e apanharam desprevenidos muitos automobilistas.
Lusa |
O presidente da Câmara de Lisboa esteve a monitorizar, no Centro de Controlo de Tráfego, as primeiras horas do novo sistema de circulação em dia de semana
O presidente da Câmara de Lisboa esteve a monitorizar, no Centro de Controlo de Tráfego, as primeiras horas do novo sistema de circulação em dia de semana /  Lusa
No Marquês de Pombal, as alterações à circulação provocaram esta manhã alguma confusão e extensas filas
No Marquês de Pombal, as alterações à circulação provocaram esta manhã alguma confusão e extensas filas / Lusa

Trânsito caótico, muitas 'buzinadelas', condutores enervados e pouco informados era o cenário na rotunda do Marquês de Pombal às 9h30 de hoje, com um novo esquema de circulação desde dia 15, numa manhã que até começou tranquila.

O trânsito na rotunda do Marquês de Pombal, em Lisboa, tinha hoje às primeiras horas da manhã uma intensidade normal para uma segunda-feira, mas as alterações à circulação, que dividiram a rotunda em duas - uma externa e outra interna - provocaram congestionamentos na externa e tráfego menos intenso na interna.

No entanto, pouco depois das 9h, as principais ruas de acesso à rotunda apresentavam já extensas filas de trânsito, que levaram muitos automobilistas a buzinar insistentemente e outros, apanhados desprevenidos com o novo esquema de circulação, a pedir informações.

Durante uma visita hoje de manhã ao Centro de Controlo de Tráfego, na Av. Alexandre Herculano, o presidente da Câmara de Lisboa esteve a monitorizar as primeiras horas do novo sistema de circulação em dia de semana. Em declarações aos jornalistas, António Costa mostrou-se surpreso com a escolha dos automobilistas pela rotunda externa em detrimento da interna, que é aquela que se destina a servir os eixos principais - a Av. Fontes Pereira de Melo, a Rua Joaquim António de Aguiar e a Avenida da Liberdade.

Ausência de Polícia Municipal junto à rotunda


"O que acontece é que, provavelmente, as pessoas ainda não perceberam totalmente esta distribuição e por medo refugiam-se na exterior. Outros seguirão para a exterior também por curiosidade. Por isso, estamos a ter um excesso de trânsito na rotunda exterior e pouquíssimo na interior", disse António Costa, que reconheceu também que possa haver algum problema de informação e sinalização.

O presidente da Câmara de Lisboa critica também a ausência de Polícia Municipal junto à rotunda até às 8h, para prestar esclarecimentos aos condutores. No local, a agência Lusa constatou que às 9h30 eram menos de uma dezena os agentes da Polícia Municipal de Lisboa que se encontravam junto às principais entradas da rotunda, a orientar o trânsito e a esclarecer os automobilistas.

Cláudia Bernardino, uma das utilizadoras da rotunda esta manhã, declarou à Lusa que foi surpreendida pelas alterações de circulação no Marquês de Pombal, demorando cerca de meia hora para atravessar a rotunda.

"Estou aqui um bocado perdida. Quero ir para o Saldanha, mas vim da Joaquim António de Aguiar, por fora do túnel e sou mesmo obrigada a circular na rotunda externa. Está bastante confuso", disse.

"Confusão tremenda"


Já José Loureiro, que utiliza a rotunda diariamente, sabia que iria encontrar um novo esquema de circulação, mas diz que o cenário com o qual se deparou é "péssimo" e não acredita que as alterações venham trazer qualquer melhoria. "Estou aqui há cinco minutos, mas penso que vou estar mais 15", queixou-se.

Um taxista para quem a rotunda do Marquês de Pombal é o seu "dia a dia de trabalho", criticou a "confusão tremenda" criada pelas alterações à circulação, ainda que admita que a confusão possa ser apenas resultado da adaptação inicial e que as coisas ainda possam melhorar.

No entanto, não deixou de pedir alterações."Se não alterarem isto, perde-se muito tempo aqui. Precisei de uns 20 minutos ou mais para fazer a rotunda, o habitual era precisar de apenas cinco minutos. O trânsito está caótico", disse.

As alterações decididas pela autarquia visam reduzir carros e poluição. Além das duas rotundas, a Avenida da Liberdade tem uma faixa central para veículos particulares e outra para o transporte coletivo, enquanto as laterais deixam de ser de atravessamento e passam a ser faixas para trânsito local.

O novo esquema de circulação vai estar em avaliação até dezembro.


Opinião


Multimédia

Retrato político de um país livre

Traçámos um mapa partindo dos resultados das eleições para a Assembleia Constituinte de 1975 e dos resultados das últimas eleições legislativas em 2011. O que mudou ao longo desse tempo? Como é que cada concelho votou em 1975 e em 2011? E como evoluiu a abstenção? Clicando sobre o ano e depois sobre os concelhos, no mapa ou no filtro, surgem as respostas.

Quase ninguém ficou em casa

Foi num 25 de Abril como o deste sábado, mas há 40 anos e numa liberdade então recentemente tomada: a 25 de Abril de 1975, Portugal testemunhou as primeiras eleições livres e universais após quase meio século de ditadura. Estas são as histórias, os retratos, os apelos e as memórias de um tempo que mudou o rosto do país.

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

26 mil esferográficas, 14 mil urnas e 760 quilos de lacre. Os números de uma eleição histórica

Mais de mil caixas de lacre foram usadas pelas secções de voto que por todo o país, no dia 25 de abril de 1975, recolheram os boletins de milhões de eleitores. O Expresso percorreu os quatro mapas de despesas das eleições para a Assembleia Constituinte, elaborados pelo STAP, para saber quanto dinheiro esteve envolvido, onde e como foi gasto. Cada valor em escudos foi convertido para euros a preços correntes, tendo em conta a inflação. 

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.


Comentários 45 Comentar
ordenar por:
mais votados
Gerir Rotunda
Este não é capaz de gerir um rotunda, e ainda tem ambições de governar Portugal.
“Capacidade de comunicação”
Falhanço colossal. Estes tipos são uma cambada de incompetentes, com a mania que são espertos. Fora com os gajos
Por acaso foi exigência da Troika? Não, não foi. Com estes “experimentalismos” quem mais sofre é a classe média, obrigada a gastar gasolina na sua ida para o desemprego. Razão para considerar os “engarrafamentos” coisa inconstitucional. P’ra já fica agendada uma grande manifestação dos indignados automobilistas engarrafados

Um momento… só agora reparo que as obras na Rotunda são da responsabilidade do dr.(licenciatura com frequências comprovadas) António Costa e não pela besta do Passos, pelo que retiro tudo o que foi escrito anteriormente

  E faço minhas as palavras do edil: "O que acontece é que, provavelmente, as pessoas ainda não perceberam (a tradicional estupidez) totalmente esta distribuição e por medo (portugas acagaçados como sempre) refugiam-se na exterior (fenómeno semelhante à mana da emigração). Outros seguirão para a exterior também por curiosidade (a celebre mania da manada de “ir sempre atrás”, ou a confirmação que onde mija um português, mijam 2 ou 3) . Por isso, estamos a ter um excesso de trânsito na rotunda exterior (como se comprova, a culpa, desta vez, não morre solteira… é nossa. É a habitual preferência de andar pelas bordinhas) e pouquíssimo na interior"

É isto que falta ao governo: capacidade de comunicação
Re: “Capacidade de comunicação”
Re: “Capacidade de comunicação”
Re: “Capacidade de comunicação”
Re: “Capacidade de comunicação”
Re: “Capacidade de comunicação”
Trânsito caótico; objectivo atingido.
Trânsito caótico; objectivo atingido: Avançar de bicicleta, em vantagem relativamente aos meios de transporte poluidores.
Re: Trânsito caótico; objectivo atingido.
Ai Costa,Costa!
Re: Ai Costa,Costa!
Re: Ai Costa,Costa!
A mesma pergunta que se faz para a baixa da TSU:
isto já foi experimentado nalgum lado?! Para a TSU já sabemos que não. Para esta solução parece-me que também não. Se houver por aí algum expert na matéria que seja capaz de elucidar ficávamos todos muitos agradecidos!

Mas independetemente de mérito (duvidoso...) da solução técnica encontrada há sempre um aspecto que não pode ser descurado: isto destina-se a pessoas. E as pessoas têm hábitos, automatismos que sendo bons ou mesmo maus são um facilitador da vida. Quando se altera algo que colida com os habitos/rotinas das pessoas, mesmo que em seu benfício futuro potencial, é necessário fazer informação maciça junto dessas mesmas pessoas para que o impacto inicial seja minimizado. E dar apoio local. Ora ao que se sabe a Polícia Municipal não estava presente como devia logo de manhã no local !!!

Mas o que é mais grave é que A. Costa tenha precisamente atirado a sculpas para cima da Policia Municipal por não estar presente. Ora alguém acredita que se o Sr Presidentre da CML tivesse feito o seu trabalho de casa coordenando-se com a PM de modo a grantir que a mesma estivese no local, esta, a PM, iria faltar ao seu compromisso?! Conclusão: a responsabilidade é de A. Costa e seu "dream team urbanistico" que, como se demonstra, não passam de uns aprendizes. E estão mais preocupados com o show off da "revolução do trânsito em Lisboa" do que com a comodidade dos condutores/utentes da área!

E são estes políticos potencialmente candidatos a governar o País !!!
Re: A mesma pergunta que se faz para a baixa da TS
Re: A mesma pergunta que se faz para a baixa da TS
O problema da dupla rotunda...
(continua)
Re: A mesma pergunta que se faz para a baixa da TS
Re: A mesma pergunta que se faz para a baixa da TS
Re: A mesma pergunta que se faz para a baixa da TS
Re: A mesma pergunta que se faz para a baixa da TS
Re: A mesma pergunta que se faz para a baixa da TS
Ó Costa
Estás rodeado de canudos tipo sócras e relvas seu anedota, brinca com o teu dinheiro lambão.
Se a ideia tivesse sido do Santana Lopes
era experimentalismo radical fascista neoliberal.

Assim como foi o António Costa a culpa é dos condutores que andam distraídos.

Tudo certo e dentro da linha editorial do Expresso.
Re: Se a ideia tivesse sido do Santana Lopes
Re: Se a ideia tivesse sido do Santana Lopes
O costume: não sabia...
"...E apanharam desprevenidos alguns automobilistas". Onde andavam estes automobilistas, se toda a semana se andou a falar disto e a mostrar como se fazia!
No geral até simpatizo com António Costa
Mas parece-me que estas alterações ao Marquês de Pombal e Avenida da Liberdade são uma monumental borrada.

Se calhar ficava-lhe bem a humildade de voltar atrás antes que a brincadeira venha a ter custos politicos para ele.

Nos dias que correm o pavio dos cidadãos anda demasiado curto para disparates voluntariosos.
Re: No geral até simpatizo com António Costa
Trânsito caótico!
Srs.Políticos por favor não façam nada,que assim pelo não gastam dinheiro.
É o que faz querer ver a paisagem dentro do pópó!!
António Costa é o espelho do povo que representa. Um povo que não quer andar a pé , de bicicleta, etc, porque no seu sub consciente esta medida não se coaduna com a vaidade caracteristica de muitos portugueses, e especialmente lisboetas, não pode estar à espera dum presidente perfeito. A redução do transito no Centro é uma óptima medida. Ambiental, e de qualidade de vida em geral. Uma medida simples da redução do tráfego, era a aplicação de "portagens a doer", para quem quer levar o pópó até ao centro, quando tem uma boa rede de transportes públicos. Exceppção como é óbvio para os veículos prioritários. Mas para se tomar medidas desta natureza, é preciso ter uma coisa que poucos têm. Portanto, isto de elogiarmos o que se passa de bom lá por fora, e não propormos soluções equivalentes por cá, dá nisto. Ralham todos e ninguem tem razão. Vamos continuar por muitos anos "em vias de desenvolvimento". É a vida!!!
Re: É o que faz querer ver a paisagem dentro do pó
Re: É o que faz querer ver a paisagem dentro do pó
Re: É o que faz querer ver a paisagem dentro do pó
Re: É o que faz querer ver a paisagem dentro do pó
A paciência é uma virtude...
E falta à maioria dos portugueses, claro. Vivo aqui e posso garantir que o principal contributo para o trânsito foi a pressa (desmesurada) e impaciência dos condutores. Todos temos horários a cumprir, sei-o muito bem. Mas nunca será a tentar ultrapassar os outros e a buzinar feitos loucos que chegaremos mais rápido. Infelizmente, é na condução que melhor se percebe como são os portugueses, e não num sentido positivo...

Acho que a medida tem imenso potencial, e que com alguma adaptação e PACIÊNCIA se poderá conduzir melhor no Marquês.
Re: A paciência é uma virtude...
Pois !!!
transferiram os niveis de poluição da Av. da liberdade para o marquês !!! António Costa não se escapa da multa de Bruxelas !
Re: Pois !!!
O falhanço de Costa.
Este indivíduo julga-se o dono de Lisboa,coitado não percebe nada de trânsito como ele circula em carro prioritário os outros que se fodam.Estes esbanjadores de dinheiro público não tem vergonha,o palhaco do Sá Fernandes que embargou o túnel das Amoreiras agora não viu,este carneiro que fez gastar tanto dinheiro aos minicipes de Lisboa agora está calado que nem um rato,cambada de parasitas,vaidosos andam de barriga inchada, julgam-se os reis da sabedoria.Este António Costa devia ter vergonha na merda que tem feito em Lisboa.Aqui á dias num trabalho feito na Rotunda um indivíduo chamou atenção da obra que estavam a fazer e disse-lhes,que a obra era um erro que estavam a fazer,Costa com ar de gozo? disse a senhora engenheira está ai,para resolver o problema,foi uma vergonha o senhor fez-lhes engolir a saliva e não tiveram argumentos,para lhes dizer,Os engenheiros ficaram com uma cachola que passados dois dias já estavam a fazer o que o homem lhes tinha dito.A prova dos nove chegou hoje com bozinadelas,e mandarem o Costa catar macacos,Depois diezem que os socialistas são os melhores,e são para gastarem o dinheiro que é de todos os Lisbonenses,e assim se gastaram mais 300 mil euros,é isto o Socialismo gastador.
Mais Informação Complementar
Ignoro os condicionalismos da nova distribuição do trânsito no Marquês, mas, pelo que me dado a observar, haverá falta de informação (placas, chão, chamadas de atenção etc. etc.) antes da entrada na nova coroa circular desta rotunda. Será que os automobilistas quando entram para a nova distribuição sabem antecipadamente a alternativa desejada.
Rai's parta o farrusco
Já não nos chegava o lerdo-pascácio que elegemos para 1º, o gangster, o vagaroso e o palerma, mais o oportunista, a miss pastel de natas, a miss piggy da franjola, e os outros actores da fita série B a que assistimos, falta-nos o farrusco entrar em liça para nos complicar o dia a dia.
Merda prós gajos!
Comentários 45 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub