Siga-nos

Perfil

Expresso

Vídeo

Pena suspensa para roubo e agressões a prostitutas

Três homens e uma mulher foram hoje condenados por roubo e agressões a mulheres que se prostituíam em Estarreja e em Ovar. O tribunal condenou os arguidos com penas entre os dois anos e meio e os quatros anos de prisão. mas optou por não aplicar a prisão efetiva.

Os arguidos beneficiaram da alteração do crime de roubo agravado para roubo simples.

Os juízes não acompanharam assim o Ministério Público na acusação de que os três homens e a mulher agiram em bando nos crimes contra as prostitutas ocorridos em Ovar e Estarreja, em dezembro do ano passado.

Todos os arguidos foram condenados com penas de prisão suspensas. A mais elevada, 4 anos de prisão, foi aplicada ao principal arguido, um empresário que se manifestou arrependido tendo admitido os crimes, negando no entanto as agressões. Murros e pontapés e ameaças de morte, na versão das vítimas.

A explicação dada em tribunal para os crimes foi a de que um dos implicados precisava urgentemente de dinheiro.

Os roubos, que renderam cerca de 200 euros, foram praticados em locais isolados, no interior de pinhais.

A GNR capturou os suspeitos em Cortegaça, no mesmo dia dos crimes, após uma perseguição automóvel.

No fim da leitura do acórdão, o tribunal destacou a atitude positiva dos arguidos no julgamento, mas avisou que as penas suspensas representam uma última oportunidade de se emendarem.