Siga-nos

Perfil

Expresso

Infografia

Este é o navio/casa dos milionários: um apartamento chega aos €9 milhões

  • 333

Jaime Figueiredo

Se o avistar ao longe em Cascais, poderá confundi-lo com um navio de cruzeiro, no entanto não o é. O The World é uma bela cidade flutuante, tranquila e luxuosa. Chamam-lhe “as residências do mar”, a única maneira de navegar ao redor do mundo sem nunca sair do conforto de casa - mas não é barato

O paquete mais luxuoso do mundo, o The World, está desde terça-feira ancorado ao largo de Cascais. Com 168 residências e 500 pessoas a bordo, o paquete faz escala em nesta vila pela terceira vez, depois de ter iniciado viagem em Ushuaia, Argentina, no início do ano.

Esta odisseia começou em meados dos anos 90, quando Knut U. Kloster Jr., ex-presidente da Norwegian Cruise Lines, teve uma ideia louca: construir o navio mais luxuoso do mundo, não com camarotes ou cabines, mas com apartamentos que permitissem às pessoas viajar pelo mundo durante 365 dias sem sair de casa. E porque não? A 29 de março de 2002, o The World, construído num estaleiro em Rissa, Noruega, partiu para a sua viagem inaugural. Desde que foi lançado, esta cidade flutuante que custou 348 milhões de euros já visitou mais de 900 portos em 140 países.

The World

Conhecido como “As residências do mar”, o The World, com 196 metros de comprimento, é um dos maiores e mais completos paquetes de luxo do mundo e o primeiro "cruzeiro residencial" de todos os tempos. Além de 110 apartamentos T2 e T3, cujo preço de aquisição varia entre um e nove milhões de euros, o paquete dispõe ainda de 58 suites destinadas a aluguer temporário. O condomínio de um destes apartamentos pode situar-se entre 300 mil e 450 mil euros por ano.

The World

Mas para quem pode pagar, este é um programa de sonho. Além dos quartos decorados a gosto dos clientes, este paquete com 12 decks oferece ainda todos os mimos que o dinheiro nos pode oferecer - seis restaurantes, piscina, campo de ténis, SPA, ginásio, cinema, biblioteca, capela, centro médico e até uma mercearia cheia de iguarias, entre outras comodidades, além de várias experiências únicas que decorrem nos diferentes portos onde atraca.

The World

O passageiro tipo do The World tem uma média de idade de 52 anos, é originário da América do Norte e Europa, revela uma grande paixão por viagens, valoriza o luxo, o sucesso nos negócios e o dinheiro. Atualmente, o The World conta com moradores originários de cerca de 40 países que vivem a bordo do navio a tempo inteiro ou temporariamente. O navio vive a circundar o globo terrestre, permanecendo na maioria dos portos de 2 a 5 dias.

A odisseia começou em janeiro deste ano com uma expedição na Antártida, percorrendo depois a costa leste da América do Sul, com uma extensa visita às praias e cidades do Brasil, começando a festa no Rio de Janeiro durante o Carnaval. Os passageiros aproveitaram o sol das Caraíbas antes de fazer a travessia transatlântica para as Ilhas Canárias e Casablanca. O The World vai passar o verão em 16 países europeus antes de passar o Canal de Suez com destino ao Oriente, incluíndo destinos como a Índia, Maldivas e Malásia. A viagem termina em Sidney no final de 2016, com um deslumbrante fogo de artifício.