Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Fotogalerias

Quem vai ser o próximo Presidente do Egito?

  • 333

Cinquenta milhões de eleitores vão escolher entre 12 candidatos, islamitas ou laicos, o sucessor de Hosni Mubarak. Presidencias egípcias são as mais importantes da Primavera Árabe. Clique para visitar o dossiê Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente

Maria Luiza Rolim (www.expresso.pt)

Amr Moussa, 76 anos. Diplomata, candidato independente, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros de Mubarak de 1991 a 2001, foi secretário-geral da Liga Árabe. Na Sexta-feira da Raiva, em 2011,misturou-se com a multidão na Praça Tahri. Acusado de pertencer ao antigo regime e apoiado pela ala militar da Irmandade Muçulmana, propõe um novo Estado no Egito, pluriconfessional e aberto à modernidade, "totalmente diferente, em comparação com os últimos 60 anos", e um regime presidencial constitucional e democrático, com separação de poderes. Promete reduzir o desemprego
1 / 12

Amr Moussa, 76 anos. Diplomata, candidato independente, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros de Mubarak de 1991 a 2001, foi secretário-geral da Liga Árabe. Na Sexta-feira da Raiva, em 2011,misturou-se com a multidão na Praça Tahri. Acusado de pertencer ao antigo regime e apoiado pela ala militar da Irmandade Muçulmana, propõe um novo Estado no Egito, pluriconfessional e aberto à modernidade, "totalmente diferente, em comparação com os últimos 60 anos", e um regime presidencial constitucional e democrático, com separação de poderes. Promete reduzir o desemprego

Abdel Moneim Aboul Fotouh, 61 anos. Islamista independente, médico, secretário-geral da União Médica Árabe, ex-membro do Gabinete d'Orientação da Irmandade Muçulmana, de onde foi expulso no ano passado, centrou a sua campanha na previdência social e na educação. Defende um Islão moderado, dirigindo-se tanto aos salafistas como aos liberais de Tahri, e promete nomear uma mulher ou um cristão copta como vice-Presidente. Os liberais vêem-no como alguém próximo. Dos candidatos, é o que reune mais consenso
2 / 12

Abdel Moneim Aboul Fotouh, 61 anos. Islamista independente, médico, secretário-geral da União Médica Árabe, ex-membro do Gabinete d'Orientação da Irmandade Muçulmana, de onde foi expulso no ano passado, centrou a sua campanha na previdência social e na educação. Defende um Islão moderado, dirigindo-se tanto aos salafistas como aos liberais de Tahri, e promete nomear uma mulher ou um cristão copta como vice-Presidente. Os liberais vêem-no como alguém próximo. Dos candidatos, é o que reune mais consenso

Ahmed Shafik, 71 anos. Candidato independente, comandante da Força Aérea, foi o último primeiro-ministro da ditadura e é apoiado por figuras ligadas ao antigo regime. Fez da luta contra o crime e a segurança nas ruas do Egito o seu cavalo de batalha. Percorreu o país de lés a lés, defendendo que o seu passado de militar é uma vantagem neste período de transição. O mote da sua campanha foi "Ações e Não Palavras"
3 / 12

Ahmed Shafik, 71 anos. Candidato independente, comandante da Força Aérea, foi o último primeiro-ministro da ditadura e é apoiado por figuras ligadas ao antigo regime. Fez da luta contra o crime e a segurança nas ruas do Egito o seu cavalo de batalha. Percorreu o país de lés a lés, defendendo que o seu passado de militar é uma vantagem neste período de transição. O mote da sua campanha foi "Ações e Não Palavras"

Mohamed Morsy, 60 anos. Candidato e secretário-geral do Partido Justiça e Liberdade, a primeira força política do país e braço político da Irmandade Muçulmana. Professor de engenharia na Universidade de Zagazig, o mote da sua campanha foi o Ennahda ( Renascimento), baseado nos princípios islâmicos. Defende a privatização da indústria, desregulação e cortes nos impostos para estimular o crescimento. A favor de um sistema presidencial-parlamentar para a fase de transição
4 / 12

Mohamed Morsy, 60 anos. Candidato e secretário-geral do Partido Justiça e Liberdade, a primeira força política do país e braço político da Irmandade Muçulmana. Professor de engenharia na Universidade de Zagazig, o mote da sua campanha foi o Ennahda ( Renascimento), baseado nos princípios islâmicos. Defende a privatização da indústria, desregulação e cortes nos impostos para estimular o crescimento. A favor de um sistema presidencial-parlamentar para a fase de transição

Hisham el-Bastawissy, 61 anos. Candidato do partido Unionista Nacional Progressivo (Tagammu), juiz, presidente e procurador do Tribunal de Cassação, um dos mais importantes tribunais de Recurso do Egito. Defensor da independência judiciária e de um sistema de Governo presidencial e parlamentar, advoga o ensino gratuito para todos os egícpios até à universidade, bem como a renegociação ou fim da exportação de petróleo para Israel
5 / 12

Hisham el-Bastawissy, 61 anos. Candidato do partido Unionista Nacional Progressivo (Tagammu), juiz, presidente e procurador do Tribunal de Cassação, um dos mais importantes tribunais de Recurso do Egito. Defensor da independência judiciária e de um sistema de Governo presidencial e parlamentar, advoga o ensino gratuito para todos os egícpios até à universidade, bem como a renegociação ou fim da exportação de petróleo para Israel

Mohammed Salim Al-Aawa, 70 anos. Candidato independente, advogado e doutorado em Filosofia. Pensador islamista e membro "senior" do partido de centro Al-Wasat, é secretário-geral da União Internacional para Académicos Muçulmanos e co-fundador do Grupo Árabe para o Diálogo Cristão-Muçulmano. Defende que o comité que vai escrever a nova Constituição deve ser representativo de todos os setores da população. Advoga um sistema presidencial e parlamentar de Governo
6 / 12

Mohammed Salim Al-Aawa, 70 anos. Candidato independente, advogado e doutorado em Filosofia. Pensador islamista e membro "senior" do partido de centro Al-Wasat, é secretário-geral da União Internacional para Académicos Muçulmanos e co-fundador do Grupo Árabe para o Diálogo Cristão-Muçulmano. Defende que o comité que vai escrever a nova Constituição deve ser representativo de todos os setores da população. Advoga um sistema presidencial e parlamentar de Governo

Abul Al-Izz Al-Hariri, 68 anos. Candidato do partido da Aliança Popular Socialista, que ajudou a fundar após romper com o Tagammu, e membro-fundador da Associação Nacional para a Mudança, criada durante o regime de Mubarak. Defensor da justiça social e da redistribuição da riqueza, critica as ações do Tribunal de Justiça das Forças Armadas e advoga uma revisão das relações do Egito com os EUA e Israel
7 / 12

Abul Al-Izz Al-Hariri, 68 anos. Candidato do partido da Aliança Popular Socialista, que ajudou a fundar após romper com o Tagammu, e membro-fundador da Associação Nacional para a Mudança, criada durante o regime de Mubarak. Defensor da justiça social e da redistribuição da riqueza, critica as ações do Tribunal de Justiça das Forças Armadas e advoga uma revisão das relações do Egito com os EUA e Israel

Mahmoud Hossam El-Din Galal, 48 anos. Candidato independente, graduado pela Academia de Polícia, foi membro da Segurança do Estado e trabalhou no Departamento de Direitos Humanos da ONU para o Médio Oriente. Propõe repor a segurança e reduzir a força policial. O seu programa económico aponta para um reforço da produção agrícola
8 / 12

Mahmoud Hossam El-Din Galal, 48 anos. Candidato independente, graduado pela Academia de Polícia, foi membro da Segurança do Estado e trabalhou no Departamento de Direitos Humanos da ONU para o Médio Oriente. Propõe repor a segurança e reduzir a força policial. O seu programa económico aponta para um reforço da produção agrícola

Houssam el-Din Khairallah, 67 anos. Candidato do Partido da Paz Democrática, foi Assistent Chairman do General Intelligent Service até 2005, com o qual continua a ser conotado. Propõe o desenvolvimento da costa mediterrânica do Egito e a criação de um corredor de desenvolvimento agrícola desde o vale do Qattara até ao oasis do deserto de Western; e defende a divisão de poderes como prioridade da nova Constituição
9 / 12

Houssam el-Din Khairallah, 67 anos. Candidato do Partido da Paz Democrática, foi Assistent Chairman do General Intelligent Service até 2005, com o qual continua a ser conotado. Propõe o desenvolvimento da costa mediterrânica do Egito e a criação de um corredor de desenvolvimento agrícola desde o vale do Qattara até ao oasis do deserto de Western; e defende a divisão de poderes como prioridade da nova Constituição

Abdulla Alashaal, 67 anos. Candidato do Partido Autenticidade. Tem formação em economia e ciências políticas, é autor de 50 livros e foi por duas vezes Ministro dos Negócios Estrangeiros. Foi diplomata durante quatro décadas e dirigiu o comité independente para acompanhar a missão da ONU no conflito de Gaza. Com o seu "Projeto para a Recuperação Nacional do Egito", promete reduzir o desemprego, defende a reforma da agricultura e a revisão do Tratado de Paz com Israel
10 / 12

Abdulla Alashaal, 67 anos. Candidato do Partido Autenticidade. Tem formação em economia e ciências políticas, é autor de 50 livros e foi por duas vezes Ministro dos Negócios Estrangeiros. Foi diplomata durante quatro décadas e dirigiu o comité independente para acompanhar a missão da ONU no conflito de Gaza. Com o seu "Projeto para a Recuperação Nacional do Egito", promete reduzir o desemprego, defende a reforma da agricultura e a revisão do Tratado de Paz com Israel

Hamdeen Sabahi, 57 anos. Político e jornalista, candidato independente, foi um dos líderes da oposição antes da revolta egípcia de 2011. Membro-fundador da Associação Nacional para a Mudança, foi co-fundador do Kefaya!(Basta!), movimento criado em 2004 contra a corrupção e a sucessão hereditária de Mubarak na presidência. Defende a justiça social, a luta contra a pobreza e um referendo para a revisão do Tratado de Paz com Israel
11 / 12

Hamdeen Sabahi, 57 anos. Político e jornalista, candidato independente, foi um dos líderes da oposição antes da revolta egípcia de 2011. Membro-fundador da Associação Nacional para a Mudança, foi co-fundador do Kefaya!(Basta!), movimento criado em 2004 contra a corrupção e a sucessão hereditária de Mubarak na presidência. Defende a justiça social, a luta contra a pobreza e um referendo para a revisão do Tratado de Paz com Israel

Khaled Ali, 40 anos, o mais jovem dos candidatos. Advogado e ativista dos direitos humanos, fundador e diretor do Centro Egípcio para a Economia e Direitos Sociais e Económicos e co-fundador do Hisham Mubarak Law Centre. Recusa a entrada do FMI no Egito, e promete que pelo menos uma mulher e um cristão copta vão integrar o Governo
12 / 12

Khaled Ali, 40 anos, o mais jovem dos candidatos. Advogado e ativista dos direitos humanos, fundador e diretor do Centro Egípcio para a Economia e Direitos Sociais e Económicos e co-fundador do Hisham Mubarak Law Centre. Recusa a entrada do FMI no Egito, e promete que pelo menos uma mulher e um cristão copta vão integrar o Governo