Siga-nos

Perfil

Expresso

  • Desesperados. Mortos. Esquecidos

    Naquela noite a chuva trouxe desespero. E desesperou. Naquela noite a chuva veio para matar. E matou. Muito. Depois daquela noite a ditadura quis silenciar. E silenciou. Foi a maior catástrofe natural da História do país desde o terramoto de 1755, mas é uma tragédia praticamente apagada da memória coletiva. E há até quem não faça ideia do que aconteceu. Novembro de 1967, novembro de 2017: continuamos sem saber ao certo quantos morreram. Foram centenas, quase todos muito pobres. Só os que lá estiveram sabem como se viveu naquelas horas. E dão a cara. Ainda em lágrimas. Estivemos 50 anos sem saber deles. Este é um documento em nome dos esquecidos

  • Os desafios de se nascer cedo demais em Portugal

    Mais de um em cada dez nascimentos acontecem antes das 37 semanas de gestação. A Organização Mundial de Saúde é clara nas contas que faz: a cada ano nascem em todo o mundo mais de 15 milhões de bebés prematuros. Em vésperas do Dia Internacional de Sensibilização para a Prematuridade, que se assinala esta sexta-feira, é dela que falamos. São dois minutos e 59 segundos de jornalismo de dados, para explicar ao mundo os desafios de nascer cedo demais em Portugal

  • Guia para perceber o Orçamento do Estado para 2018

    Estamos perante um exercício eleitoralista ou uma visão de longo prazo para a economia? Para conseguir responder temos de olhar para os grandes números do Orçamento do próximo ano e comparar com os que andam a fazer os nossos parceiros europeus. Em 2018 vamos continuar a ser um dos países com menos carga fiscal e ao mesmo tempo com maior despesa, muito por culpa da elevada dívida pública. Resultado: apesar de um défice baixo vamos ser dos países que menos vão conseguir diminuir a sua dívida

  • Tancos: Exército termina transporte do material militar encontrado na Chamusca

    O Exército terminou esta quinta-feira de manhã o transporte do material militar roubado em Tancos, e encontrado na Chamusca após denúncia anónima. Ao todo, foram transferidas mil paletes, num total de 1100 toneladas de armamento, envolvendo 51 militares e mais de 30 viaturas e equipamentos pesados, entre os quais cinco camiões e plataformas, cinco viaturas táticas ligeiras, uma ambulância e quatro empilhadores

  • Como lê este país

    Que somos um país de poetas já todos sabemos. Mas será que lemos tanto quanto escrevemos? A realidade entre aquilo que se edita e aquilo que a população lê é muito diferente. E, sobretudo, coloca-nos na cauda da Europa no que respeita a hábitos de leitura. Jornalismo de dados em dois minutos e 59 segundos para explicar quem lê, o que lê e como lê

  • A grande montanha de fogo

    Uma semana depois dos incêndios que provocaram a morte de 42 pessoas, dois fotojornalistas do Expresso e da Visão que estiveram no terreno escolheram algumas das imagens que mais os marcaram. “Nos incêndios já assisti a coisas a que não queria ter assistido”

  • Marcelo, 19 anos, perdeu a avó e a irmã no fogo: “Não vamos voltar a ter uma vida normal, nunca mais”

    No dia em que passam quatro meses sobre as mortes de Pedrógão, há novos mortos por chorar. O país vestiu-se de luto, o território cobriu-se de cinzas e não há chuva que lave a revolta de quem ficou. Pela primeira vez, Marcelo Nunes, de Nodeirinho, conta como viu morrer a avó e a irmã de três anos. Partilha a dor por nunca ter tido ajuda e a raiva por não existir um plano de evacuação

  • “E as empresas querem o quê do mar?”

    Depois de a conferência Our Ocean 2017, no início de outubro, sublinhar os riscos e anunciar medidas para a sustentabilidade dos mares, a Fundação Gulbenkian lança um estudo que mostra as preocupações das empresas portuguesas e as oportunidades que eles detetam. Saiba quais em 2 minutos e 59 segundos

  • Já pensou em pagar a sua renda da casa com moedas digitais?

    Tirámos o dinheiro debaixo do colchão e depositámos as notas e as moedas nos bancos. Efetuámos pagamentos eletrónicos com cartões e transferências pela internet. E agora até já podemos pagar com moedas virtuais que não passam pelos bancos centrais. Jornalismo de dados em dois minutos e 59 segundos para explicar os bits e os bytes que estão a transformar as trocas económicas e as nossas vidas