Siga-nos

Perfil

Expresso

  • Os dados que provam que a cultura portuguesa está na moda

    Filas de gente à porta de instituições culturais para visitarem grandes exposições; milhares de pessoas a dirigirem-se para os monumentos nacionais. Em Portugal este cenário é cada vez mais frequente. E pela primeira vez, em 2016, os estrangeiros que presencialmente visitam monumentos equiparam-se aos números portugueses nas visitas aos museus nacionais. Que público são? O que preferem ver? Jornalismo de dados em dois minutos e 59 segundos. Para explicar o mundo dos museus

  • Ameaça ou encenação: este país pode mesmo começar uma guerra nuclear?

    Um dos maiores receios no que respeita à segurança internacional vem de um país de que muito se fala mas acerca do qual pouco se sabe. Quando é que surgiu a Coreia do Norte e como é se que se tornou um dos países mais misteriosos do mundo? E será mesmo uma ameaça real à segurança mundial ou tudo não passará de uma encenação destinada a manter vivo um regime autoritário e opressivo? Jornalismo de dados em dois minutos e 59 segundos. Para explicar o mundo

  • Acha que sabe o que é uma família?

    O conceito tradicional de família está a mudar. Está a diversificar-se. Há cada vez mais filhos que nascem de casais que não são casados ou que não vivem juntos. E a parentalidade individual, em especial para as mulheres, deverá aumentar. Uma família já não é só pai, mãe e filhos. Jornalismo de dados em dois minutos e 59 segundos. Para explicar o mundo

  • Afinal, somos refilões ou acomodados?

    Períodos de fidelização, faturação a mais, mau serviço nos transportes, atrasos nas respostas dos serviços públicos, viagens compradas na internet: são muitos e variados os motivos que levam os portugueses a reclamar dos serviços prestados por empresas e pelo Estado. As operadoras de telecomunicações lideram a lista, mas os protestos estendem-se a fornecedores de eletricidade e gás ou a compras online. E cada vez mais os portugueses fazem questão de expressar a sua indignação. Jornalismo de dados em dois minutos e 59 segundos. Para explicar o mundo e as indignações

  • Taça de Portugal: três adeptos detidos no Jamor

    A PSP deteve esta tarde três adeptos no Jamor por posse de artefactos de pirotecnia e estupefacientes. A subcomissária Helga Fiúza da PSP diz que, além das três detenções, o ambiente no Jamor tem estado tranquilo.

  • Uppgivenhetssyndrom

    Os imigrantes mais jovens na Suécia sofrem hoje uma terrível ameaça silenciosa. A ausência de uma decisão sobre os seus pedidos de asilo e a impossibilidade de se reunirem com as famílias condenam centenas de crianças refugiadas a um estado de apatia extrema: chamam-lhe “Uppgivenhetssyndrom”, em que os pacientes parecem ter perdido a vontade de viver. A doença, semelhante a um estado de coma, só parece verificar-se na Suécia e entre refugiados. Estivemos lá e observámos os esforços da sociedade civil para acudir os menores desacompanhados - e não só - que fogem do horror

  • A equipa com melhores números não ganhou à equipa com melhores jogadores

    Há uma verdade na bola que diz que o futebol é um jogo coletivo e que o coletivo com melhor rendimento é que ganha campeonatos. E isso é... verdade, mas até um certo ponto: esta época, o FC Porto rematou mais vezes à baliza, rematou mais vezes enquadrado e também fintou e cruzou mais do que o Benfica - e permitiu menos remates. Só que as mesmas estatísticas que aparentam superioridade coletiva do FC Porto mostram que o Benfica é muito, muito superior quando comparamos os craques de cada clube. E uma nota adicional: o Nacional, que desceu de divisão, rematou mais do que o Sporting. Jornalismo de dados em dois minutos e 59 segundos. Para explicar o mundo - neste caso, o da bola