19 de abril de 2014 às 12:30
Página Inicial  ⁄  Sociedade  ⁄  Morreu Manuel Cintra Ferreira

Morreu Manuel Cintra Ferreira

Morreu Manuel Cintra Ferreira, programador da Cinemateca e crítico de cinema do Expresso, vítima de cancro. Corpo está hoje na Igreja de Campo de Ourique
Lusa
Manuel Cintra Ferreira tem sido um dos mais influentes e estimados críticos de cinema do país. A sua ação de programador da Cinemateca portuguesa é menos conhecida mas formou várias gerações de cinéfilos Manuel Cintra Ferreira tem sido um dos mais influentes e estimados críticos de cinema do país. A sua ação de programador da Cinemateca portuguesa é menos conhecida mas formou várias gerações de cinéfilos

Manuel Cintra Ferreira, crítico de cinema do Expresso e programador da Cinemateca, morreu ontem aos 68 anos em Lisboa, vítima de cancro, disse à agência Lusa o produtor Manuel Fonseca. 
 
Manuel Cintra Ferreira, nascido em Lagos em 1942, trabalhou no Expresso como crítico de cinema desde meados dos anos 1980 e era um dos mais antigos programadores da Cinemateca Portuguesa. 
 
O corpo de Manuel Cintra Ferreira está hoje em câmara ardente na Igreja de Campo de Ourique, em Lisboa, e o funeral realiza-se na terça-feira, às 12:00, para o cemitério do Alto de São João, onde será cremado. 

"Respirava cinema" 


Manuel Cintra Ferreira era um "homem que respirava cinema por todos os poros (...). Vivia para o cinema e tinha a mais prodigiosa memória. Se havia um filme que o Cintra não encontrava, não existia", disse à Lusa Jorge Leitão Ramos, também crítico de cinema do semanário Expresso. 
 
Recentemente, Manuel Cintra Ferreira doou à Cinemateca cópias de dois filmes de eleição: "A desaparecida", (1956), de John Ford, e "O ladrão de Bagdad" (1940), de Michael Powell, Ludwig Berger e Tim Whelan. 
 
A Cinemateca retribuiu o gesto com a exibição de alguns dos filmes preferidos de Manuel Cintra Ferreira. 











Comentários 1 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Fica o seu trabalho!
Uma perda para a cultura e cinema portugueses... Esperemos que o seu legado continue na Cinemateca.
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub