24 de abril de 2014 às 23:15
Página Inicial  ⁄  Sociedade  ⁄  Morreu Harvey Pekar, escritor de BD (1939-2010)

Morreu Harvey Pekar, escritor de BD (1939-2010)

Encontrado morto, ontem, um dos mais populares autores de BD alternativa. Harvey Pekar, autor de "American Splendor", tinha 71 anos.
Maria Luiza Rolim (www.expresso.pt)
Harvey Pekar, autor de American Splendor Mark Duncan/AP Harvey Pekar, autor de American Splendor

Norte-americano, irreverente, Harvey Pekar inspirou-se na própria vida - do tempo em que era empregado de um hospital - para criar a sua obra mais famosa. A série cult "American Splendor" resultou da sua amizade com o desenhador Robert Crumb, com quem assinou também "Bob & Hary- Dois Anti-Heróis Americanos".

"American Splendor", ilustrada por Crumb, começou a ser publicada em 1976. Entre esse ano e 2008, foram publicadas 39 edições. Até 1991, a revista foi publicada como edição de autor. Seguiram-se outras edições em parceria com a Tundra, a Dark Horse Comics e a DC Comics, que publicou duas minisséries de "American Splendor" pelo selo Vertigo.

Obras biográficas ou autobiográficas


Um dos últimos trabalhos de Harvey Pekar, "The Beats", conta a vida dos escritores que fizeram parte do movimento beatnik , tais como Allen Ginsberg, Jack Kerouac e William S. Burroughs.

Outro dos seus trabalhos foi "Our Cancer Year", publicado em 1994 pela editora Four Walls Eight Windows. Coescrito por Brabner e ilustrado por Frank Srackm o livro narra o período em que Pekar foi diagnosticado com cancro linfático.

Já "American Splendor: Unsung Hero", de 2003, é a biografia de Robert McNeill, um veterano do Vietname que trabalhou com Pekar no Vetern's Administration Hospital, em Cleveland.

Casou três vezes. O seu terceiro casamento foi descrito em "American Splendor 10", na história "Harvey's Lactes Crapshoot: His Third Marriage to a Sweetie from Delaware and How His Substandard Dishwashing Strains Their Relatioship".

Interessava-se "pela vida quotidiana, pelo humor do inesperado e pela música. Curiosamente, a sua grande paixão não eram os quadradinhos, mas o jazz, tema sobre o qual escrevia, com profundidade, desde a década de 50".

O escritor foi encontrado morto esta segunda-feira, pela mulher, na sua casa de Cleveland, Ohio, EUA. Sofria de cancro, mas ainda não foram divulgadas as causas da morte.

Comentários 0 Comentar
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub