21 de setembro de 2014
Página Inicial   >  Opinião  >   Miguel Sousa Tavares

O verão já ficou mesmo para trás

 | 

Quem vive à conta, jamais quer ser independente.Por muito que o proclame. 

 

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

A questão do Estado

 | 

O melhor ministro deste Governo é Paulo Macedo, o ministro da Saúde. Já enquanto director-geral dos impostos, ele tinha mostrado respeito pelo dinheiro do Estado, dando passos decisivos na eficácia e transparência do sistema fiscal, conduzindo a duas coisas essenciais: mais cobrança fiscal (sem subida de impostos) e à imagem de um sistema fiscal justo e igual no tratamento para todos. A mesma atitude de serenidade e determinação tem igualmente caracterizado a sua passagem pela dificílima pasta da Saúde no actual Governo. 

 

 

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

30 dias

 | 
Assisti, entre o espanto e o terror, aos sucessivos golpes fatais que o governador do Banco de Portugal tem dado no seu Novo Banco/Banco Bom.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .


O dinheiro

 | 

A Argentina é um país com "marca" - isto é, um país com uma identidade e uma personalidade que o fazem diferente de todos os demais. E Buenos Aires, além de ser uma das cidades mais bonitas que já conheci, é uma capital marcada pelo melhor das influências culturais e civilizacionais dos emigrantes que fizeram a Argentina - espanhóis, ingleses, italianos, franceses.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

Rendição em Timor

 | 

Enquadrado por uma secção privada de "gorilas", encarregues de o proteger contra os seus novos pares da CPLP, o presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, repetia "sim, sim", a todas as perguntas que lhe colocavam na sua nova língua de Camões.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

O lado de que sopra o vento

 | 

Os meus primeiros dias de praia entraram como nos sonhos de Inverno: um céu azul, um mar de ondas suaves, o ar quieto de vento. Como se o lado de que sopra o vento, o barlavento, se tivesse esquecido do seu nome e tivesse sustido o ímpeto do vento norte por alturas da Serra do Espinhaço de Cão.

 

Para continuar a ler o artigo, clique  AQUI .

Uma política externa que nos envergonha

 | 

Provavelmente não haverá país algum no mundo cuja política externa seja determinada exclusivamente por louváveis princípios ético-políticos. Mas há diferenças: há uma diferença abissal entre a política externa de países como a Suécia ou a Noruega ou a de um país como a França, onde noções como a ética, a justiça e a verdade são substituídas por um oportunismo e uma falta de princípios de toda a ordem, que são a imagem de marca da diplomacia francesa no mundo.

Para continuar a ler o artigo, clique  AQUI .

 

Em nome de Alá, o misericordioso

 | 

No final do jogo Argélia-Rússia, que, pela primeira vez na história dos Mundiais de futebol classificou a Argélia para os oitavos de final, um jogador argelino, nascido e treinado para o futebol em França, declarou, erguendo o punho e frente a uma audiência planetária, que a vitória era "para todos os argelinos, para todos os árabes e para todos os muçulmanos".

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

Uma leve brisa de ar fresco

 | 

Só o simples facto de termos ouvido alguém a pensar política para lá do espesso nevoeiro destes longos dias foi um sopro de brisa fresca.

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .


A estação dos consensos

 | 

Chegou a altura de António Costa começar a falar para os portugueses e não apenas para dentro do PS.

 

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub