20 de abril de 2014 às 1:37
Página Inicial  ⁄  Blogues  ⁄  Politicoesfera  ⁄  Miguel Relvas, o "diabinho negro"

Miguel Relvas, o "diabinho negro"

João Lemos Esteves (www.expresso.pt)

1. As declarações do Bispo D. Januário Torgal suscitaram a indignação profunda do Governo, com o Ministro da Defesa Nacional, José Pedro Aguiar-Branco, a ser o mais truculento nas suas críticas. O argumento foi o mesmo de sempre: o Bispo deve limitar-se a rezar as suas missas, fazer as suas orações - e deixar a política para os políticos. Este é um argumento completamente desprovido de sentido: então, o talhante não pode pronunciar-se sobre questões políticas, pois a sua função é cortar carne; o jardineiro, não pode opinar sobre os assuntos mais relevantes da colectividade, pois a sua função é tratar das tulipas e das rosinhas; o matemático não pode contestar o Governo, pois só se deve exprimir para transmitir a magia e complexidade dos números. Como se pode ver, trata-se de um argumento ridículo. Além do mais, o Bispo integra-se numa instituição com um grande enraizamento popular em Portugal - a Igreja Católica - cujo trabalho social é notável, permitindo mitigar o sofrimento e as dificuldades de muitos dos nossos compatriotas. Se há instituição que pode e deve tecer comentários políticos em Portugal, essa instituição é a Igreja Católica. Porque sente as aspirações e angústias das pessoas. Porque sabe a dimensão exacta das suas dificuldades diárias. Porque é no serviço para o outro e pelo outro que a Igreja Católica se define e se concretiza em cada momento histórico. Nem se diga que há uma interdição geral de os Bispos intervirem no comentário político decorrente do princípio da laicização do Estado: a laicização, prevista no artigo 41.º/4 da Constituição da República Portuguesa, significa que o Estado não pode adoptar uma religião oficial, nem pode interferir na organização interna e no funcionamento dos serviços de culto. De outra banda, a Igreja Católica não poderá desempenhar funções políticas - mas deve sempre pronunciar-se sobre a política e o destino de Portugal.

2. Isto dito, o ponto mais polémico da entrevista de foi a afirmação de que os nossos políticos - muitos deles - comportam-se como "diabinhos negros", defendendo os seus próprios interesses e descartando para um plano secundário o interesse nacional. Ora, D. Januário tem toda a razão: podemos ou não discordar do seu estilo acutilante, sem rodeios, mas todos sabemos que os governantes dos últimos largos anos se enredaram em teias de interesses, tomando decisões muito negativas para Portugal. Mas todos sabemos quem é o principal alvo de D.Januário: Miguel Relvas. Miguel Relvas representa a antítese do "governante ideal", preocupado com o devir colectivo. Como D. Januário referiu - e muito bem! -, há políticos que subiram brutalmente na vida após desempenharem cargos públicos. Ora, Miguel Relvas melhorou exponencialmente a sua vida após a passagem pelo Governo Durão Barroso, o que explica que seja um dos Ministros com rendimentos mais elevados, apenas superado por Paulo Macedo.

Enfim, Miguel Relvas tem um passado que suscita dúvidas, inquietações, suspeitas. Tem um presente fragilizado pelo caminho facilitista que resolveu seguir. Miguel Relvas é o verdadeiro défice de Portugal: representa a vitória do "chico-espertismo", é encarado como o representante dos lobbys no Governo , difundindo a desconfiança crónica entre os portugueses. É que se Miguel Relvas actua com pouca transparência na sua vida privada, legitimamente, podemos desconfiar que não altera os seus padrões quando trata de assuntos públicos. Miguel Relvas, numa frase, representa o verdadeiro défice português: o défice de qualidade políticas e éticas dos que nos governam. Se Passos Coelho não demitir Miguel Relvas até Setembro/Outubro, pagará uma enorme factura política. Ele é o diabinho negro do Governo.

Email:politicoesfera@gmail.com

Comentários 14 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Momentum
Relvas está esgotado,meu caro. Há que passar ao próximo ministro.
Recordo que já "tratou" de Passos , Paulo Macedo e Álvaro.
Os ministros são poucos, mais ainda faltam uns quantos que necessitam tratamento adequado.

Quanto ao bispo estar a falar de Relvas é de sua autoria e acho que está enganado. O bispo, ao contrário de si, não individualiza, trata o assunto por atacado, e chama corruptos a todos. Poupa-se tempo e palavras, é mais abrangente e mais igualitário, Ninguém se fica a rir........
Ó Lemos,deixe o Relvas em paz! Ver comentário
O AGUIAR PASSOU-SE DE VEZ!
Não sendo eu católico, contudo defendo que o Bispo pode usar da mesma liberdade de expressão individual de qualquer português! Por este andar qualquer dia os Bombeiros também não podiam falar, porque só t~em que apagar fogos, os médicos também não, por que só t~em que operar. Por exclusão de artes e oficios, qualquer dia era preciso ser politico para poder mandar faladura!
Está no ADN dos sucessores de Salazar!
Re: O AGUIAR PASSOU-SE DE VEZ! Ver comentário
Re: O AGUIAR PASSOU-SE DE VEZ! Ver comentário
RTP gasta 500milhões:privatizar já!
Já e depressa:500 milhões? É um escândalo esta RTP!
Não é Portugal um Estado laico?
Habituados aos comentários despropositados do sr. bispo, a pergunta que faço é: MAS ALGUÉM OUVE O QUE ELE DIZ?
Ou melhor, ouvindo-se, pq dpx os jornais não falam de outra coisa, ainda há alguém que tenha em conta o que o bispo diz?
O sr que se diz tão preocupado com a pobreza, com a corrupção, com essas coisas todas, chegou à posição que ocupa por mérito próprio??? Avaliando o seu registo truculento tão caracteristico, reúne ele condições para ocupar a posição hierarquica que ocupa no seio do organigrama da igreja? quais são os valores que ele defende quando incita à desordem e à arruaça? isto é que é ser um bom cristão?
levantar falsos testemunhos não é pecado? é que ele inventa que os membros do governo são corruptos, faz acusações não consubstanciadas, e isso é exercer liberdade de expressão?
É este o exemplo que se espera de um bispo? e depois aigreja admira-se que a população ande arredada das lides católicas... com abrutalhados deste feitio, como poderia ser o contrário????
PS.: Dá-lhe Esteves, estás no bom caminho...mais um comentário à tua medida! um verdadeiro ZERO!
Re: Não é Portugal um Estado laico? Ver comentário
Re: Não é Portugal um Estado laico? Ver comentário
Re: Não é Portugal um Estado laico? Ver comentário
Só lhe falta o ancinho que vermelho já ele fica!
Portugal, ditosa Pátria... rincão sagrado da cepa lusitana, tem destas coisas...

Toda a europa fica a saber que um tal Relvas teve tratamento de favor para obter uma licenciatura super-rápida...Em Portugal, a ética, a igualdade de oportunidades, o escrúpulo, andam longe do horizonte dos nossos políticos...
Na Volta à França A CHACOTA atigiu o cume ...o clímax, o apogeu!... E o país inteiro assiste, atónito, a este queimar em lume brando de um governo que... talvez por gratidão, continua a manter no seu seio alguém que já deveria ter tido o discernimento de poupar o primeiro ministro e todo um povo à CHACOTA internacional!...

Que se demita ... ou o demitam... ou o exonerem!
Re: Só lhe falta o ancinho que vermelho já ele fic Ver comentário
Re: Só lhe falta o ancinho que vermelho já ele fic Ver comentário
Tu és tão burro!
O Aguiar Branco foi truculento e o Torgal Ferreira foi acutilante? Quer dizer, se eu te chamar «cara de cú mal parido» estou a ser acutilante e se tu me retorquires que eu sou um malcriado estás a ser truculento?
Se eu estivesse no Governo e tivesse ouvido o Sr. Ferreira dizer que «este governo é profundamente corrupto» na hora cravava-lhe com um processo crime nas ventas. Oh se era!
Como o Sr. Ferreira está de bispo das forças armadas, quando fala está-se tudo a defecar, digamos, para o Sr. Ferreira, está é tudo a prestar atenção ao distinto capelão da FA. E a um bispo. Dá para entender, ou não?
E lá sobre saber se é o que pensa a parolada toda como tu, não tem interesse nenhum. Cada um que pense o que quizer. Mas, cada um, e sobretudo quem tem responsabilidades morais ou éticas, não pode vir afirmar publicamente que este governo é profundamente corrupto, e lançar merda na ventoinha sobre toda a gente. Se quer acusar, acho muito bem, acuse quem merece e excepcione os outros.
Mesma coisa que dizer (há parolos que também dizem) que esta Igreja é toda pedófila. Concordas? Eu não, mas lá que lá há alguns pedófilos, há.
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub