Anterior
A ditadura da fenprof e do Prof. Mário Nogueira
Seguinte
Os srs. juízes do Tribunal Constitucional não consultam a Net?
Página Inicial   >  Blogues  >  Estado da Nação  >   Miguel Relvas e José Sócrates: o mesmo preconceito
vídeo

Miguel Relvas e José Sócrates: o mesmo preconceito

|
Clique para saber mais sobre o blogue e a autora do Estado da Nação .

Opinião


Multimédia

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

United Colors of Gnocchi

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.


Comentários 33 Comentar
ordenar por:
mais votados
A autora tem certezas baseadas na sua ignorância
Há muito preconceito social à solta? Sério?

Não se trata de preconceito mas sim de seriedade no que diz respeito à obtenção de um grau/título académico.

E, para que conste, não faço parte daqueles que acha que a posse de um título académico é necessária para o exercício de um cargo público de elevada relevância como é o caso de um governante.

Não se trata de saber se o título académico superior é necessário ou se é irrelevante para o exercício do cargo público.

O que está em causa é a seriedade e os métodos adoptados para se obter o dito cujo título académico.

A autora revela igualmente uma certa tendência para a falácia primária, para o tiro ao lado e para a superficialidade analítica.

Antes de mais nada, ninguém, algum dia, em Portugal, questionou este ou aquele político por ter feito a sua formação superior na "universidade certa" ou na "universidade errada".

O que está em causa não são questões de origem familiar ou de "universidades certas ou erradas" (questões que ninguém levantou), mas sim questões de honestidade, seriedade, lealdade, rigor, exigência e respeito pelos princípios orientadores da obtenção de um título académico, título esse que, para todos os efeitos, se traduz em competências e saberes superios que, normalmente, não se adquirem numa esquina.

Talvez a autora deste blogue ficasse satisfeita de ter juízes e advogados licenciados como Relvas. Os tribunais portugueses deixariam de ser "preconceituosos" e a justiça també, não é?
Re: A autora tem certezas baseadas na sua ignorânc
Re: A autora tem certezas baseadas na sua ignorânc
Re: A autora tem certezas baseadas na sua ignorânc
Re: A autora tem certezas baseadas na sua ignorânc
Re: A autora tem certezas baseadas na sua ignorânc
Re: A autora tem certezas baseadas na sua ignorânc
Re: A autora tem certezas baseadas na sua ignorânc
Re: A autora tem certezas baseadas na sua ignorânc
O preconceito é sonoro...

... ou é suposto aprendermos a ler os lábios?
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
Re: O preconceito é sonoro...
SR
Mamão, papaia ou ababaia é um fruto do mamoeiro ou papaeira, árvores das espécies do género Carica, especialmente da Carica papaya.
Original do México e países vizinhos é atualmente cultivado em vários países tropicais e não só.Portugal começou a sua safra em meados de 1974 tendo-se produzido em escala controlada, mas após vários resultados e lucros abastados a certas famílias produtoras, hoje atingiu um grau de epidemia sem controlo, tocando em várias áreas da economia, e mais subtilmente e carinhosamente se dá nome aos mamões e sua classificação conforme os resultados.
MAMÃO-VAU, COELHA, VARA, SUCATA, SUBMARINO, COVABEIRÃO-FELGUEIRINHA, QUANTOSSÃO, SÓCRATES, XERNE, etc., ETC.
Só neste país bem pequeno se consegue uma grande variedade demonstrando ao mundo que somos bem grandes no cultivo do MAMÃO.
lol
O que é isto expresso?
Aceitamento.
Já de à muitos anos a ésta parte se vulgarizou o oportunismo e a vigarismo.É a cultura do esperto que se safou e enganou meio mundo e passa ser considerado como herói.Pelo facto de aceitar-mos e praticar-mos este tipo de filósofia que ,portugal está na situação numa exelente situação.
Sobre o autor..
A mensagem seria interessante nao tivesse como autor um fundador de um blog de apoio ao PSD.

Ou seja, o autor nao tem credibilidade para questionar o preconceito social dos Portugueses sem se identificar como militante e/ou apoiante do PSD.

Devo concordar que o locutor peca pelo tom enfadonho e estupidamente ironico.

O preconceito social esta mais relacionado com os "atalhos" disponiveis para titulares de cargos politicos que nao nasceram no berco certo, ou nao frequentaram a universidade certa. Aos demais cidadaos 'e pedido que se esforcem, que sejam exigentes, que trabalhem para pagar propinas, que estudem muito pois nao tiveram a sorte de nascer no berco certo, frequentar a universidade certa, etc e tal.

Ao enveredarem por esses caminhos, sao os proprios Relvas, Socrates e Coelhos a legitimar o preconceito, ao estilo medieval, onde se compravam titulos de nobreza.

O autor deveria limitar-se ao blog que criou de apoio ao psd em vez de tentar tapar o sol com a peneira e desviar atencoes do Ministro Relvas, um corrupto e mentiroso de carreira, e do Primeiro Ministro que o protege ao mesmo tempo que exige sacrificios e exigencia aos Portugueses advogando um corte com o passado recente.

O espelho que diz...
mas haverá melhor , mais bonito, mais dotado, mais inteligente, mais esperto que eu ?

Eu, que palmilhando a rota dos preconceitos - necessários à chegada a um alto cargo no Estado -tudo venci e todas as mézinhas necessárias usei - bem comportadinho, inscrito numa Jota da Ordem , apoiado por umas Lojas das mais conceituadas ou então por J. Maria Escrivá - enfim cheguei ao galho mais alto, lutando contra Reis , Barões e Baronesas - que não havendo melhor - e estando eles/as já cansados/as de tanto lidar - terão que me aceitar - bonito /a como sou , só que tem que me "engolir" vivinho" como quem come uma "amora" ao lado duma vaquinha campestre - bonacheirona. Esta sabe que o touro acabado de entrar na lide - lhes vai manter as suas "faenas" já ganhas e para durar...

Estou, pois, pronto para a liderança... Façam favôr de me levarem ao sitio do "picapau mais alto" porque mereço...e não decepcionarei os meus Inteligentes mesmo que seja à custa dos peões de brega...

Ansiosamente aguardando, Vosso e dedicado Português:

José Popular , de Rafael Bordalo Pinheiro.
...
Eu acho que se está a misturar aqui alhos com bugalhos o que não está correcto...

Preconceito é um sinónimo e Mentira é o que se aproxima destes dois governantes que representam/representaram orgãos de soberania e foram eleitos pelo povo ... como tal é mais a falta de respeito que se vê a olho nu...

E o que mais me repugna é ver nos cheques bancários a sigla Dr./Eng. ... isso sim é regredir no tempo... e mais grave ainda é ao telefone pedirem que os tratem por Dr./Eng. Temos uma sociedade espectáculo em várias vertentes ...

Por isso não atire areias para os olhos e conheço Engº,. Agrónomos Doutorados que estão desempregados há + de 4 anos...

Por último ... admiro a cultura dos espanhóis que dão tão pouca importância títulos ... a abertura de tratamento é impressionante ...

É caso para dizer em casa de ferreiro espeto de pau...
Oh meus.....amigos?
O problema não é o preconceito (ele existe) nem a seriedade (ela não existe), o problema é o "tacho seguinte". Eles sabem que tem a vida curta e os "Motas", as "Lusopontes", as "Brisas", as "EDP's" , as "CP's", as "Refer's", as "Galp's" já têm filas à porta.....francamente não existe lugar para todos, se ainda por cima não é "Doutor" mesmo que "martelado", nem a Vogais chegam, vaí daí......
Comentários 33 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub