Anterior
Tribunal Constitucional e a reacção mesquinha de Passos Coelho
Seguinte
Miguel Relvas e o erro monumental da JSD
Página Inicial   >  Blogues  >  Politicoesfera  >  Miguel Relvas: a falta de vergonha tem limites?

Miguel Relvas: a falta de vergonha tem limites?

|

1. Miguel Relvas? Miguel Relvas? Que mais posso eu dizer...Como sabem, caros leitores, tenho dedicado vários textos a esta personagem da nossa vida política. Que mais posso dizer? Que Miguel Relvas não tem credibilidade para ser porteiro do meu prédio, quanto mais Ministro de Portugal? Isso já todos sabemos . Que Miguel Relvas mente e mente muito sobre qualquer matéria, em benefício dos seus próprios interesses? Já não há leitor que duvide desta constatação. Como é que Miguel Relvas continua a desempenhar cargos governativos em Portugal? Fácil: porque os políticos portugueses (com honrosas excepções) têm medo uns dos outros e das várias teias de influência que foram tecendo. Passos Coelho deve um (ou mais?) favorzinhos a Miguel Relvas e a José Luís Arnaut (a nomeação para a REN não foi mera coincidência e só surpreendeu os mais distraídos) e, por conseguinte, não os pode afastar - caso contrário, estaria a assinar o seu certificado de óbito político. É triste esta realidade? É, muito, muito triste. Infelizmente, a verdade é que a nossa democracia carece de uma reforma estrutural.

2. Dito isto, este texto surge na sequência da nova polémica (outras aparecerão, estou certo) que envolve Miguel Relvas: a sua "licenciatura" em Ciência Política e Relações Internacionais foi tirada em tempo supersónico, recorrendo ao expediente das "equivalências". Mais: apurou o Expresso que só três das cadeiras do curso de faz de conta de Miguel Relvas tinham professor. Entretanto, o processo de Miguel Relvas, na Universidade Lusófona, foi tornado público: confirmou-se que houve um processo de claro favorecimento a Miguel Relvas, sendo o seu diploma obtido de forma tão fácil como se tivesse sido atribuído por uma marca de cereais ao pequeno-almoço.

3. Posto isto, resta o nosso comentário. Falar sobre Miguel Relvas é falar sobre um grupo de políticos que ao longo dos últimos anos (décadas) foi beneficiando de um conjunto de favores por parte de diversos empresários e entidades, devido aos cargos que forma ocupando na vida pública portuguesa. Sabe-se que em Portugal os empresários não se metem com o poder político e tentam agradar às figuras políticas que julgam ter grande peso nos partidos políticos: no caso de Miguel Relvas, a Universidade Lusófona até o destacava na sua lista de "famosos" por si licenciados. Todos nós já concluímos que a licenciatura de Miguel Relvas vale zero - é um caso ainda mais grave do que o de José Sócrates - e a Universidade Lusófona objectivamente prestou um favor a Miguel Relvas: o currículo desta nossa personagem política não permitiria, de modo algum, obter um curso por equivalências. Afirmar que Miguel Relvas poderia ter tirar um curso universitário de Ciência Política e Relações Internacionais por equivalência, devido aos cargos políticos que foi desempenhando, é o mesmo que afirmar que a Tia Mercília, da Gafanha da Nazaré, pode dirigir-se à Universidade Lusófona para pedir a equivalência do curso de Gestão e Economia devido á sua larga experiência na gestão da mercearia local! Ouvi dizer que ela trata das contas do pão e da banana como ninguém - e, no fundo, tratar das bananas é o mesmo que gerir as contas públicas nacionais! Enfim...

4. Entendamo-nos: o que repugna no caso da pseudo-licenciatura de Miguel Relvas é a circunstância de esta personagem política não ter o mínimo de respeito por si próprio. Se tivesse o mínimo de carácter, jamais aceitaria tirar um curso nestas circunstâncias. É precisamente nestes pequenos episódios - que alguns desconsideram por se tratar apenas de um curso - que se revela o carácter, a fibra, a seriedade das pessoas que nos governam. Se Miguel Relvas tem escrúpulos e uma falta de vergonha tal que lhe permite esta chico- espertice de tirar o curso sem praticamente ir à Universidade - e, ainda por cima, sempre gostou de proclamar que é licenciado - é capaz de todas as trafulhices. Não é uma pessoa séria, honesta, exigente para consigo e com sentido do ridículo: se não no que toca aos assuntos da vida particular, não o poderá ser (nunca!) na gestão da coisa pública. O episódio da licenciatura é o retrato perfeito de Miguel Relvas: alguém que nasceu nas estruturas partidárias e construiu uma teia de influências, de favores e favorzinhos, que o permitiu subir na vida. Miguel Relvas não serviu a política portuguesa; serviu-se da política prosseguindo o seu interesse exclusivamente pessoal. Enriqueceu (e muito) à custa de servir Portugal, servindo-se a si. Com uma licenciatura que vale zero, construindo uma empresa cuja actividade ninguém (ou poucos) conhece realmente, Miguel Relvas construiu uma fortuna pessoal. Sabe que, de acordo com as declarações de rendimentos entregues no Tribunal Constitucional, Miguel Relvas é dos ministros com rendimentos mais elevados, só superado por Paulo Macedo? Como?

5. Em conclusão, o episódio da licenciatura de Miguel Relvas não é grave por si: é gravíssimo porque revela que Miguel Relvas não sabe actuar de forma séria - a sua vida pessoal, e por maioria de razão política, está cheia de episódios mal contados. Miguel Relvas não sabe ser sério na gestão dos seus asssuntos pessoais - logo, não sabe ser sério na gestão dos interesses de Portugal. Este homem não pode ser Ministro de Portugal. Demita-se, Miguel Relvas, e saia com um pouco de dignidade. A seu bem e a bem de Portugal. Já hoje.

Email:politicoesfera@gmail.com


Opinião


Multimédia

Retrato político de um país livre

Traçámos um mapa partindo dos resultados das eleições para a Assembleia Constituinte de 1975 e dos resultados das últimas eleições legislativas em 2011. O que mudou ao longo desse tempo? Como é que cada concelho votou em 1975 e em 2011? E como evoluiu a abstenção? Clicando sobre o ano e depois sobre os concelhos, no mapa ou no filtro, surgem as respostas.

Quase ninguém ficou em casa

Foi num 25 de Abril como o deste sábado, mas há 40 anos e numa liberdade então recentemente tomada: a 25 de Abril de 1975, Portugal testemunhou as primeiras eleições livres e universais após quase meio século de ditadura. Estas são as histórias, os retratos, os apelos e as memórias de um tempo que mudou o rosto do país.

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

26 mil esferográficas, 14 mil urnas e 760 quilos de lacre. Os números de uma eleição histórica

Mais de mil caixas de lacre foram usadas pelas secções de voto que por todo o país, no dia 25 de abril de 1975, recolheram os boletins de milhões de eleitores. O Expresso percorreu os quatro mapas de despesas das eleições para a Assembleia Constituinte, elaborados pelo STAP, para saber quanto dinheiro esteve envolvido, onde e como foi gasto. Cada valor em escudos foi convertido para euros a preços correntes, tendo em conta a inflação. 

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.


Comentários 59 Comentar
ordenar por:
mais votados
Relvas rua...
Não há quaisquer dúvidas de que Relvas tem que cair e que é uma pessoa que não queremos ver sequer próxima da actividade política, mas...

1) Que isto não seja utilizado para dizer que o curso de Sócrates ao fim de semana afinal não tem problema

2) Que as reformas em curso não devam ser feitas na mesma (em especial o mapa autárquico)

Muitos dos que o estão a atacar, fazem-no por objectivos diferentes. Espero que Relvas saia do governo, mas que o novo ministro tenha a coragem de levar para a frente as reformas que se exigem.

E, caro JLE, vc que anda aí tão entretido como jotinha: não quer bater já em alguns desses artistas ANTES de eles chegarem a ministros e cairem em desgraça? É que depois é fácil. E estas personagens não começam a abusar quando chegam a ministros. O filme começa desde os tempos das Jotas (ver artigo do DO).

Cmps,

António

oreivaivestido.blogspot.pt/2012/07/portugal-iii-republica.html
Re: Relvas rua...
Re: Relvas rua...
Re: Relvas rua...
Quem consente o Socas durante 7 anos....terá que
Re: Quem consente o Socas durante 7 anos....terá q
Re: Quem consente o Socas durante 7 anos....terá q
Re: Quem consente o Socas durante 7 anos....terá q
Re: Relvas rua...
Re: Relvas rua...
e vai mais um...
Do alto da sua sapiência e superior idoneidade,prenda-nos esta semana com mais um espetacular artigo de opinião,imaginativo mas esclarecedor... muito obrigado!
Deixo aqui uma questiúnculazinha, se ler o CM de hoje ainda consegue aduzir mais uns pozinhos mágicos nas suas espetaculares crónicas, pq o jornalismo de investigação prendado deste país "soube" do novo amor do ministro adjunto. Logo, pq o ministro se divorciou e encontrou um novo amor, se enveredar pela parte do divórcio dirá logo que nem a ex-mulher o conseguia aturar...se alinhar pelo novo amor, dirá, até quando o novo amor do ministro o aturará???
Veja-se lá ao ridiculo a que chegamos só pq querem puxar o tapeta ao ministro adjunto... infelizmência de falsos moralistas que passeiam pelos comentarios e opiniões dos nossos jornais nos dias de hoje...
Lemos precisa de ir a um spa
Re: Lemos precisa de ir a um spa
Re: e vai mais um...
Re: e vai mais um...
"RETRATO PERFEITO"
Sem dúvida que a sua crónica se encaixa que nem uma luva na cara do sr.Relvas,o retrato fiel do despudorado político português,o retrato fiel dos vermes que conduziram e conduzem este país,para o atoleiro a todos os níveis onde nos encontramos......
A matilha
Cheira-lhes a sangue e a matilha está inquieta. Novos elementos se juntam, em volta da carcaça.

Relvas não é pior do que dezenas ou centenas de oportunistas que se encostaram aos partidos, em busca de melhor. Ainda hoje, há jovens que pensam os prós e contras de cada partido, para futura filiação.Recentemente tive conhecimento de uma jovem que se inscreveu no PS e rapidamente conseguiu o emprego na câmara.
O nível de desonestidade é igual . Relvas não é nenhum fenómeno nem raridade. Infelizmente!

Sempre me desagradou este comportamento de abutre que, quando pressente a fraqueza alheia, ataca.

Relvas deve ser afastado, os outros ministros não têm desculpa em não terem já exigido a limpeza da capoeira, mas esta campanha de pigmeus é vergonhosa.

O sistema está preparado para funcionar, só não funciona de as pessoas se acobardarem........
Re: A matilha
Re: A matilha
Re: A matilha
Re: A matilha
Re: A matilha
Jornalistas!!
Meu caro... não quero que veja este comentário como algo destrutivo, mas eu gostaria de ver artigos de opinião com valor, com informação, que me façam crescer e ter uma opinião mais rica. Se diz que já escreveu muito sobre esse ministro, fe-lo com que intuito? Quais são os objectivos destes artigos?
Os artigos, sejam de opinião ou não, passaram a ser conversas de café, mas conversas rascas, de quem já bebeu uns canecos a mais. Nós "povo" temos que ser mais críticos e mais interventivos, mas com uma visão e com acções diferentes, que façam crescer o pais. Se calhar este meu comentário seja apenas mais uma boca de café!
RELVAS - ainda não sabe tudo sobre o "chanceler"..
Nem eu. Só QUASE tudo.
Vá ver o Relvas-autarca, o Relvas-negociante da saúde, o Relvas-teia de silêncios no :

tomarcontraosafilhados.blogspot.pt/
de que partido é este jl
quem é este esteves?
gostaria de saber de que partido é este esteves? ou será independentee.
porque querem o relvas na rua? quem colocou o passos lá fui eu ao ir votar para ser o presidente do psd e depois para 1º ministro não foram os amigos de que fala.
que interesses o movem para o por na rua?
quem introduziu o bolonha cá? foi o relvas? pode-se ou não ter créditos com a experiência?
Re: quem é este esteves?
Re: quem é este esteves?
Re: quem é este esteves?
Re: quem é este esteves?
Re: Miguel Relvas: a falta de vergonha tem limites
TOC TOC. Senhor Reitor dá licença?
Está licenciado.

Neste próximo Domingo não perca as escolhas do professor Marcelo: o livro "High Grade for Dummies"
Re: Miguel Relvas: a falta de vergonha tem limites
Neste país não tem.
Os exemplos são tantos e tão bem conhecidos que me abstenho de os enumerar, aliás ia faltar muita gente (não há memória que aguente tais magnitudes numéricas)
Educaçao
Caro JLE,
começa-me a ser dificil conter me em linguagem para lhe chamar os nomes todos que você, claramente, é:
- trapalhao,
- sabichao,
- iludido,
- pateta,
- pobre de espírito
e digo apenas estes para tentar manter o nível da conversa acima do Rating da República (ainda que vocês, JLE, nao o mereça).
Faço uma promessa: vou deixar de lhe dar importância, como mafarrico empertigaitado que é!

um bem haja!
atentamente
a Honorio
Re: Educaçao
RELVAS quase nú...
Quer mesmo conhecer o verdadeiro RELVAS ?

Visite um blogue de um tomarense.

Ninguém como as pessoas de TOMAR conhecem o "dr. chanceler" :

tomarcontraosafilhados.blogspot.pt/
LOL
O Relvas é que vai mostrar onde estao os limites...
INTERVALO para PUBLICIDADE
FINALMENTE AGORA EM PORTUGAL

O que muitos candidatos a doutores e políticos ansiavam à muito tempo Com o nosso revolucionário método e em colaboração com algumas universidades privadas, agora em Portugal já é possível LICENCIATURAS NA HORA.
Em apenas uma hora, bastando apenas o cartão do seu partido ou vir de avental da loja da maçonaria a que pertence e saber falar de qualquer coisa (o assunto não interessa), sairá com um diploma novinho em folha .
Surpreenda os seus amigos e familiares. Seja um ilustre DR. Estágios e empregos sempre garantidos no ESTADO e administrações de empresas públicas (também temos acordos com algumas empresas privadas).
Veja como é fácil: todas as informações nas Sedes de Partidos ou informe-se numa universidade privada aderente perto de si ou contacte-nos.

LICENCIATURASFAST, since 1974.

O nosso lema
"FAZEMOS DOUTORES COMO SE FAZEM ENCHIDOS"
Re: INTERVALO para PUBLICIDADE
RELVAS star...
Quer mesmo conhecer o verdadeiro RELVAS ?

Visite um blogue de um tomarense.

Ninguém como as pessoas de TOMAR conhecem o "dr. chanceler" :

tomarcontraosafilhados.blogspot.pt/
Comentários 59 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub