0
Anterior
21 militantes do PSD "vivem" em três casas
Seguinte
Extinção ameaça 23 animais
Página Inicial   >  Regiões  >   Método inovador para operar joanetes

Coimbra

Método inovador para operar joanetes

A operação aos joanetes deixou de ser uma opção adiada. Através da cirurgia mini-invasiva ou percutânea, o médico Fernandes Costa, acaba com as dores em pouco mais de meia-hora.

|

O ortopedista, e único médico a recorrer àquela técnica na região Centro, garantiu ao Diário As Beiras que "a operação aos joanetes não é nova em Portugal". "O que é inovador - sublinhou - é a utilização de uma técnica que permite acabar com uma cirurgia tradicional habitualmente realizada com anestesia geral, que é feita em regime de internamento, que exige um tempo de convalescença bastante prolongado e recorre a incisões cirúrgicas relativamente extensas, por isso dolorosas, com cuidados pós-operatórios".

Os joanetes são "a patologia mais conhecida e mais frequente ao nível do pé, que afecta uma percentagem importante da população". São inestéticos mas, pior ainda, podem provocar dores difíceis de aguentar. O que, como sublinha Fernandes Costa, não se justifica tendo em conta a nova técnica de intervenção. Fernandes Costa, que opera actualmente na clínica de Santa Filomena, em Coimbra, trouxe para a região Centro a cirurgia mini-invasiva ou percutânea que permite acabar com o joanete em pouco mais de meia-hora.

Contrariamente à técnica tradicional, a cirurgia mini-invasiva ou percutânea efectua-se com anestesia local, não necessita de internamento e é feita por meio de incisões mínimas, que dão ao doente um pós-operatório confortável, permitindo-lhe sair da sala de operações pelos seu próprio pé e o regresso a casa no mesmo dia da operação".

"Com a cirurgia percutânea ou mini-invasiva, ao contrário do que acontece com as cirurgias tradicionais, o doente não altera significativamente a rotina diária", afirma, adiantando que o doente "tem um pós-operatório confortável, a possibilidade de complicações é muito reduzida e praticamente não existem cicatrizes operatórias".

Por isso, também, "frequentemnete, este método cirúrgico é usado para tratar outras patologias que se associam, ou não, aos joanetes, que afectam os restantes dedos". Refere-se em concreto às chamadas deformidades de "dedos em martelo" e de "dedos em garra". Situações que podem ser resolvidas durante a operação ao joanete.

"As técnicas mini-invasivas ou percutâneas, apesar da agressão cirúrgica insignificantes, permitem, como já disse, a correcção de múltiplas deformidades a nível do pé. Por isso são também um método de eleição no tratamento de problemas do pé diabético, onde as técnicas cirúrgicas tradicionais praticamente não têm acesso, face à agressão cirúrgica que podem constituir em tecidos debilitados pela doença", explica Fernandes Costa.

Sublinhando que se trata de um método que 'importou' de Espanha, o clínico adianta que iniciou a sua utilização no Centro Hospitalar de Coimbra. Actualmente, e sempre que a intervenção é aconselhada, Fernandes Costa aplica-a na clínica privada, em particular, na Clínica de Santa Filomena, com resultados únicos e aplaudidos por quem se consegue livrar das dores dos joanetes... sem, obrigatoriamente, ir à cama e sem limitações à sua vida normal.

 

 


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 0 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub