21 de abril de 2014 às 15:07
Página Inicial  ⁄  Regiões  ⁄  Método inovador para operar joanetes

Coimbra

Método inovador para operar joanetes

A operação aos joanetes deixou de ser uma opção adiada. Através da cirurgia mini-invasiva ou percutânea, o médico Fernandes Costa, acaba com as dores em pouco mais de meia-hora.

Eduarda Macário/Diário As Beiras

O ortopedista, e único médico a recorrer àquela técnica na região Centro, garantiu ao Diário As Beiras que "a operação aos joanetes não é nova em Portugal". "O que é inovador - sublinhou - é a utilização de uma técnica que permite acabar com uma cirurgia tradicional habitualmente realizada com anestesia geral, que é feita em regime de internamento, que exige um tempo de convalescença bastante prolongado e recorre a incisões cirúrgicas relativamente extensas, por isso dolorosas, com cuidados pós-operatórios".

Os joanetes são "a patologia mais conhecida e mais frequente ao nível do pé, que afecta uma percentagem importante da população". São inestéticos mas, pior ainda, podem provocar dores difíceis de aguentar. O que, como sublinha Fernandes Costa, não se justifica tendo em conta a nova técnica de intervenção. Fernandes Costa, que opera actualmente na clínica de Santa Filomena, em Coimbra, trouxe para a região Centro a cirurgia mini-invasiva ou percutânea que permite acabar com o joanete em pouco mais de meia-hora.

Contrariamente à técnica tradicional, a cirurgia mini-invasiva ou percutânea efectua-se com anestesia local, não necessita de internamento e é feita por meio de incisões mínimas, que dão ao doente um pós-operatório confortável, permitindo-lhe sair da sala de operações pelos seu próprio pé e o regresso a casa no mesmo dia da operação".

"Com a cirurgia percutânea ou mini-invasiva, ao contrário do que acontece com as cirurgias tradicionais, o doente não altera significativamente a rotina diária", afirma, adiantando que o doente "tem um pós-operatório confortável, a possibilidade de complicações é muito reduzida e praticamente não existem cicatrizes operatórias".

Por isso, também, "frequentemnete, este método cirúrgico é usado para tratar outras patologias que se associam, ou não, aos joanetes, que afectam os restantes dedos". Refere-se em concreto às chamadas deformidades de "dedos em martelo" e de "dedos em garra". Situações que podem ser resolvidas durante a operação ao joanete.

"As técnicas mini-invasivas ou percutâneas, apesar da agressão cirúrgica insignificantes, permitem, como já disse, a correcção de múltiplas deformidades a nível do pé. Por isso são também um método de eleição no tratamento de problemas do pé diabético, onde as técnicas cirúrgicas tradicionais praticamente não têm acesso, face à agressão cirúrgica que podem constituir em tecidos debilitados pela doença", explica Fernandes Costa.

Sublinhando que se trata de um método que 'importou' de Espanha, o clínico adianta que iniciou a sua utilização no Centro Hospitalar de Coimbra. Actualmente, e sempre que a intervenção é aconselhada, Fernandes Costa aplica-a na clínica privada, em particular, na Clínica de Santa Filomena, com resultados únicos e aplaudidos por quem se consegue livrar das dores dos joanetes... sem, obrigatoriamente, ir à cama e sem limitações à sua vida normal.

 

 

Comentários 0 Comentar
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub