89
Anterior
Incêndio na serra de Sintra
Seguinte
Florence + The Machine cancelam concerto no Optimus Alive'12
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Médicos realizam "maior greve de sempre"

Médicos realizam "maior greve de sempre"

A adesão dos médicos à greve superou as expetativas dos sindicatos, que referem percentagens entre os 90 e os 95%.
|

"Sem dúvida, a maior greve de sempre", conclui Jorge Roque da Cunha, secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), referindo ao Expresso que a greve dos médicos registou hoje uma adesão "na ordem dos 90%" e com igual expressão de norte a sul do país.

A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) adiantou mesmo uma percentagem superior, com o dirigente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM), Mário Jorge Neves a referir uma adesão "de 95%", o que superou as próprias expectativas dos sindicatos.

"Esperávamos uma grande participação, mas o que aconteceu hoje foi ainda mais expressivo", reconhece Roque da Cunha, para quem esta manifestação de força "é um sinal claro que as manobras do ministério não surtiram efeito e que é grande a determinação dos médicos em melhorar o Serviço Nacional de Saúde (SNS).

O representante do SIM espera agora apenas uma coisa: "Que o ministério da Saúde negoceie seriamente".

Ao longo do dia, nos hospitais e centros de saúde de todo o país, o cenário foi-se repetindo, com cirurgias a serem adiadas e inúmeras consultas a serem canceladas. Segundo o Sindicato dos Médicos, no Centro Hospitalar de Gaia, por exemplo, apenas um médico se apresentou ao serviço, enquanto os blocos operatórios dos hospitais Amadora-Sintra, Vila Real e Faro - para citar apenas alguns caos - garantiram apenas as situações de urgência.

O Expresso contactou o ministério da Saúde, que informou não disponibilizar dados sobre a adesão à greve.



Veja a fotogaleria:

Opinião


Multimédia

Os assassínios, as execuções, as decapitações são as imagens mais chocantes de uma propaganda cada vez mais sofisticada. É a Jihad, que recruta guerrilheiros no ocidente para matar e morrer na Síria. O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Reportagem em Londres, no café onde viam jogos de futebol, na universidade onde estudavam e na mesquita onde rezavam. Autoridades e especialistas em terrorismo estão alerta sobre este pequeno mas perigoso grupo, onde corre sangue português - e de onde escorre sangue por Alá.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.


Comentários 89 Comentar
ordenar por:
mais votados
Médicos realizam "maior greve de sempre"
A ser verdade este numero de adesão chega-se a uma conclusão logica: Portugal só tem 10 medicos em cada 100 formados.

Ou seja 10 medicos e 90 mercadores da saude... o mercado está em alta.
Re: Médicos realizam
Re: 30 000 mercadores?
Re: 30 000 mercadores?
Re: Médicos realizam
Diz-se que as aparências iludem.....
Re: Diz-se que as aparências iludem.....
Re: Diz-se que as aparências iludem.....
Re: Diz-se que as aparências iludem.....
Re: Diz-se que as aparências iludem.....
Re: Diz-se que as aparências iludem.....
Re: Diz-se que as aparências iludem.....
Re: Diz-se que as aparências iludem.....
Re: Diz-se que as aparências iludem.....
Re: Diz-se que as aparências iludem.....
Re: Diz-se que as aparências iludem.....
Re: Diz-se que as aparências iludem.....
Parabéns.....
.... como classe unida são das poucas que têm força suficiente para impedir que os Governantes, vendidos aos interesses privados, continuem na sua "tarefa" de destruir o SNS.

Médicos e Enfermeiros não podem ser contratados "à hora" como acontece, sem prejuizos de maior, em muitas profissões.

Apoiar os médicos nesta luta é dever de todos os patriotas que amam Portugal e as suas gentes.....
Médicos ricos,doentes pobres!
Re: Parabéns.....
Cambada de comunas

Dirão laranjinhas e azulinhos-céu !!!

Estão a estragar o negócio que tanto prometemos aos nossos financiadores do PSD e CDS, aos patrões do ministro, aos nossos verdadeiros amigos.

Ninguém melhor "nos trata da saúde" do que os privados e este Governo !!!
Re: Cambada de comunas
Bem visto!
Pobres doentes,ricos médicos
Re: Pobres doentes,ricos médicos
Chinês
Oh ...Brinca ... explica lá esta...
Já li de tudo...
... até que os médicos ganham 10000€ no SNS!!!

Parece-me que ninguém sabe que quem trabalha em consultórios ou clínicas não tem exclusividade no SNS e que isso faz com que o salário pago passe a !/3 do vencimento.

Ninguém se lembrou do volume exorbitante de capital que sai do estado para os privados via ADSE?

Por que motivo não extinguem a ADSE como esteve previsto? Não convém?

Só tretas...

Re: Já li de tudo...
Re: Já li de tudo...
Re: Já li de tudo...
Oh ..peixe ...
Re: Oh ..peixe ...
...
A classe profissional mais favorecida do país queixa-se da igualdade com que está a ser tratada.

Re: ...
Re: ...
Re: ...
Re: ...
Re: ...
Re: ...
Re: ...
Re: ...
Re: ...
Re: ...
Re: ...
Re: ...
Re: ...
Re: ...
Greve para defender o quê?


Médicos a lutar pela defesa do sns e dos doentes, ahahahah, que sentido de humor que eles têm, deixem-se de lamechices, a greve é por defesa de cifrões, muuuuuuitos cifrões!
Re: Greve para defender o quê?
Quem tem de marchar pelo sns são os utentes
E eu não vi por lá utentes nenhuns. Agradeço a disponibilidade dos médicos mas eu como utente e em meu nome, não! Quais os motivos de uma greve de dois dias? (gostava de saber quais classes trabalhadoras do País estão neste momento em condições de perder dois dias de salário)
Re: Quem tem de marchar pelo sns são os utentes
...
Bem hajam os Médicos com a sua força ... fizeram frente a este governo ... porque os governantes fazem pouco daqueles que não têm influência ... mas esta classe "mostra com quantos paus se faz uma canoa" ... Já era altura para fazer ver que o que é demais é moléstia ... e o poder tem limites no poderio...
Debilitados
Esta classe, que toda a população portuguesa tinha como a rainha das profissões, está nas ruas da amargura. Por culpa própria. PRETENDEM MAIS MORDOMIAS ?! Embarcaram com os sindicatos, deram o golpe de misericórdia a um status profissional que pretendiam elitista e superiormente remunerado.
Podem crer que a opinião pública sobre estes profissionais vai alterar-se.
OXALÁ O GOVERNO FACILITE A VINDA AOS MÉDICOS CUBANOS E SUL-AMERICANOS, QUE TANTO QUEREM VIR TRABALHAR PARA CÁ.
Re: Debilitados
Re: Debilitados
Re: Oh homem, volte para a cama!
Re: Debilitados
Re: Debilitados
Re: Debilitados
Re: Debilitados
o humanismo dos médicos....
..está nesta realidade noticiada na televisão : milhares de pessoas voltam para casa sem serem consultadas, consultas marcadas HÀ UM ANO !!! ficaram sem saber quando voltam a ser marcadas. È isto o resultado da luta dos médicos em defesa dos doentes.
Greve em tempos de grave crise...
1. Quem verdadeiramente controla os médicos não é o poder político, mas a ordem dos médicos, que é um lobby poderosíssimo, que existe para os proteger;

2. Há listas de espera nas consultas, há muitos médicos estrangeiros a trabalhar em Portugal e é pago muito dinheiro em horas extraordinárias aos nossos médicos e o bastonário ainda diz que não são necessários mais médicos. A Faculdade de Medicina de Santiago de Compostela em Espanha tem mais alunos de medicina do que aqueles que existem em todas as faculdades de medicina em Portugal. Não há no ensino superior em Portugal mais nenhum caso em que exista emprego garantido e um controlo tão restritivo no acesso ao curso;

3. No serviço público, não há nem nunca houve um controlo efectivo do seu horário de trabalho, o que faz com que as listas de espera aumentem, permitindo em muitos casos, boas acumulações no privado, engordando substancialmente o seu ordenado mensal;

4. Para justificarem a sua greve dizem que estão a defender o sistema nacional de saúde, mas o que realmente pretendem é ganhar ainda mais. Se estivessem a defender o SNS seriam favoráveis à prescrição dos medicamentos por Denominação Comum Internacional, alargando o consumo de genéricos, cuja qualidade é garantida pelo INFARMED, que são substancialmente mais baratos, o que permitiria aos doentes e ao Estado que somos todos nós, poupar muito dinheiro, mas opõem-se terminantemente. Ao que se sabe os genéricos não financiam congressos;
Greve em tempos de grave crise (cont)...
5. Para esta greve apanharam a boleia dos pilotos, pois ao aperceberem-se que o Governo teria feito cedências aos pilotos, outra classe privilegiada, a Ordem e os Sindicatos dos médicos, ignorando a situação económica do país, viram uma oportunidade para maiores reivindicações. Aproveitaram também a situação difícil, lamentável e inaceitável por que estão a passar outros profissionais de saúde, como é o caso dos enfermeiros e nutricionistas, esses sim, muito mal pagos, situação que em nada se assemelha à situação dos médicos. É de recordar já houve excepções no valor superior pago aos médicos pelas horas extraordinárias, relativamente aos outros profissionais;

6. Num momento em que Portugal está sob resgate da Comissão Europeia, do Banco Central Europeu e do Fundo Monetário Internacional, em já houve uma série de corte nos ordenados da função pública, se neste país houvesse coragem, os partidos do chamado “arco da governação”, PS, PSD e CDS, já teriam feito um pacto que permitisse aprovar medidas extraordinárias a vigorarem durante o período de resgate e que teria que passar pela suspensão do direito à greve, nesse período excepcional, pois este país, na situação económica difícil em que se encontra, não suporta mais prejuízos provocados por greves sucessivas, como tem acontecido com a greve dos transportes, por exemplo.
Apoiado
Re: Apoiado
Re: Greve em tempos de grave crise (cont)...
Os legionários andam por aí
Esta greve acertou-me em cheio. Hoje foi uma consulta de otorrino nos Covões, amanhã deverá ser outra no IPO, mais um exame da esposa para a SS. Mesmo assim estou ao lado dos médicos, o meu futuro e o futuro dos meus descendentes é muito mais importante que isto.
Lamentávelmente para alguns um médico do SNS que recebe provávelmente muito menos que um qualquer "speedy licenciado gonzalez" graças ao seu currículo como porta estandarte de um rancho folclórico é um privilegiado, e a possibilidade de contratar a esmo e a preço de saldo para depois o grosso da maquia ficar em "mãos amigas" enquanto se destrói um dos melhores serviços publicos que temos é política inteligente.
Entretanto deixo esta pérola da autoria de alguém que é considerado o pai do sistema universal de saúde do Canadá.
www.youtube.com/watch?v=lKJMYyTexPc
Re: Os legionários andam por aí
Caracterização da classe médica
1. São profissionais que têm prescrito os medicamentos em função das "conferências científicas" que lhe são ofertadas pelos laboratórios.
2. Após muitos anos de convivência laboral, numa grande empresa recebi os testemunhos de que, quando alguém precisava de "baixa", ia a uma consulta ao consultório do sr. doutor, onde pagava a taxa, mais que moderadora e o médico dizia-lhe para, no dia seguinte ir à consulta na "caixa", (Icomo em tempos se dizia) que lhe passaria a dita baixa.
3.Esta também é a classe que faz o "sacrifício" de estar dentro do SNS para dizer aos pacientes; - "O seu problema é muito grave e tem de ser operado urgentemente. Se for para a lista de espera do SNS só daqui a um ou dois anos é que será operado mas, se quiser, posso operá-lo já na próxima semana na clínica XPTO. Isto vai-lhe custar XXXXXX euros.
E é esta a classe que enche a boca em defesa do SNS????
Re: Caracterização da classe médica
Re: Caracterização da classe médica
Re: Caracterização da classe médica
Re: Caracterização da classe médica
Re: Caracterização da classe médica
Re: Caracterização da classe médica
Re: Caracterização da classe médica
Re: Caracterização da classe médica
Duvida
Se o ministerio da saude quer poupar, porque paga a contratação a intermediarios? Não será para utilizar os medicos e deitar fora quando lhe apetece como se de coisas descartaveis se tratasse? E os doentes como ficam no meio de tudo isto, será que ficão bem servidos com a falta de seguimento medico? e a formação médica quem a vair dar nos hospitais, são os tarefeiros que hoje estão lá, amanhã logo se vê? Nãp brinquem com o bem mais precioso dos Portugueses que é o direito à sua saúde.
Comentários 89 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador

PUBLICIDADE

Pub