Anterior
Seguro, Alegre, Balsemão, Mendes e Menezes indicados para o Conselho ...
Seguinte
PSD fez chamada falsa para o 112
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Médico português anuncia tratamento revolucionário da próstata (vídeo)

Médico português anuncia tratamento revolucionário da próstata (vídeo)

Martins Pisco acredita ter encontrado um tratamento único no mundo para o crescimento anormal da próstata, sem recorrer a cirurgia. Médicos e pacientes estrangeiros fazem fila, mas urologistas dizem que ainda é cedo para acreditar.
|

James La Giglia, americano de 48 anos, saiu de Hong Kong e veio de propósito para Portugal. Da barriga, espreitava um tubo que fazia a ligação direta da bexiga a uma bolsa exterior.  Martins Pisco, radiologista, prometeu-lhe uma solução única no mundo, em busca de um tratamento alternativo.

"Tinha muitos problemas, tenho este saco desde Março de 2010, pura e simplesmente não consigo urinar. Não tinha dores, apenas desconforto e a minha vida tornou-se muito difícil. Ia a qualquer lado e as pessoas olhavam para mim, por vezes aparecem coágulos de sangue no tubo e vou parar às urgências", descreve LaGiglia, deitado no bloco operatório e prestes a iniciar o cateterismo das artérias da próstata.

James, jornalista numa televisão de Hong Kong, vai manter-se acordado ao longo da intervenção, que durará aproximadamente uma hora. Com viagens incluidas, pagou perto de 6 mil euros por esta solução, porque acredita que poderá mudar a sua vida. "Disseram-me em Hong Kong, que é um país até bastante desenvolvido, que havia duas operações possíveis, uma delas é a TURP (retração transuretral da próstata) mas que aí teria 90 por cento de hipótese de efeitos secundários, tais como não poder mais ter filhos e depois havia também outra hipótese, em Hong Kong e nos EUA que era a operação a laser, mas tinha 60 por cento de hipótese de efeitos secundários, por isso andei à procura de outra alternativa", acrescenta.

Uma vida ligada à Medicina 


João Martins Pisco, 65 anos, é médico radiologista há mais de 30 anos no Hospital Pulido Valente, em Lisboa, mas opera também no privado, no Hospital francês. Foi pioneiro na introdução desta técnica no tratamento dos fibromiomas do útero nas mulheres e agora acredita ter nas mãos a melhor solução para a hiperplasia - o crescimento anormal - da próstata, algo que acontece a mais de metade dos homens a partir dos 60 anos.

Nem todos, no entanto, apresentam sintomas que lhes permitam avançar para o tratamento. "Nós só tratamos se houver queixas, dificuldade em urinar, fazer muitas vezes ou ter um jato urinário fraquinho, bem como quem faz retenção urinária, que não consegue fazer tudo", explica Martins Pisco.

Para o radiologista, que até ao momento já tratou mais de 114 doentes, o truque está na seleção apurada dos pacientes, mas depois - garante - a taxa de sucesso ronda os 90 por cento, à semelhança do que acontece com os tratamentos por embolização no útero das mulheres. Isto faz com que o procedimento esteja a gerar grande interesse por parte dos especialistas de radiologia em todo o mundo.

"Quando há 10 anos se começou a embolização nas mulheres, nos fibromiomas do útero, era apenas um tratamento promissor, hoje é um tratamento comum e com muito poucas complicações para elas. Eu penso que com os homens, este tratamento será também comum daqui a 10 anos, mas para a próstata", afirma ao Expresso Maurizio Grosso, radiologista de intervenção do Hospital Sta Croce, em Cuneo, no norte de Itália.

Médicos de todo o mundo vêm a Lisboa 


Veio com mais três colegas de propósito para assistir ao procedimento em vários pacientes, ao longo do dia. Um deles é Enrique Aguirrezabala, presidente do Conselho de Desenvolvimento Económico Europeu. Com 64 anos, há 12 que aguentava com problemas na próstata. "Nunca tive uma vida muito complicada por causa disto, mas acho que é preferível atacar o problema mais cedo, do que tornar-se complicado mais tarde", diz.

Durante mais de uma década, amigos e conhecidos tentaram levá-lo para a cirurgia. Mas Enrique era avesso a que lhe abrissem o corpo. Até que alguém lhe falou nesta solução, depois de muito pesquisar no Google. "Isto é um método fantástico e estou agora a propôr ao Dr. Pisco levá-lo para todo o mundo, com o nosso apoio, abrindo clínicas na Europa, nos Estados Unidos, no Médio Oriente e na América Latina. Porque isto não é uma questão de dinheiro, trata-se de uma questão de saúde mundial", afiança o presidente do CDEE. Duas semanas mais tarde, garantiu por email ao Expresso estar bastante melhor: "Graças a Deus estou são, correu tudo muito bem e estou de facto melhor. No dia seguinte, até fui logo à piscina e nadei", conta Enrique Aguirrezabala.

Cesare Saluzzo, médico italiano de Pavia, está satisfeito com o que vê, ao observar os monitores de raio X que põem a nú as artérias dos pacientes, enquanto os cateteres deixam pequenas esferas lá dentro, para entupir o fornecimento de sangue à próstata. Desta forma, com menos 'alimento', a próstata acaba por minguar e volta a permitir um fluxo urinário normal.

"A técnica, o procedimento, já é antigo para nós como radiologistas de intervenção mas nós viemos até cá para perceber esta nova utilização que o professor Pisco começou. Queremos ver sobretudo não os aspetos técnicos, mas as indicações e queremos perceber se será possível fazer uma espécie de registo da técnica em Itália, com regras e indicações claras neste novo campo", explica Cesare Saluzzo, médico radiologista de Pavia, norte de Itália.

A embolização arterial da próstata aplica-se a doentes que tenham próstata grande, um fluxo urinário baixo e que não tenham tumores malignos. Também não é um tratamento para a impotência, embora - segundo Martins Pisco - possa revelar resultados em cerca de um terço dos pacientes, dado que após o tratamento deixam de tomar medicamentos que acabavam por ter efeitos nesse campo.

Urologistas ainda não estão convencidos


Para José Palma dos Reis, presidente do Colégio de Urologia da Ordem dos Médicos, a palavra certa é "prudência". "Convém referir que isto se trata de um procedimento investigacional, que ainda não está validado cientificamente pelos pares. Mas desde que os doentes estejam devidamente informados, não temos nada a opor", afirma ao Expresso.

Palma dos Reis admite que até ao momento não houve queixas ao Colégio mas adianta que, para se tornar numa técnica comum, o processo terá de ter ensaios validados em vários centros e que permitam aferir os resultados. Em testes clínicos, seria ainda necessário um grupo de despiste, introduzindo o efeito placebo. Isto porque o placebo - um teste que se aplica aos pacientes, convencendo-os de que foram intervencionados ou medicados quando na realidade não foram - provoca muitas vezes efeitos psicológicos e induz melhorias reais em pacientes, mesmo que estes não tenham sofrido qualquer tipo de tratamento. E isto pode distorcer os resultados.

Pisco, consciente de alguma resistência por parte dos urologistas portugueses, defende-se: "Quando se inicia qualquer técnica, é natural sempre uma certa suspeição, uma certa dúvida sobre a técnica. Mas nós neste momento já temos 114 doentes tratados, claro que nem tudo é sucesso mas a percentagem de sucesso da técnica é de 90 por cento, o que é muito bom. Já convidei vários urologistas a virem cá, alguns não aceitam mas a técnica está a ter uma grande aceitação lá fora, pelos urologistas, pelos radiologistas de intervenção e pelos próprios doentes. Quando têm conhecimento querem ser tratados, porque os riscos da cirurgia são muitos", garante.

Cesare, de Pavia, Itália, diz que o mesmo acontecerá seguramente no seu país, devido a quezílias habituais entre diferentes especialidades da Medicina: "Isso é uma estória antiga, é a nossa história como radiologistas de intervenção. Somos sempre pioneiros, há qualquer coisa de novo. Acreditamos em outros médicos, em cooperar com as outras áreas da Medicina e eles deviam fazer o mesmo, ginecologistas, urologistas, hepatologistas, diabetologistas e todos os ramos da Medicina. Nós estamos numa nova era, a da cooperação", afirma.

Os urologistas portugueses vão esperar para ver: "A comprovar-se será mais uma arma na terapêutica, mas não será nunca seguramente a única", conclui o presidente do Colégio de Urologia.


Opinião


Multimédia

Lombinho de porco com broa e batata a murro

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 7 Comentar
ordenar por:
mais votados
O lobby dos Médicos e dos medicamentos aceitará?
Uma intervenção pioneira destas vai evitar muitas outras intervenções, acabar com muitas consultas e tomas de medicamentos.

Não vai ser fácil vencer a oposição.
Olha a resistencia....
Há urologistas que aos primeiros sintomas não hesitam em mandar para a mesa de operações os doentes.

Então, quando a coisa cheira a seguro de saúde ou outra convenção fora do SNS é esfregar as mãos e aí vamos nós ao corte.

Os resultados da cirurgia são tramados. Primeiro a garantia do efeito "pindericalho" para regar as plantas com as consequencias psicológicas da situação. Depois, quando corre mesmo mal.

Com os cifrões nos olhos a cortar sem ser preciso.

E estes vão já dizer que nem pensar que é preciso fazer um estudo longitudinal complicadíssimo...

Mas há os verdadeiros profissionais e experts na matéria, como o conhecido pai de um apresentador televisivo, Prof. Dr. Rodrigo Guedes de Carvalho, que merecem a minha admiração, o meu apreço e aproveito para o enaltecer publicamente.

Um dia, o meu pai preocupadíssimo que tinha de ser cortado quis ouvir outra opinião. Consultado o Prof. disse ele. "Operar alguém à próstada só mesmo quando não houver mais nenhum recurso, porque é uma violência."O certo é que não foi operado e tal como ele mais uns amigos que lá foram depois de recomendações expressas de que tinham obrigatoriamente de serem operados.

Estes "cortadores" vão sempre opor-se a que tal aconteça porque lhe mexem no bolso....
Orgulho para os portugueses
Que Portugal multiplique muito,muito mais vezes a quantidade de mèdicos como o ''Martins Pisco''

www.nascimentofotos.blogspot.com
Não fazia ideia
que a próstata era uma coisa má que precisa de tratamento, como a malária, sida ou um CANCRO
Re: Não fazia ideia
O Aqui-Reza-a-Bala está siderado !
Este insigne mestre da "capação", ficou espantadìssimo, pois pensava que Portugal só sabia aderir às Crises Mundiais e ter maus POLÍTIQUEIROS !
Hola
No se si en MÉXICO ya tengan esa técnica tan avanzada que me parece lo mejor que hay asta el momento y si es así me gustaría en donde la practican en que Hospital en que lugar de el país y que doctor la practica
Comentários 7 Comentar

Últimas


Pub