Anterior
Voto de Seguro dá argumentos a Sarkozy
Seguinte
Robert Pattinson em Lisboa para apresentar "Cosmopolis"
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Marine Le Pen: "Portugueses são os mais duros contra os não respeitadores"

Marine Le Pen: "Portugueses são os mais duros contra os não respeitadores"

Marine Le Pen, candidata da extrema-direita em 3.º lugar nas sondagens para a primeira volta das presidenciais francesas, diz ao Expresso: "Portugueses de França são meus amigos".
|
"Os portugueses de França são os mais duros para com os imigrantes que vêm para cá e não respeitam ninguém!", diz Marine Le Pen
"Os portugueses de França são os mais duros para com os imigrantes que vêm para cá e não respeitam ninguém!", diz Marine Le Pen  / Ian Langsdon/EPA

Marine Le Pen segue as pisadas do pai, Jean-Marie, que disse um dia ao Expresso: "Os portugueses não têm problemas nem connosco nem com os franceses porque são nossos primos". O pai raramente recusava entrevistas aos jornalistas portugueses. A filha, que lhe sucedeu na liderança da Frente Nacional, também as aceita de boa vontade.

"A comunidade portuguesa de França está bem assimilada na nossa sociedade, respeita as leis e o nosso modo de vida, os portugueses amam a França, são trabalhadores, não criam qualquer problema e são meus amigos", diz a candidata às presidenciais.

Frequentadora habitual de Chez Tonton, um pequeno restaurante português de Nanterre (arredores de Paris), chega a espantar o repórter: "Se for eleita, no dia 6 de maio vou comemorar a vitória nesse pequeno restaurante operário, que fica perto da nossa sede, onde temos já os nossos hábitos".

Crente na ida à segunda volta


Marine Le Pen gosta dos portugueses e exclama com ênfase: "Os portugueses de França são os mais duros para com os imigrantes que vêm para cá e não respeitam ninguém!"

Para a primeira volta, no próximo domingo, Marine Le Pen é cotada com entre 15 e 17% dos votos, mas garante que "haverá surpresas", pensando ultrapassar, na votação, o candidato da direita, Nicolas Sarkozy. Martine acredita que vai disputar a segunda volta contra o socialista François Hollande. 

Durante a campanha eleitoral, a líder da extrema-direita centrou os seus discursos no combate à "islamização da França" e no fecho das fronteiras à emigração. 


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 10 Comentar
ordenar por:
mais votados
Para quando...

...uma petição pública para que os candidatos às presidenciais francesas nos desamparem a loja?

Re: Para quando...
Extrema Direita..
meus caros, a história repete-se. quando o cinto aperta demais, chega sempre uma personagem que ELIMINA todos os nossos problemas. e o povo, com os olhos fechados de euforia, vota no sim! a solução não é extremismos, a solução é uma nova consciência, APARTIDÁRIA!
Yeah
no que interessa quando interessa

pelos vistos este pais so acorda quando abanado...o que se passa nos jardins de infancia em lisboa, a forma como gerem as queixas e os problemas e a decisão que me fizeram chegar, diz então, que qualquer educador, agrupamento, ou direcção regional, poderá adaptar os conteúdos programáticos na sala de aula, de acordo com o seu gosto pessoal, ou de acordo com o gosto pessoal dos responsáveis, porque o que se fará em termos de procedimento, é nunca consultar a parte queixosa, inquirir juntos da "maioria" e de cidir de acordo com os gostos...assim autoriza-se que no Porto se adoptem cânticos de viva o porto, que serão leccionado em todos os jardins de infancia do distrito do porto, visto a maioria da zona ser portista, por educadores do estado, em tempo de aula, em braga com a nova vaga de braguistas, autoriza-se que se implemente um viva o braga...e assim em todas as regiões que haja uma predominancia futebolistica, serão introduzidos nos programas dos jardins de infancia publicos, apoiado por educadores, em tempo de aula....viva a liberdade, viva...a constituição serve para adaptar e ajustar....então o futebol e o clubismo cabe no artigo 43º da constituição? nããããaãã~são os meninos de 3 anos que querem, que trazem a musica e obrigam os pobres educadores a deixar cantar.......se alguem nao gostar que se mude...viva portugal, viva a passividade e a indiferença, viva
E A SORTE QUE O PSD E CDS têm
de não terem cá uma Le Pen para dividir os seus partidos !
É que se uma como ela cá estivesse para onde passariam os muitos apoaintes de extrema direita dos partidos do governo ?
Re: E A SORTE QUE O PSD E CDS têm
Re: E A SORTE QUE O PSD E CDS têm
Vive la France...
Precisamos de uma mulher com tomates... Esta Europa não só está a ser toda islamizada como também criminalizada... Os Europeus, se as políticas não mudarem, vão todos morrer afogados com o "mijo" de milhões de outras raças com culturas, - da idade da pedra, pedra polida, período paleolítico -, que ainda são selváticas e violentas, que não se coadunam em nada com as culturas da Europa. A juntar a tudo isso, esta imigração é completamente iletrada e nem um parafuso sabe apertar, vivendo apenas dos subsídios dos Estados que os recolheu, tendo os europeus de os sustentar com mais impostos. Querem à força impingir as suas culturas e religiões, mas na terra deles, os seus governantes, não admitem, sequer, que alguém critique as suas religiões. Mandam-nos enforcar. Os estrangeiros que forem como turistas ou trabalhar por conta de empresas europeias, têm de cumprir com as Leis Religiosas deles, mas cá, os europeus é que têm de cumprir com as Leis Religiosas dos outros...
Essa coisa de apelidar de extrema-direita, extrema esquerda, é conversa da treta. Os políticos e governantes servem apenas o poder económico e, por muito que se mude de camisola, as moscas mudam mas a merda é sempre a mesma. A única diferença, e aqui é que está o lado positivo, é uma política de preservação do sangue, da cultura e dos valores intrínsecos, que poderá beneficiar os seus cidadãos...Aí vem a seita "SOS" chamar-me "racista"...Gosto muito da evolução das raças e dos seus comportamentos cívicos...
Brandos costumes?
Ou "quem não os conheça que os compre!"
Comentários 10 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub