Anterior
Miguel Albuquerque fala em "nervosismo" e "intimidação" de Jardim
Seguinte
Medidas tomadas sobre queijo contaminado garantem saúde pública
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >  Maria Teresa Horta recusa prémio das mãos de Passos

Maria Teresa Horta recusa prémio das mãos de Passos

Escritora diz-se honrada com o Prémio D. Dinis pelo romance "As Luzes de Leonor" mas rejeita que este lhe seja dado por "uma pessoa empenhada em destruir o país".
Lusa |
"As minhas ideias e aquilo que eu faço têm uma coerência", salienta Maria Teresa Horta
"As minhas ideias e aquilo que eu faço têm uma coerência", salienta Maria Teresa Horta / Gonçalo Rosa da Silva/Visão

A escritora Maria Teresa Horta, distinguida com o Prémio D. Dinis pelo romance "As Luzes de Leonor", disse hoje à Lusa que não o aceita receber das mãos do primeiro-ministro, conforme o previsto.

A entrega do Prémio D. Dinis esteve agendada para a próxima sexta-feira, numa cerimónia com a presença do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

"Na realidade eu não poderia, com coerência, ficar bem comigo mesma, receber um prémio literário que me honra tanto, cujo júri é formado por poetas, os meus pares mais próximos - pois sou sobretudo uma poetisa, e que me honra imenso -, ir receber esse prémio das mãos de uma pessoa que está empenhada em destruir o nosso país", explicou Maria Teresa Horta à Lusa.

"Sou uma mulher de esquerda"


"Sempre fui uma mulher coerente; as minhas ideias e aquilo que eu faço têm uma coerência", salientou a escritora que acrescentou: "Sou uma mulher de esquerda, sempre fui, sempre lutei pela liberdade e pelos direitos dos trabalhadores".

Para Maria Teresa Horta, "o primeiro-ministro está determinado a destruir tudo aquilo que conquistámos com o 25 de Abril [de 1974] e as grandes vítimas têm sido até agora os trabalhadores, os assalariados, a juventude que ele manda emigrar calmamente, como se isso fosse natural".

A autora afirmou que "o país está a entrar em níveis de pobreza quase idênticos aos das décadas de 1940 e 1950 e, na realidade, é ele [Passos Coelho], e o seu Governo, os grandes mentores e executores de tudo isto".

"Não recuso o prémio que me enche de orgulho e satisfação"


"Não recuso o prémio que me enche de orgulho e satisfação, recuso recebê-lo das mãos do primeiro-ministro", deixou claro Maria Teresa Horta.

A escritora disse que já informou a Fundação Casa de Mateus da sua decisão, assim como a sua editora e falou com cada um dos membros do júri.

A premiada salientou ainda a "satisfação" que lhe deu ter sido distinguida "por um júri que representa três gerações de poetas: o Vasco Graça Moura que é da minha [geração], o Nuno Júdice, que é da seguinte, e o Fernando Pinto do Amaral, que é a mais nova".

No sítio da Fundação Casa de Mateus, na Internet, é afirmado que "a sessão solene de entrega do Prémio será agendada brevemente".

Prémio nasceu em 1980


O Prémio Literário D. Dinis, instituído pela Fundação da Casa de Mateus, foi atribuído por unanimidade à escritora, pela obra "As luzes de Leonor. A marquesa de Alorna, uma sedutora de anjos, poetas e heróis", editado pelas Publicações D. Quixote.

Instituído em 1980 pela Fundação Casa de Mateus, em Vila Real, o galardão é atribuído a uma obra literária - de poesia, ensaio ou ficção - publicada no ano anterior ao da atribuição do prémio.

"As Luzes de Leonor", obra editada em 2011, é um romance sobre a vida da marquesa de Alorna, Leonor de Almeida Portugal de Lorena e Lencastre (1750-1839), neta dos marqueses de Távora, uma mulher que se destacou na história literária e política de Portugal num período denominado como "o século das luzes".

D.ª Leonor de Lorena e Lencastre é avó em quinto grau de Maria Teresa Horta, nascida em 1937, em Lisboa.

Nascida a 20 de maio de 1937, em Lisboa, Maria Teresa Horta estudou na Faculdade de Letras de Lisboa, foi jornalista e ativista do Movimento Feminista de Portugal, com Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa, com quem escreveu o livro "Novas Cartas Portuguesas".

"Amor Habitado" (1963), "Ana" (1974) e "O Destino" (1997) contam-se entre mais de duas dezenas de obras publicadas da escritora.

 

 


Opinião


Multimédia

Retrato político de um país livre

Traçámos um mapa partindo dos resultados das eleições para a Assembleia Constituinte de 1975 e dos resultados das últimas eleições legislativas em 2011. O que mudou ao longo desse tempo? Como é que cada concelho votou em 1975 e em 2011? E como evoluiu a abstenção? Clicando sobre o ano e depois sobre os concelhos, no mapa ou no filtro, surgem as respostas.

Quase ninguém ficou em casa

Foi num 25 de Abril como o deste sábado, mas há 40 anos e numa liberdade então recentemente tomada: a 25 de Abril de 1975, Portugal testemunhou as primeiras eleições livres e universais após quase meio século de ditadura. Estas são as histórias, os retratos, os apelos e as memórias de um tempo que mudou o rosto do país.

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

26 mil esferográficas, 14 mil urnas e 760 quilos de lacre. Os números de uma eleição histórica

Mais de mil caixas de lacre foram usadas pelas secções de voto que por todo o país, no dia 25 de abril de 1975, recolheram os boletins de milhões de eleitores. O Expresso percorreu os quatro mapas de despesas das eleições para a Assembleia Constituinte, elaborados pelo STAP, para saber quanto dinheiro esteve envolvido, onde e como foi gasto. Cada valor em escudos foi convertido para euros a preços correntes, tendo em conta a inflação. 

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.


Comentários 233 Comentar
ordenar por:
mais votados
Parabens Maria Teresa Horta
Não se pode ser cúmplice de quem está , e que o único projecto é destruír o país.

É este exemplo que os portugueses têm que seguir , desobediência civil , para não colaborarmos e sermos cúmplices na destruição do país.
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: No Fuba, ou onde mais goste
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Do SÓCRATES aceitava ....
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Esse sim,deu cabo do País.Velhices!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Não se lhe pode chamar doutora da mula ruça.
Re: Não se lhe pode chamar doutora da mula ruça.
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: AJottar
Re: Este postante tem
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Você é dos resistentes...
Re: Maria Teresa Horta recusa prémio das mãos de P
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: O 25 de Abril, principalmente ...
Quem não os conheça que os compre...
Uma mulher de esquerda, claro...

Ó minha senhora, é revoltante observar a mesquinhez e o fingimento de pessoas como você. Aproveitam as luzes da ribalta para fazerem o seu número de show-off...

Quem começou a destruir o país com leis irresponsáveis foram os seus camaradas e os fantoches que manobraram...
Deram aquilo que podiam dar e o que não podiam, e agora quando alguém lhes mostra a triste realidade, mesmo que atabalhoadamente, acusam-nos de destruir o país... O seu país já está destruído há muito tempo. Era apenas um baralho de cartas seguro pela mão visível da CEE... Daa-sssssse !
Re: Quem não os conheça que os compre...
Re: Quem não os conheça que os compre...
Re: Quem não os conheça que os compre...
Re: Quem não os conheça que os compre...
Re: Quem não os conheça que os compre...
Lembram-se do Zip-Zip?
!
Esta velha esquerdalha deve esparar que volte o sócrates e a sua pandilha, porque esses não destroem o País. Ou então pode ser que venha o kim jong louçã ou o cassete jerónimo, porque esses é que vão pôr o País a crescer. Corja!!!
Re: !
Mas o prémio RECEBO =)
Mais uma personagem que é contra a TROIKA e o Governo.

Mas não abdica do prémio.

A esta senhora digo o mesmo que aos políticos que querem a TROIKA fora: abdiquem dos salários e reformas pagos com o dinheiro proveniente da mesma TROIKA.

Preparem o cheque, afinal remonta já a Junho de 2011.

Haja honestidade e coerência naquilo que se faz propaganda.
A falácia da troika e dos salários
Re: A falácia da troika e dos salários
Vai tu decretar a moratória... Se conseguires ...
Re: A falácia da troika e dos salários
Re: A falácia da troika e dos salários
Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Mas o prémio RECEBO =)
Re: Mas o prémio RECEBO =)
Re: Mas o prémio RECEBO =)
Idiota premium.
De idiota para ignarus
Re: Mas o prémio RECEBO =)
Re: Mas o prémio RECEBO =)
Bicos de pés
No caso de senhoras pode falar-se saltos altos. Gente da burguesia urbana, bem instalada, esquerdistas por opção, preservam mais a aparência do que o conteúdo.

Falam da pobreza, por ouvir dizer, gente de gin tónico e cigarro de 14 centímetros, não perdem ocasião de ser falados.Há montes deles nas televisões de pago.

Na sua grande maioria seriam incapazes de angariar meios de subsistência, sem o encosto do estado ou das famílias.

Assumem de tal modo a personagem, que alguns convencem-se mesmo que são grandes pensadores.............
Re: Bicos de pés
Re: Bicos de pés
Re: Bicos de pés
Re: Bicos de pés
Re: Bicos de pés
Re: Estas nervoso !!! Deixa cair o andor...
Re:Ja sao poucos a segurar no andor
Qual andor?
Re: Bicos de pés
Re: Bicos de pés
Re: Bicos de pés
Obrigada Maria teresa Horta...
Estamos a precisar como de pão para a boca que pessoas com esta dignidade apareçam...Bem haja!!!
Re: Obrigada Maria teresa Horta...
Re: Obrigada Maria teresa Horta...
Re: Obrigada Maria teresa Horta...
Re: Obrigada Maria teresa Horta...
Coitada da senhora !!

Por ter tido um acto de lucidez é apelidada de feroz comuna, perigosa e antipatriótica, por não se rever em representantes de uma nova União-Nacional.

Inscreveram-se imensos foristas com o mero intuito de lhe chamarem nomes. Os patriotas, certamente.

Mas recordo as louvas que toda a direitalha aqui deixou, tratando o senhor Silva de herói quando se recusou ir ao funeral do Nobel Saramago, porque comunista.

Critérios !!
Re: Coitada da senhora !!
Re: Coitada da senhora !!
O COELHO JÁ CAUSA NOJO E REPULSA ...
É Persona non grata ...

Já nem serve para entregar um prémio literário ...

Assim que ouvem falar do Coelho ... as pessoas põem a mão na algibeira para ver se ainda têm a carteira ...

Que vergonha Sr. Coelho ...
E o Relvas também não pode ser...
Re: E o Relvas também não pode ser...
Esta senhora não é democrata
é uma vergonha esta senhora. Quer queira quer não PP é o 1º ministro de Portugal eleito democráticamente em eleições livres. Não é obrigada a gostar mas o 1º ministro está presente na entrega do prémio não por ser do PSD ou pelas ideias que defende.... Se calhar queria o Drº Alvaro Cunhal ou fidel Castro como 1º Ministro.
Esquerda ressabiada que se acha moralmente superior mete nojo
Re: Esta senhora não é democrata
Re: Esta senhora não é democrata
Re: Esta senhora não é democrata
Re: Esta senhora não é democrata
Re: Esta senhora não é democrata
Re: Esta senhora não é democrata
Re: Esta senhora não é democrata
Triste exemplo
Se calhar se fosse o seu amigo Louçã, esse senhor da democracia, ja aceitaria. Ou aqueles outros todos que calaram o bico quando se gastava o que não se tinha em estradas, autoestradas, heliportos, aeroportos, computadores e afins com medo que não sobrasse subsidios para eles. Como esta que provavelmente deve achar que como é uma iluminada deveria ser paga pelo estado para escrever. Agora falam todos . Mas todos consentiram que se enterrasse Portugal.
Re: Triste exemplo
Nojenta
Muito me custa que tenhamos de conviver com gente mesquinha e medíocre...

Esta senhora, que nasceu num berço de ouro, que nunca soube o que custa a vida, vem agora armar-se em moralista e defensora da moralidade e da dignidade.

Que terá feito do alto do seu pedestal moralista pelos mais desfavorecidos...?!

Porque se beija, abraça e roça a quem destruiu ou convive e é comparsa de quem destruiu o país?! Nunca se sentiu incomodada?!

Que moral tem?!

Monte de esterco...

Esta gente merece desprezo... O mesmo ou mais que aquele que nutre por Passos ou qualquer outro cidadão com o qual não é da sua podre e nojenta elite ou clubite...
Re: Nojenta
Re: Nojenta
Lembram-se do Zip-Zip?
GRANDE MULHER
Sem papas na língua e sem hipocrisias.
Nunca tantos trabalharam, para tão poucos destruirem.
Que esta justiça seja presa.
Parabens Maria Teresa Horta. Ainda ha portugueses
com dignidade. Não comprei ainda o seu último livro, mas quando estiver em Portugal irei compré-lo....Assim sim. Vale a çena ser português. A camariha que está no poder em Portgal quwer amerianizar a sociedade portuguesa com total desrespeito pela Cultura do País. Vêm plhaços de universidades estrangeiros sem conhecerem o País para impôr um tipo e sociedade onde o dinheiro tudo cmpra sem quaisquer valores éticos ou de slidariedade.
Emocionei-me Maria Teresa Horta. Tenho que a
procurar e dar-lhe um abraço. Obrigado pelo sua dignidade...
Comentários 233 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub