Anterior
Miguel Albuquerque fala em "nervosismo" e "intimidação" de Jardim
Seguinte
Medidas tomadas sobre queijo contaminado garantem saúde pública
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Maria Teresa Horta recusa prémio das mãos de Passos

Maria Teresa Horta recusa prémio das mãos de Passos

Escritora diz-se honrada com o Prémio D. Dinis pelo romance "As Luzes de Leonor" mas rejeita que este lhe seja dado por "uma pessoa empenhada em destruir o país".
Lusa |
"As minhas ideias e aquilo que eu faço têm uma coerência", salienta Maria Teresa Horta
"As minhas ideias e aquilo que eu faço têm uma coerência", salienta Maria Teresa Horta / Gonçalo Rosa da Silva/Visão

A escritora Maria Teresa Horta, distinguida com o Prémio D. Dinis pelo romance "As Luzes de Leonor", disse hoje à Lusa que não o aceita receber das mãos do primeiro-ministro, conforme o previsto.

A entrega do Prémio D. Dinis esteve agendada para a próxima sexta-feira, numa cerimónia com a presença do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

"Na realidade eu não poderia, com coerência, ficar bem comigo mesma, receber um prémio literário que me honra tanto, cujo júri é formado por poetas, os meus pares mais próximos - pois sou sobretudo uma poetisa, e que me honra imenso -, ir receber esse prémio das mãos de uma pessoa que está empenhada em destruir o nosso país", explicou Maria Teresa Horta à Lusa.

"Sou uma mulher de esquerda"


"Sempre fui uma mulher coerente; as minhas ideias e aquilo que eu faço têm uma coerência", salientou a escritora que acrescentou: "Sou uma mulher de esquerda, sempre fui, sempre lutei pela liberdade e pelos direitos dos trabalhadores".

Para Maria Teresa Horta, "o primeiro-ministro está determinado a destruir tudo aquilo que conquistámos com o 25 de Abril [de 1974] e as grandes vítimas têm sido até agora os trabalhadores, os assalariados, a juventude que ele manda emigrar calmamente, como se isso fosse natural".

A autora afirmou que "o país está a entrar em níveis de pobreza quase idênticos aos das décadas de 1940 e 1950 e, na realidade, é ele [Passos Coelho], e o seu Governo, os grandes mentores e executores de tudo isto".

"Não recuso o prémio que me enche de orgulho e satisfação"


"Não recuso o prémio que me enche de orgulho e satisfação, recuso recebê-lo das mãos do primeiro-ministro", deixou claro Maria Teresa Horta.

A escritora disse que já informou a Fundação Casa de Mateus da sua decisão, assim como a sua editora e falou com cada um dos membros do júri.

A premiada salientou ainda a "satisfação" que lhe deu ter sido distinguida "por um júri que representa três gerações de poetas: o Vasco Graça Moura que é da minha [geração], o Nuno Júdice, que é da seguinte, e o Fernando Pinto do Amaral, que é a mais nova".

No sítio da Fundação Casa de Mateus, na Internet, é afirmado que "a sessão solene de entrega do Prémio será agendada brevemente".

Prémio nasceu em 1980


O Prémio Literário D. Dinis, instituído pela Fundação da Casa de Mateus, foi atribuído por unanimidade à escritora, pela obra "As luzes de Leonor. A marquesa de Alorna, uma sedutora de anjos, poetas e heróis", editado pelas Publicações D. Quixote.

Instituído em 1980 pela Fundação Casa de Mateus, em Vila Real, o galardão é atribuído a uma obra literária - de poesia, ensaio ou ficção - publicada no ano anterior ao da atribuição do prémio.

"As Luzes de Leonor", obra editada em 2011, é um romance sobre a vida da marquesa de Alorna, Leonor de Almeida Portugal de Lorena e Lencastre (1750-1839), neta dos marqueses de Távora, uma mulher que se destacou na história literária e política de Portugal num período denominado como "o século das luzes".

D.ª Leonor de Lorena e Lencastre é avó em quinto grau de Maria Teresa Horta, nascida em 1937, em Lisboa.

Nascida a 20 de maio de 1937, em Lisboa, Maria Teresa Horta estudou na Faculdade de Letras de Lisboa, foi jornalista e ativista do Movimento Feminista de Portugal, com Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa, com quem escreveu o livro "Novas Cartas Portuguesas".

"Amor Habitado" (1963), "Ana" (1974) e "O Destino" (1997) contam-se entre mais de duas dezenas de obras publicadas da escritora.

 

 


Opinião


Multimédia

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 233 Comentar
ordenar por:
mais votados
Parabens Maria Teresa Horta
Não se pode ser cúmplice de quem está , e que o único projecto é destruír o país.

É este exemplo que os portugueses têm que seguir , desobediência civil , para não colaborarmos e sermos cúmplices na destruição do país.
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: Parabens, minha querida poetisa,
Re: No Fuba, ou onde mais goste
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Do SÓCRATES aceitava ....
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
Re: Parabens Maria Teresa Horta
A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Esse sim,deu cabo do País.Velhices!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Não se lhe pode chamar doutora da mula ruça.
Re: Não se lhe pode chamar doutora da mula ruça.
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: AJottar
Re: Este postante tem
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Você é dos resistentes...
Re: Maria Teresa Horta recusa prémio das mãos de P
Re: A Sra enganou-se,queria dizer Sócrates!
Re: O 25 de Abril, principalmente ...
Quem não os conheça que os compre...
Uma mulher de esquerda, claro...

Ó minha senhora, é revoltante observar a mesquinhez e o fingimento de pessoas como você. Aproveitam as luzes da ribalta para fazerem o seu número de show-off...

Quem começou a destruir o país com leis irresponsáveis foram os seus camaradas e os fantoches que manobraram...
Deram aquilo que podiam dar e o que não podiam, e agora quando alguém lhes mostra a triste realidade, mesmo que atabalhoadamente, acusam-nos de destruir o país... O seu país já está destruído há muito tempo. Era apenas um baralho de cartas seguro pela mão visível da CEE... Daa-sssssse !
Re: Quem não os conheça que os compre...
Re: Quem não os conheça que os compre...
Re: Quem não os conheça que os compre...
Re: Quem não os conheça que os compre...
Re: Quem não os conheça que os compre...
Lembram-se do Zip-Zip?
!
Esta velha esquerdalha deve esparar que volte o sócrates e a sua pandilha, porque esses não destroem o País. Ou então pode ser que venha o kim jong louçã ou o cassete jerónimo, porque esses é que vão pôr o País a crescer. Corja!!!
Re: !
Mas o prémio RECEBO =)
Mais uma personagem que é contra a TROIKA e o Governo.

Mas não abdica do prémio.

A esta senhora digo o mesmo que aos políticos que querem a TROIKA fora: abdiquem dos salários e reformas pagos com o dinheiro proveniente da mesma TROIKA.

Preparem o cheque, afinal remonta já a Junho de 2011.

Haja honestidade e coerência naquilo que se faz propaganda.
A falácia da troika e dos salários
Re: A falácia da troika e dos salários
Vai tu decretar a moratória... Se conseguires ...
Re: A falácia da troika e dos salários
Re: A falácia da troika e dos salários
Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Anunciar, anunciam. Expor é que não.
Re: Mas o prémio RECEBO =)
Re: Mas o prémio RECEBO =)
Re: Mas o prémio RECEBO =)
Idiota premium.
De idiota para ignarus
Re: Mas o prémio RECEBO =)
Re: Mas o prémio RECEBO =)
Bicos de pés
No caso de senhoras pode falar-se saltos altos. Gente da burguesia urbana, bem instalada, esquerdistas por opção, preservam mais a aparência do que o conteúdo.

Falam da pobreza, por ouvir dizer, gente de gin tónico e cigarro de 14 centímetros, não perdem ocasião de ser falados.Há montes deles nas televisões de pago.

Na sua grande maioria seriam incapazes de angariar meios de subsistência, sem o encosto do estado ou das famílias.

Assumem de tal modo a personagem, que alguns convencem-se mesmo que são grandes pensadores.............
Re: Bicos de pés
Re: Bicos de pés
Re: Bicos de pés
Re: Bicos de pés
Re: Bicos de pés
Re: Estas nervoso !!! Deixa cair o andor...
Re:Ja sao poucos a segurar no andor
Qual andor?
Re: Bicos de pés
Re: Bicos de pés
Re: Bicos de pés
Obrigada Maria teresa Horta...
Estamos a precisar como de pão para a boca que pessoas com esta dignidade apareçam...Bem haja!!!
Re: Obrigada Maria teresa Horta...
Re: Obrigada Maria teresa Horta...
Re: Obrigada Maria teresa Horta...
Re: Obrigada Maria teresa Horta...
Coitada da senhora !!

Por ter tido um acto de lucidez é apelidada de feroz comuna, perigosa e antipatriótica, por não se rever em representantes de uma nova União-Nacional.

Inscreveram-se imensos foristas com o mero intuito de lhe chamarem nomes. Os patriotas, certamente.

Mas recordo as louvas que toda a direitalha aqui deixou, tratando o senhor Silva de herói quando se recusou ir ao funeral do Nobel Saramago, porque comunista.

Critérios !!
Re: Coitada da senhora !!
Re: Coitada da senhora !!
O COELHO JÁ CAUSA NOJO E REPULSA ...
É Persona non grata ...

Já nem serve para entregar um prémio literário ...

Assim que ouvem falar do Coelho ... as pessoas põem a mão na algibeira para ver se ainda têm a carteira ...

Que vergonha Sr. Coelho ...
E o Relvas também não pode ser...
Re: E o Relvas também não pode ser...
Esta senhora não é democrata
é uma vergonha esta senhora. Quer queira quer não PP é o 1º ministro de Portugal eleito democráticamente em eleições livres. Não é obrigada a gostar mas o 1º ministro está presente na entrega do prémio não por ser do PSD ou pelas ideias que defende.... Se calhar queria o Drº Alvaro Cunhal ou fidel Castro como 1º Ministro.
Esquerda ressabiada que se acha moralmente superior mete nojo
Re: Esta senhora não é democrata
Re: Esta senhora não é democrata
Re: Esta senhora não é democrata
Re: Esta senhora não é democrata
Re: Esta senhora não é democrata
Re: Esta senhora não é democrata
Re: Esta senhora não é democrata
Triste exemplo
Se calhar se fosse o seu amigo Louçã, esse senhor da democracia, ja aceitaria. Ou aqueles outros todos que calaram o bico quando se gastava o que não se tinha em estradas, autoestradas, heliportos, aeroportos, computadores e afins com medo que não sobrasse subsidios para eles. Como esta que provavelmente deve achar que como é uma iluminada deveria ser paga pelo estado para escrever. Agora falam todos . Mas todos consentiram que se enterrasse Portugal.
Re: Triste exemplo
Nojenta
Muito me custa que tenhamos de conviver com gente mesquinha e medíocre...

Esta senhora, que nasceu num berço de ouro, que nunca soube o que custa a vida, vem agora armar-se em moralista e defensora da moralidade e da dignidade.

Que terá feito do alto do seu pedestal moralista pelos mais desfavorecidos...?!

Porque se beija, abraça e roça a quem destruiu ou convive e é comparsa de quem destruiu o país?! Nunca se sentiu incomodada?!

Que moral tem?!

Monte de esterco...

Esta gente merece desprezo... O mesmo ou mais que aquele que nutre por Passos ou qualquer outro cidadão com o qual não é da sua podre e nojenta elite ou clubite...
Re: Nojenta
Re: Nojenta
Lembram-se do Zip-Zip?
GRANDE MULHER
Sem papas na língua e sem hipocrisias.
Nunca tantos trabalharam, para tão poucos destruirem.
Que esta justiça seja presa.
Parabens Maria Teresa Horta. Ainda ha portugueses
com dignidade. Não comprei ainda o seu último livro, mas quando estiver em Portugal irei compré-lo....Assim sim. Vale a çena ser português. A camariha que está no poder em Portgal quwer amerianizar a sociedade portuguesa com total desrespeito pela Cultura do País. Vêm plhaços de universidades estrangeiros sem conhecerem o País para impôr um tipo e sociedade onde o dinheiro tudo cmpra sem quaisquer valores éticos ou de slidariedade.
Emocionei-me Maria Teresa Horta. Tenho que a
procurar e dar-lhe um abraço. Obrigado pelo sua dignidade...
Comentários 233 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub