16
Anterior
Bruno Nogueira entrevista Deus
Seguinte
Pedro Mexia: "Sou conservador, ma non troppo"
Página Inicial   >  Sociedade  >  Gente  >   Margarida Martins: paixão por Marrocos

EM VIAGEM

Margarida Martins: paixão por Marrocos

Margarida Martins publica em livro as fotografias das suas viagens a Marrocos. Clique para visitar o canal Life & Style.
|

A presidente da Abraço, Margarida Martins, descobriu Marrocos há um ano e foi amor à primeira vista. Desde aí, já lá foi mais de dez vezes. De máquina fotográfica na mão, registou os rostos e os ambientes inspiradores dos lugares por onde andou. No dia 1 de Dezembro - Dia Mundial da Luta Contra a Sida - lança o livro de fotografias "Escrita de Luz - Ponte de Afectos", com as imagens emocionais dessas viagens.

Este livro é uma surpresa, pois revela a Margarida no papel de fotógrafa de viagens. A fotografia é um interesse recente?
Comecei a fotografar apenas há quatro anos. Um dia reparei numa foto que tinha feito à minha filha Leonor que achei especial. Coloquei-a no site Olhares (www.olhares.com) e os fotógrafos profissionais gostaram. Incentivaram-me a continuar.

As fotos publicadas revelam não só um olhar sensível, mas conhecimentos técnicos. Frequentou algum curso?
Passei por vários workshops, cada um de apenas três dias, muito genéricos, mas que foram importantes. Na verdade, sempre gostei de fotografia. Comecei nos anos 80 a ver exposições de fotografia na Holanda, acompanhada de um amigo. Cheguei a produzir um livro de fotografias do fotógrafo Mário Cabrita Gil - "A Idade da Prata". Nunca me imaginei no papel da artista, da fotógrafa. Foram os amigos fotógrafos que me estimularam a publicar essas imagens.

O que mais gosta de fotografar?
Pormenores e pessoas. Ando sempre com a máquina fotográfica na carteira. Às vezes, se estou em locais diferentes e se tenho tempo entre reuniões, vou para a rua fotografar.

Que história está por detrás da realização deste livro?
Tudo começou pela paixão que senti por Marrocos. Aconteceu em Agosto de 2008, quando aceitei o convite do cônsul de Marrocos em Portugal, o arquitecto José Alegria Martins, por causa do meu trabalho desenvolvido na área da solidariedade. Gostei tanto que voltei logo depois. Este ano fui a Marrocos seis vezes...

É um destino aqui tão perto...
E ao mesmo tempo tão longe... Rabat é a capital mais próxima de Lisboa e muita gente não sabe isso. Desprezamos muitas vezes os árabes, mas eles deixaram-nos uma cultura muito rica, assim como nós deixámos em Marrocos. Temos religiões diferentes, mas regiões muito parecidas.

É um dos seus países preferidos?
Quando estou em Marrocos sinto-me em casa. Gosto tanto do deserto como das grandes cidades, como Marraquexe, a minha cidade marroquina do coração. Tenho lá muitos amigos, famílias completas que me acolhem e me tratam muito bem. Também gosto da zona costeira, onde os portugueses deixaram marcas, como Essaouira, El Jadida, Safi, Assilah.

Encontrou uma ponte de afectos entre os portugueses e os marroquinos? Temos a mesma generosidade e simplicidade. Devia haver um barco entre Portimão e Casablanca. Estou a fazer esforços para que haja uma ligação na área da sida entre a Abraço e as associações locais marroquinas.

(Texto publicado na Revista Única da edição do expresso de 28 de Novembro de 2009)

(Texto publicado na Revista Única da edição do expresso de 28 de Novembro de 2009)

Opinião


Multimédia

Os assassínios, as execuções, as decapitações são as imagens mais chocantes de uma propaganda cada vez mais sofisticada. É a Jihad, que recruta guerrilheiros no ocidente para matar e morrer na Síria. O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Reportagem em Londres, no café onde viam jogos de futebol, na universidade onde estudavam e na mesquita onde rezavam. Autoridades e especialistas em terrorismo estão alerta sobre este pequeno mas perigoso grupo, onde corre sangue português - e de onde escorre sangue por Alá.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.


Comentários 16 Comentar
ordenar por:
mais votados
Margarida Martins paixão por Marrocos
Se o D. Afonso Henriques fosse vivo estou convicto que daria um abraço à Margarida por esse trabalho interesse que está a desenvolver. O D. Sebastião nem me atrevo a pensar o que ele faria. No entanto penso que qualquer um deles a propunha para a mais alta condecoração da Nação. Espero que o Presidente não se esqueça de reparar essa lacuna no dia de Portugal. Pela minha parte dou-lhe toda a força, para que parte da cultura Árabe volte e principalmente no que se refere a ter mais que uma mulher. É um exemplo que prova a inteligência e a civilização superior que nós não fomos capaz de assimilar.
Re: Margarida Martins paixão por Marrocos
Re: Margarida Martins paixão por Marrocos
Re: Margarida Martins paixão por Marrocos
Re: Margarida Martins paixão por Marrocos
Por isso é que ela passou de 163kg para 93kg !

Os camelos queixaram-se todos, e ela teve de abater 70kg!

Ou então, talvez a comida em Marrocos seja péssima.

:-)

D. Sebastião também andava apaixonado...
... por Marrocos e deu no que deu...
Num ano...
Foi 11 vezez à Marrocos??
Hà por aì bons ordenados, ainda mais quando é um propio que se fixa o tal.
Melhor que, tirando uns miseros 200 escudos,eu nao contribui para Abraço com outra coisa.
Re: Num ano...
Re: Num ano...
E de gorda se fez magra ...
Parece que nos rendimentos as coisas são ao contrário. Gosta muito de viajar e tirar fotografias que depois, ainda por cima, quer vender.

Quem a promove deve receber dinheiro por isso. Tanto sucateiro !
Nós portuguses,temos o sul de porugal;que a popula
Nós portugueses;deveríamos nos ligar mais ao povo marroquino...Pois a região do rio douro;e toda a região de trás-os-montes;e das beiras;e também toda a região de lisboa,sintra,e almada,e todos os alentejos e algarves;a mioria da população,é de origem árabe...Portugal foi islâmico quase 1000 anos...Só que o clero;tudo fez e faz para apagar esta nossa cultura islâmica que nós temos nas nossas veias.ALÁ KBAR....KANTIFLAS
Re: Nós portuguses,temos o sul de porugal;que a po
Re: Nós portuguses,temos o sul de porugal;que a po
mas wtf ???
...mas alguém no seu perfeito juízo vai comprar isto ?!?!?!?

isto interessa a quem ???

e o dinheiro , é para a abraço??
...mas que grande esquema que esta gaja criou !!! qual sucatas qual quê , ao pá desta , são uns amadores, não trabalha, vive e enriqueceu á conta da caridade das pessoas , e está para durar , brilhante...

inacreditável...

A MARGARIDA MARTINS
Dizem para ai, que tem ido a Marrocos para cura de amagrecimento.
Enfim más linguas!!!
Quanto ás fotografias quem as comprar pode ter a certeza que é dinheiro mal gasto. Qualquer viajante as faria.
Mas quem paga as deslocações, não sou eu,de certo.
Comentários 16 Comentar

Últimas


Pub