3
Anterior
Acidentes de esqui, além de Merkel e Shumacher
Seguinte
Câmara de Paredes desembolsa 800 mil euros para ajudar desalojados
Página Inicial   >  Sociedade  >   Mar violento danifica barcos e carros

Mar violento danifica barcos e carros

Ondas de dimensões invulgares provocam danos de norte a sul e assustaram grupo de adolescentes no Algarve.
|
Mar galgou paredão da Costa da Caparica
Mar galgou paredão da Costa da Caparica / José Sena Goulão/Lusa

De norte a sul o mar danificou nas últimas horas embarcações em Peniche, arrastou carros na Foz do Arelho e assustou um grupo de adolescentes que decidiram ir a banhos na Quarteira.

Na praia algarvia, os 12 jovens, todos de nacionalidade estrangeira, que se fizeram ao mar apesar da forte ondulação foram socorridos pelas autoridades marítimas. "Um deles quase ficava lá", disse à Lusa o comandante Malaquias Domingues, chefe do departamento marítimo do sul.

Para evitar que alguém seja arrastado pelo mar, na Costa da Caparica a capitania do Porto de Lisboa, em conjunto com a Proteção Civil, a Agência do Ambiente e os Bombeiros, decidiu interditar o acesso aos bares e restaurantes das praias e à zona do paredão urbano, uma zona muito frequentada por desportistas.

Na Foz do Arelho, concelho das Caldas da Rainha, quatro carros que se encontravam na avenida do mar foram arrastados, cerca das 19h, por uma onda. Segundo os bombeiros, há apenas a lamentar danos materiais. Para evitar males maiores os bares foram encerrados e o trânsito cortado na avenida.

Em Peniche, oito embarcações que se encontravam na marina de recreio ficaram danificadas pela fúria das águas. O capitão do porto, Pedro Vinhas Silva, disse à Lusa que o mar também destruiu o acesso por terra à marina.

Num comunicado hoje divulgado ao final da tarde, a Autoridade Nacional de Proteção Civil alerta para a ocorrência de "agitação marítima forte, com ondulação noroeste que poderá atingir os 16 metros na costa ocidental norte e centro e 14 a 15 metros na região sul até às 24h de hoje".


Opinião


Multimédia

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 3 Comentar
ordenar por:
mais votados
Algo semelhante ocorreu
no Brasil, em diferentes localidades, como: Maranhão, onde mais de uma centena de veículos foram arrastados para o mar; na Praia do Cassino, no extremo sul do Brasil, onde alguns veículos leves e um cargueiro, também foram arrastados por ondas fortes e que avançaram para além do costume. O mesmo facto, em diversas praias de Santa Catarina, Estado do Sul e que faz fronteira com o Rio Grande do Sul. Estranho isso, pois cá é verão ... Rio Grande
Os culpados e os " papalvos "...
... recusam o facto das alterações climaticas.
Os culpados, porque apodrecidos pelo imenso dinheiro que nos expoliam pensam que sempre conseguirão comprar ( melhor dizendo, roubar!!! ) um cantinho paradisiaco em qualquer lugar do Planeta; os outros, " os parvalhões ", repetem as " patranhas " que vão ouvindo, porque escravos dos tradicionalismos alienatorios.
A adoração cega resulta das lavagens cerebrais sofridas.
O maior culpado desta situação, USA, depois China.
O maior culpado disto tudo é os Estados Unidos, que não assinam os tratado de Quioto, seguindo-se a China, India e por tabela os restantes países emergentes.

Os Milionários que mantêm os Governos na USA com a sua ganância do dinheiro fácil estão-se borrifando para o zé que mora nas zonas litorais dos Continentes. Mesmo quando Manhattan ficar submersa, eles preferem gastarem uns biliões e meterem-na para lá da montanha de Hollywood.
Comentários 3 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub