Anterior
Amado da Silva reitor da Universidade Autónoma
Seguinte
"Feticídio feminino" preocupa asiáticos
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >  Manifestantes exigem paragem da construção da barragem do Tua

Manifestantes exigem paragem da construção da barragem do Tua

Contestatários reuniram-se em frente ao Parlamento preocupados em manter a classificação do Alto Douro Vinhateiro como Património Mundial da UNESCO.
Lusa |
Assunção Cristas esteve hoje na Comissão do Ambiente, Ordenamento do Território e Poder Local
Assunção Cristas esteve hoje na Comissão do Ambiente, Ordenamento do Território e Poder Local / Miguel A. Lopes/Lusa

Cerca de 20 pessoas concentraram-se hoje em frente à Assembleia da República, em Lisboa, exigindo a paragem das obras de construção da barragem de Foz Tua.

"A atitude inteligente da parte do Governo seria anunciar agora que a obra do Tua vai ser resgatada à concessão e vai ser parada definitivamente", defendeu o presidente do Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA).

João Joanaz de Melo argumentou que "seria a atitude inteligente porque é aquela que custaria menos dinheiro ao país, aos consumidores e aos contribuintes e era aquela que eliminava este conflito com a UNESCO", organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.

Classificação de Património Mundialem causa


A construção da barragem de Foz Tua pode levar à perda da classificação do Alto Douro Vinhateiro como Património Mundial da UNESCO.

No ano passado, a Icomos, uma associação de profissionais da conservação do património, alertou que a construção daquela barragem terá "um impacto irreversível" e constitui uma "ameaça ao valor excecional universal".

UNESCO "obviamente tem carradas de razão"


Para o presidente da GEOTA, a UNESCO "obviamente tem carradas de razão, o Governo português não cumpriu uma série de obrigações a que se tinha comprometido".

Joanaz de Melo lembrou que, com a construção da barragem, além do Douro Vinhateiro, "que é extraordinariamente importante para o turismo em Trás-os-Montes", está também em causa "a destruição da linha do Tua, que também é muito importante, quer como meio de transporte, quer como atração turística", e "a destruição dos valores naturais que são únicos".

Enquanto decorria a concentração, a ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, Assunção Cristas, era ouvida no Parlamento, numa comissão parlamentar que inclui a barragem do Tua na ordem de trabalhos.

"É muito mais barato parar agora"


O presidente da GEOTA sublinhou que "é muito mais barato parar agora a barragem do que andar com ela para a frente". "Esta concessão custou 53 milhões de euros e ter-se-ão gastado mais algumas dezenas de milhões de euros nas obras que foram feitas até agora. Se se deixar andar isto para a frente, calculamos que o custo para os cidadãos e contribuintes seja 20 a 30 vezes mais, algo entre dois mil milhões e três mil milhões de euros. Um custo muitíssimo maior e completamente inútil", disse.

Hoje, em frente ao Parlamento, os manifestantes distribuíam a quem passava o 'Manifesto pelo Tua', no qual mais de 40 personalidades de várias áreas exigem a "paragem imediata das obras" da barragem "antes que sejam cometidos danos irreparáveis sobre um património de inestimável valor".

Assinam o manifesto personalidades da ciência, cultura, economia, política e cidadania como o arquiteto Gonçalo Ribeiro Telles, o dirigente do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, o dirigente da Quercus Francisco Ferreira e João Joanaz de Melo.

A deputada de Os Verdes Heloísa Apolónia, o jornalista José Manuel Fernandes, o professor e especialista em hidráulica Carmona Rodrigues, o presidente da Câmara de Faro e dirigente do PSD, José Macário Correia, e o músico dos Blasted Mechanism Pedro Valdjiu são outros dos signatários.


Opinião


Multimédia

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.


Comentários 98 Comentar
ordenar por:
mais votados
Haja senso
Vinte pessoas, em Lisboa, reúnem-se, para exigir a suspensão de uma barragem, a 300km de distância. O argumento é a possível perda de classificação da Unesco.A necessidade ou não da barragem não é referida. Vá lá, que não se intitularam comissão de utentes, como é usual.

O Expresso achou o assunto de importância suficiente para um título e uma notícia com este destaque.

Podia ter referido que para esse peditório a gente já deu. Já temos uma barragem suspensa por uma gravuras, que ficariam melhor preservadas debaixo de água e que podiam ter sido replicadas para exibição, com qualidade cientifica e com garantia de que original não sofreria os efeitos de sol e ventos.

Esses ditos ecologistas têm custado milhões ao país, com os seus gestos folclóricos.Impediram, durante anos , a construção da barragem que dá de beber a Portimão e Albufeira e empurraram a auto-estrada do sul para cima do IC1.
Linces, nem um, só em jaulas. Só por isso, deviam levar uma chapada, cada vez que abrissem a boca......
Re: Haja senso
Re: Haja senso
Re: Haja senso
Re: Haja senso
Re: Haja senso
Re: Haja senso
!!! Censura no Expresso Online !!!
Re: Haja senso
Re: Haja senso
Re: Haja senso
!!! Censura no Expresso Online !!!
Re: Haja senso
Re: Haja senso
!!! Censura no Expresso Online !!!
Re: Haja senso
Re: Haja senso
Esta gente n
Esta gente não sabe o que quer!
Os mesmos que contestam o congelamento de obras e investimentos pelo governo, quando há obras em curso que terão um forte impacto positivo na diminuição da nossa dependência energética, agora vêm manifestar-se contra!

Vá lá alguém perceber esta gente!
Re: Esta gente não sabe o que quer!
Re: Esta gente não sabe o que quer!
Re: Esta gente não sabe o que quer!
Re: Esta gente não sabe o que quer!
Re: Esta gente não sabe o que quer!
Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Tenho pena de não ter Fé para pôr uma vela a S. João, para que não deixe que uma imbecilidade semelhante à da anulação da Barragem de Foz Coa, se repita.

Felizmente já temos os olhos um pouco mais abertos, mas o que se perdeu (dinheiro, energia, turismo, fácil acesso às gravuras a replicar em lugar seguro), tudo isso se perder, repito, com a paragem dos trabalhos, na Barragem de Foz Coa.
Mas esses custos deviam ser contabilizados, para vermos claramente o que a política eleitoralista nos faz perder.

Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Re: Outra vez Foz Coa, não!, NÃO! e NÃO!
Os interesses de uma empresa privada (EDP)
e dos seus accionistas estão acima do interesse nacional e do meio ambiente...
a barragem do Tua vai chamar-se a barragem Dela
a promiscuidade enter Assunção Cristas, a EDP e o escritório de advogados a que ela pertencia faz com que esta situação cheire a podre.
Re: a barragem do Tua vai chamar-se a barragem Del
Re: a barragem do Tua vai chamar-se a barragem Del
Re: a barragem do Tua vai chamar-se a barragem Del
Querem destruir aquela maravilhosa paisagem, para
com a EDP privatizada,para os seus accionistas disporem a pagar aos seus executivos as maiores exorbitâncias em salários e prémios, ou seja, a quem lhes contabiliza caninamente a gestão dos rendimentos. Com o alto patrocínio do governo português, e apesar das veementes críticas da Tróica que obrigaria a cortar nas papistas rendas da EDP mais que o Papa-impostos entende..E entretanto os cidadãos pagam a electricidade mais cara da Europa.
Vejamos quanto ganha o Conselho de Administração da EDP:
Manso Neto-828.996 euros
Nuno Alves-831.914
Antonio Mexia-1.043.541 euros
Ana Maria Fernandes-778.921 euros
Jorge Crus Morais-806.570 euros
Antonio Pita de Abreu-1.027.104 euros
Antonio Martins da Costa-778.922 euros
 
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Barragens e mais barragens que afinal não servem para baixar o custo da electricidade , só para aumentar as rendas da EDP , sem contrapartidas nenhumas para as populações locais que vêem os seus rios serem destruídos e tambem sem vantagem nenhuma para a população em geral que vê o património natural deste país ser arrasado por interesses de uma cáfila mafiosa.
Re: Nada disso!
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Deixem-se de tretas..aquilo é só fragas...e daqui a 10 anos nem os lobos lá vivem..excepto o tasco do "calça curta" que recomendo para mamar uns peixinhos de cebolada..
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
!!! Censura no Expresso Online !!!
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
Re: Manifestantes exigem paragem da construção da
!!! Censura no Expresso Online !!!
Re: !!! Censura no Expresso Online !!!
Re: !!! Censura no Expresso Online !!!
Re: !!! Censura no Expresso Online !!!
Re: !!! Censura no Expresso Online !!!
Re: !!! Censura no Expresso Online !!!
Re: !!! Censura no Expresso Online !!!
!!! Censura no Expresso Online !!!
!!! Censura no Expresso Online !!!
A barragem dá ...
Assim começavam antigamente as redações da escola primária (era esta a designação na altura).
As barragens para além de "darem à luz" também irragam os campos e servem de depósito (armanezamento) de água.
O Nordeste transmontano é carente deste líquido precioso.
As gravuras e apaisagem também são importantes.
Tentemos conciliar as coisas, disso nunca veio mal ao mundo.
Os fundamentalismos só interessam a quem faz disso vida.
!!! Censura no Expresso Online !!!
No Expresso Online a Censura existe!!!
Porque viola o Exp.Online os seus termos de utilização, censurando e apagando utilizadores válidos que nunca aqui fizeram qualquer comentário ofensivo?
Existe aqui um botão com o nome "Regras de Utilização", em que se afirma textualmente no ponto 5:

«Nunca estarão em causa questões de opinião, mas apenas a utilização de linguagem imprópria ou injúrias a terceiros.»

Ora não existindo "linguagem imprópria ou injúrias a terceiros." que mais poderá existir para que ultimamente diversos utilizadores tenham visto TODOS os seus comentários apagados, e noutros casos estejam IMPEDIDOS DE ACEDER ao Expresso Online, sem sequer terem sido avisados por email? Porque não responde o Expresso Online aos utilizadores que colocam questões no endereço que ele próprio fornece para o efeito? Que se passa aqui, QUE UM SIMPLES ADMINISTRADOR DE FÓRUM PODE APAGAR UTILIZADORES usando para o efeito os seus próprios critérios altamente discricionários e que violam os próprios termos de utilização!

Como funciona esta comunidade, em que até é necessário efectuar "crossposting" para várias notícias, para SE PODER PROTESTAR LEGITIMAMENTE contra a discricionariedade de qualquer fulano, que por iniciativa própria ou a pedido de terceiros, resolva CENSURAR sem qualquer motivo válido, utilizadores que nada fizeram de errado? Sim, trata-se de eliminação de utilizadores e de comentários educados por parte do gestor do Fórum!!!!!!
PS: PODEM APAGAR ESTE TB!
Barragens não dão energia
As barragens são um negócio negro para o país. Estas somente dão 4 % da energia para o país; estão dependentes da água das chuvas; destrõem a economia local; não deixam que a biodiversidade do local se desenvolva e que é importante para a sobrevivência do humano também( peixes, árvores e caça); destrõem a agricultura, a pecuária e a pastorícia bem como apicultura; não dão trabalho somente a meia dúzia de pessoas; acaba com o turismo rural, ecológico entre outros; degrada a qualidade da água; são contruções milionárias que quem paga são os contribuintes e não o senhor Mexia e companhia; vão ser precisas muitas décadas para se pagar estas obras; quando escassear a água devido a seca temos de importar gás e carvão logo pagamos mais e poluímos mais; ao acabarmos com aquela paisagem única no mundo, os nossos filhos e animais que vivem neste planeta não poderão usufruir dela; este negócio só vai é favorecer mais uma vez o senhor Mexia e governo pois estes senhores ficarão mais ricos com o pagamento bimensal de cada contribuinte que não corresponde ao valor real pois é a chamada especulação de preços e de obras, obras sem quaisquer desenvolvimento e que destroem o país.
Se todos os portugueses, apostassem em paineís solares, não precisavamos de barragens para nada e ainda podiamos vender a energia que nos sobrava e pagavamos o débito da compra em 5 anos; mais temos quase 300 dias de Sol por ano neste país, estavamos auto-suficientes e eramos um país sustentável.
Re: Barragens não dão energia
Re: Barragens não dão energia
É necessária?
De entre os vários e pouco elucidativos comentários, pouco ou nada se tira de útil.

Esta barragem é necessária, ou é mais uma maneira de certas individualidades encherem os seus bolsos e os das grandes empresas do costume?

Neste caso não há figuras rupestres para deslocar, mas sim património natural e uma linha de caminhos de ferro belíssima que não podem propriamente ser transladados. Claro que a gestão danosa que a CP vem a fazer há décadas se encarregou de inactivar a linha. A Brisa e a Mota Engil agradecem.

Ao que parece o caudal nem sequer é suficiente para ter uma barragem de jeito e as obras iam implicar custos superiores ao habitual (já contando com as habituais derrapagens pagas por si).

Enfim, mais uma para juntar às tantas. Sintam a energia da EDP.
Estes palhaços...
...recordam-me um professor de hidráulica que tive na Faculdade de Engenharia. E lembro-me de ele ser particularmente crítico com o atraso na construção da barragem do Tua, dizendo que estes tipos preferiam o país a importar gás natural (supostamente uma energia limpa...) do que a utilizar recursos próprios... Gente que não é, nem nunca será responsável de nada!
Re: Estes palhaços...
Re: Estes palhaços...
Re: Estes palhaços...
Imbecis
É cada imbecil aqui a comentar que até dói no coração. Um indivíduo que defende esta obra das duas uma: ou é estúpido, ou não sabe a realidade dos factos.
Re: Imbecis
Re: Imbecis
Re: Imbecis
Comentários 98 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub