25 de abril de 2014 às 8:33
Página Inicial  ⁄  Dossiês  ⁄  Dossies Atualidade  ⁄  Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente  ⁄  Mais de dez mil líbios atravessaram a fronteira

Mais de dez mil líbios atravessaram a fronteira

Desde que tiveram inicio, sábado, os combates pelo controlo de Tripoli, mais de dez mil líbios atravessaram a fronteira com a TunísiaClique para visitar o dossiê Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente
Lusa

Mais de dez mil líbios atravessaram a fronteira com a Tunísia, no posto de Dehiba, desde que se iniciou, no sábado, a operação dos rebeldes de controlo de Tripoli, informou hoje um responsável da ONU.

Clique para aceder ao índice do Dossiê Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente

Entre sábado e hoje, 4.750 líbios passaram a fronteira em direção ao seu país e 6.030 para a Tunísia, declarou um responsável do Alto-Comissariado da ONU para os Refugiados, não identificado pela AFP.

Segundo a agência noticiosa francesa, dezenas de veículos esperavam hoje pacientemente nos dois lados da fronteira. A maior parte das pessoas questionadas pela AFP que entravam na Tunísia era proveniente de Tripoli, onde os combates entre forças rebeldes e pró-Kadhafi prosseguem.

Comentários 5 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
A rapina em pleno seculo XXI...

ONU Portugal é o enviado José Filipe Moraes Cabral, presidente do comitê do Conselho de Segurança de sanções da Líbia, disse na sexta-feira que tanto o governo líbio e revolucionários fizeram pedidos que procuram fundos para itens humanitários, informou a Associated Press. Cabral disse que o comitê de sanções da ONU, que inclui todos os 15 membros do Conselho de Segurança, parece estar disposto a aprovar os pedidos "exclusivamente para a ajuda humanitária." O enviado Português passou a dizer que a comissão está agora à espera de pedidos detalhada da Líbia, acrescentando que a compra e distribuição de ajuda será ser realizadas por entidades confiáveis. Na quinta-feira, de cima das Nações Unidas política oficial Lynn Pascoe havia advertido que, com o mês sagrado muçulmano do Ramadã se aproximando, os líbios estavam em extrema necessidade de ajuda. Na sexta-feira, um funcionário do Conselho Nacional de Transição (TNC) disse que os revolucionários haviam recebido um empréstimo de US $ 200 milhões da Turquia. Ali Tarhuni, que lida com as finanças para a TNC, também apontou que um empréstimo de US $ 180 milhões do Kuwait tinha chegado recentemente e que deverá receber um empréstimo de 290 milhões de euros ($ 415 milhões) da França no próximos dias. Tarhuni acrescentou que a TNC está mantendo negociações com a Grã-Bretanha para obter o dinares líbios impressos e mantidos lá por causa das sanções financeiras impostas ao regime líbio. MA / JG / HRF

Portugal na rapina em beneficio de quem?
Uma delegação de empresários líbios e membros da sociedade civil ligados ao Conselho Nacional de Transição (CNT) foi hoje recebida em Lisboa pelo chefe da diplomacia portuguesa, Paulo Portas, disse à Lusa um dos participantes no encontro.

Contactado pela Agência Lusa na capital portuguesa, o empresário Abdulla Boulsien, que participou na reunião com o ministro dos Negócios Estrangeiros português, adiantou que a delegação composta por três elementos viajou para Portugal "com a aprovação do Conselho Nacional de Transição", o órgão político da rebelião líbia.

O encontro com Paulo Portas, adiantou Boulsien, serviu para "analisar a atual situação na Líbia" e "estudar as várias possibilidades de cooperação" que existem ao nível da "amizade, cooperação económica e ajuda humanitária".

"Abordámos os desenvolvimentos fantásticos das últimas 48 horas em Tripoli, e como podemos trabalhar juntos para garantir uma melhoria das relações entre os dois países e entre as sociedades civis líbia e portuguesa", precisou Abdulla Boulsien.

O empresário líbio destacou que Portugal, "durante muito tempo, tem sido um parceiro chave" da rebelião líbia e que "sempre apoiou as aspirações de paz e democracia do povo líbio".

Re: Portugal na rapina em beneficio de quem? Ver comentário
Mais de dez mil Líbios atravessam a fronteira
A guerra uma das tragédias da humanidade onde os inocentes são sempre os que mais sofrem. Desejo ao povo Líbio que consiga encontrar a paz o mais rápido possível. Daqui envio a minha solidariedade, embora não sirva de muito.
atravessaram?
Atravessaram?
E para onde?
Bem podem começar a andar na travessia das várias fronteiras que lhes forem aparecendo.
Pode ser que cheguem a algum lado
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub