Anterior
Atentado no centro de Bagdade faz 21 mortos
Seguinte
Citroën 2 cv arrastam apaixonados
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Maior apagão da década na Índia dura há dois dias

Maior apagão da década na Índia dura há dois dias

Segundo dia da pior falha de energia da década afetou já mais de 350 milhões de pessoas na Índia.
Milhões de pessoas foram afetadas pelos mais de 300 comboios que não puderam circular
Milhões de pessoas foram afetadas pelos mais de 300 comboios que não puderam circular / STR/EPA

Mais de 350 milhões de indianos foram afectadas pelos dois dias de apagão e pelo menos 300 comboios viram os seus percursos interrompidos, segundo o porta-voz do serviço de caminhos de ferro indianos, Indian Railways.

O colapso de energia era já ontem considerado o pior da década, afetando sete estados do norte do país, incluindo a capital, Nova Deli. Hoje, terça-feira, os danos foram ainda maiores, alastrando-se para as áreas do leste e nordeste da Índia.

Milhões de pessoas entupiram as estações de comboios à espera que se restabelecesse a circulação e as falhas nos sinais de trânsito provocaram grandes congestionamentos na capital indiana, Nova Deli, como relata a CNN.

As companhias elétricas indianas já anunciaram que estão a trabalhar para restaurar o fornecimento de energia às populações, mas ainda não ficou claro se o corte foi parcial ou total nas diferentes regiões.

Para os indianos, este é já um cenário comum, ainda que não com esta intensidade, que se torna mais constante durante os meses de verão, quando o consumo de energia aumenta devido ao tempo quente e húmido da região.

A Índia é a terceira economia asiática e o segundo país mais populoso do mundo, com 1,2 mil milhões de pessoas, atrás da China.


Opinião


Multimédia

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 10 Comentar
ordenar por:
mais votados
Pequenos gestos podem evitar um grande problema.
Os indianos não souberam, a bem, poupar energia de modo a manter os consumos em níveis comportáveis com as suas estruturas de produção e por isso agora fazem-no de forma forçada e generalizada. É caso para nós por cá também meditarmos um pouco sobre este assunto e começar a agir de forma mais racional e menos comodista. Da minha parte só muito excepcionalmente faço uso do ar condicionado e subo e desço do 3.º piso onde trabalho sempre pelas escadas dispensando o elevador. Com pequenos gestos podemos evitar um grande problema.
PODE SER COMPLICADO!
Os tipos em vez de verem telenovelas, fazem putos e qualquer dia não têm espaço aonde por a toalha! :-S
Parece
que o ciclo produção e consumo vai, se mantido sempre acelerado, criar um verdadeiro caos ao final de certo tempo. Não há possibilidade de apenas contornar com pequenos gestos de economia, como muitos ingenuamente querem. O impasse está na velocidade dos negócios, na voracidade dos capitalistas, os quais querem sempre mais. Certamente que não será um ecologista que fará o milagre de essa gente, os que comandam a produção e consumo, parem para repensar suas responsabilidades. O único que fará alguma coisa ser pensada, é o desastre. E, não será qualquer desastre de meia tigela, mas um bem grande o suficiente para tirar o fôlego, daqueles que defendem o modelo vigente e atenuantes vagas e simplórias. Não estamos mais vivendo o tempo de atitudes mansas, que são tomadas à sombra de grandes árvores. Temos problemas demais criados por nossa civilização e, no atual estágio, provavelmente não tenhamos como brecar os acontecimentos que não tardarão por derrubar nossa porta. Os homens, de um modo geral, só param diante de uma hecatombe. Param, por serem simplesmente dizimados., Enquanto podem, tecem teias de argumentos falaciosos e, ao enganar o próximo, por uma abstração intelectual, acreditam na falsidade das ideias que criam a cada momento. Às vezes, por mais difícil que pareça, um radical é o único que percebe o desastre antes de o mesmo acontecer. Os demais, dormem de consciência amortecida pela engenharia da propaganda viciadora. Rio Grande
Re: Maior apagão da década na Índia dura há dois d
Os ambientalista radicais devem estar bastante entusiasmados! Nova Delhi está a reduzir a sua "pegada"!
Re: Maior apagão da década na Índia dura há dois d
Re: Maior apagão da década na Índia dura há dois d
Re: Maior apagão da década na Índia dura há dois d
Re: Maior apagão da década na Índia dura há dois d
acho bem !!!
Só espero que estes apagões sejam todas as semanas !!! Ou então que haja chuva de monção todos os dias !!!
Re: Maior apagão da década na Índia dura há dois d
Quem pode levar a sério países destes?
Aquilo é um caos (des) organizado!
Comentários 10 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Últimas


Pub