28
Anterior
Época de caça começa hoje com novos calendários
Seguinte
Declaração pública de Assange prevista para esta tarde
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   "Madeira só tem dívida porque Estado abusa"
COM VÍDEO

"Madeira só tem dívida porque Estado abusa"

No comício que assinalou a rentrée do PSD-Madeira, Alberto João Jardim  acusou o Governo de Lisboa de ter dado o primeiro passo de separatismo ao remeter ao arquipélago o pagamento da sua dívida.

Lusa |
Jardim diz que o Estado não cumpriu as suas obrigações
Jardim diz que o Estado não cumpriu as suas obrigações  / Homem de Gouveia/Lusa

O líder do PSD-Madeira, Alberto João Jardim, considerou no sábado à noite, no Porto Santo, que foi o Governo Central, de coligação PSD/CDS-PP, a dar o primeiro passo de separatismo ao remeter ao arquipélago o pagamento da sua dívida.

"E no meio disto tudo, também temos que ter presente uma coisa: como viram a República disse 'a Madeira que pague as suas dívidas e nós, República Portuguesa, pagamos as nossas'. Afinal quem são os separatistas?", questionou Alberto João Jardim, que respondeu: "Quando um Estado como Portugal diz 'amanhem-se lá na Madeira e paguem o que fizeram', está dado o primeiro passo de separatismo, mas quem deu o passo foi o Governo de Lisboa".

No comício que assinala a rentrée do PSD-M, o também presidente do Governo Regional da Madeira sustentou: "Durante anos, como Lisboa e os poderes que lá estão não podiam negar o trabalho que se tinha feito na Madeira, então, para nos denegrir, eles começaram a dizer que nós vivíamos à custa da população do Continente".

"Não há investimento do Estado desde a autonomia"


"Nada de maior mentira, nada de mais mentiroso que essa afirmação", declarou Alberto João Jardim, perante centenas de pessoas que se concentraram no largo junto dos Paços do Concelho, frisando: "Não há um investimento do Estado na Região Autónoma da Madeira desde a autonomia". 

A este propósito, repetiu que "o Estado aqui paga as polícias, paga os tribunais, paga as Forças Armadas, que é o que está aqui para nos vigiar".

Aos presentes, Alberto João Jardim explicou as circunstâncias que levaram à dívida pública de seis mil milhões de euros, que levou ao pedido de assistência financeira a Lisboa, reiterando que a Constituição determina que o pagamento das despesas com saúde e educação cabem ao Estado. 

"Gastámos em investimento e em despesas do dia a dia desde que começou a autonomia, só em educação e saúde, nas matérias que a Constituição manda que seja o Estado a pagar, nove mil milhões de euros", exemplificou, insistindo que "se o Estado tivesse cumprido as suas obrigações neste momento, apesar de tudo o que se fez, a Madeira não tinha dívida". 

"E a Madeira só tem dívida porque temos um Estado que não é de direito, que abusa e faz o que quer das regiões e dos municípios", salientou o presidente do PSD-M. 

"Estamos manietados por gente estrangeira"


Alberto João Jardim referiu ainda que, na sequência do programa da troika, o país está "subjugado pelo poder estrangeiro". 

"A realidade é esta, perdemos a independência nacional, perdemos a soberania nacional, estamos governados, estamos manietados por gente estrangeira", observou, frisando, contudo, que há forma de sair desta situação. 

"Temos de nos aliar a todos aqueles que estão dispostos a mudar a política europeia", que disse ser a "favor do grande capital", desafiou o responsável, alertando, de novo, que não é "com este regime político" que "Portugal vai levantar a cabeça". 

No final do comício de verão do PSD-M, Alberto João Jardim deixou ainda uma mensagem de esperança: "Não desanimem, há esperança, a história não tem um fim, há sempre novos caminhos", afirmou, notando ser "preciso lutar" para encontrar esses caminhos e contra as forças do dinheiro, as sociedades secretas e os situacionistas. 



Opinião


Multimédia

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Costeletas de borrego com migas de castanhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.


Comentários 28 Comentar
ordenar por:
mais votados
NÃO QUERIAS AUTONOMIA PARA TUDO?????
Era engraçado tinhas autonomia para fazer tudo o que te aprecesse, até para ofender o governo central, mas para pagar as dividas já não querias autonomia.
Paga as dividas que fizeste e deixa-te de conversa!
Re: NÃO QUERIAS AUTONOMIA PARA TUDO?????
Desafio à realização de um referendo
Daqui desafio a que se faça o mais brevemente possível um referendo para a independência da Madeira.

Será sem surpresa que verei que a maioria da população do continente votará favoravelmente a que a Madeira saia do território nacional, e pelo contrário que os Madeirenses queriam continuar a manter-se Portugueses.

Mas da minha parte, e dado que aquela criatura escabrosa, nojenta e asquerosa do Jardim é eleito ininterruptamente pelo povo Madeirense, e portanto é o seu retrato, não lamentarei vê-los independentes e a governarem-se com a riqueza que produzem.

Na verdade é que em menos de nada, e depois de verem que a prostituição de crianças na marginal do Funchal não dá para pagar todas as despesas, estariam todos a baixar a calças a outro estado que os quisesse, acabando por ficar sob o jugo de Marrocos! Ahahahah

E aí queria ver os Madeirenses a levantar a garupa como o fazem com o resto dos portugueses... Era o levantavas... Muito chorariam então pelo "contenente" e pelos Cubanos de Lisboa.
Re: Os laranjas gostam do Bokassa ..
Ó Sr., Jardim
É a democracia por vós instaurada, plena de direitos e obrigações?
Tá bem Alberto
Gostei de ouvir essa, é que as dívidas cá de casa também tem um culpado e imagina quem é, enganaste-te é a minha sogra, que devia ter mandado a filha para a marinha e esqueceu-se.
TRAIÇÃO À PÁTRIA
Lei n.º 34/87, de 16 de Julho CRIMES DA RESPONSABILIDADE DE TITULARES DE CARGOS POLÍTICOS, CAPÍTULO II - Dos crimes de responsabilidade de titular de cargo político em especial, Artigo 7.º - Traição à Pátria: "O titular de cargo político que, com flagrante desvio ou abuso das suas funções ou com grave violação dos inerentes deveres, ainda que por meio não violento nem de ameaça de violência, TENTAR SEPARAR DA MÃE-PÁTRIA, ou entregar a país estrangeiro, ou submeter a soberania estrangeira, o todo OU UMA PARTE do território português, ofender ou puser em perigo a independência do País será punido com prisão de DEZ A QUINZE ANOS."
it takes one to know one
Nada melhor que um abusador para reconhecer outro abusador. E em matéria de abusos, Jardim não pede meças a ninguém.
AJJ
"Madeira só tem dívida porque Estado abusa"
Então!
Essas verdades não são para serem ditas, porque uns tem obrigações, outros muitos poucos têm direitos que outros estão impedidos de alcançar.
Só vejo uma saída lógica...
"Quando um Estado como Portugal diz 'amanhem-se lá na Madeira e paguem o que fizeram', está dado o primeiro passo de separatismo, mas quem deu o passo foi o Governo de Lisboa"."

Não deixa de ter uma certa razão. E de facto, se as dívidas são para serem integralmente assumidas pela Madeira, isso reafirma duas coisas:

1. Que a gestão financeira é separada, logo dando razão ao conceito de separatismo implícito... se as partes funcionam em separado sem sinergias comuns, a coesão é um conceito artificial mantido politicamente. Se uma das partes não estiver interessada, o que pode dizer a outra?

2. Que os madeirenses vivem de facto (quase) à sua custa, ao arrepio da ideia do Continente (segundo Jardim). 6 mil milhões ou mais de dívida foram uma parte importante do custo dessa "vida". Se são os Madeirenses que a vão pagar, então "nós", os Continentais, não podemos dizer que somos nós que a pagamos. Logo, a Madeira não vive à custa de "nós".

Só é pena que estes enunciados de Jardim, cheirem a hipocrisia e cinismo. Afinal de contas, este "amanhem-se" do Continente, é a resposta às ultimas violações de compromissos que Jardim assumiu com Lisboa. Não interessa se eram justos ou injustos, eram compromissos e ele traiu-os conscientemente, jogando em factos consumados. O que ele poderia esperar?

Mas não deixa de ter razão na sua acusação de separatismo. Só vejo uma saída lógica: a Madeira passa a pagar a sua dívida, E A NOSSA. Assim, já não pode falar de separatismo.
Zangam-se as comadres..
Se há uma coisa que eu penso que Victor Gaspar fez bem, foi por esta aberração na linha.
Se nós temos de pagar as dívidas que outros fizeram, e a Madeira é um mau exemplo disso mesmo, porque razão é que a aberração ainda reclama?
Tem o governo da sua cor a governar, tem o presidente da sua cor a disparatar, tem tudo a seu favor, menos o pagamento das dívidas.
Eu sou daquelas que penso que a Madeira é um caso perdido, e que a independência, seria a melhor solução.
Os madeirenses ficam com o seu circo de que tanto gostam, e a nós nenhuma falta faz.
Bananas há muitas.
!
Numa coisa tens razão. A Madeira tem dívidas porque o Estado é uma bandalheira. Enquanto tu andavas a fazer buracos na Madeira andava o sócrates a fazer crateras no continente e o guterres a perdoar centenas de milhões de euros à Madeira. Agora é que eu compreendo porque é que vocês não gostavam do Estado Novo e de Salazar. Na verdade, com Salazar este regabofe nunca teria acontecido. E vocês continuam a meter medo ao POVO com o papão do Salazar, mas quem tem medo do salazarismo são vocês. Eu e o POVO trabalhador não temos medo nenhum!!
madeira-so-tem-divida-porque-estado-abusa
O Bukassa continua a mandar bujardas, mas uma vez mais o discurso é para os madeirenses. De uma coisa pode ter a certeza; se fosse feito um referendo para a independência da Madeira ganharia o sim por larga maioria no Continente, mas provavelmente perderia na Madeira. Bocas à parte Jardim tem a seu favor, até ao momento que se saiba, nunca ninguém o acusou de ter metido dinheiro ao bolso e a dívida provem de obras feitas, embora algumas possam ser contestadas devido à sua necessidade.

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/06/o-galinho-da-madeira.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/06/formiga-branca-na-madeira.html
Tiros nos Pés
O Dr. Alberto mais uma vez dá tiros nos pés...Depois da vergonha com o que se passou na Assembleia Regional com o grupo par..lamentar do PSD em relação ao voto de pesar ao Dr. Miguel Portas, agora mais um espectaculo triste.
O povo da Madeira e Porto Santo não anda a dormir e mesmo dentro do PSD tem uma alternativa que se chama DR. Miguel Albuquerque..porque quem precisa de ser posto na linha é o Dr. Alberto João e companhia Lda...e isso já perceberam dentro do PSD até em Lisboa .
A Madeira ainda tem caruncho
A Madeira tem vivido com a absurda ideia de autonomia em regime de dependência. E sempre com um discurso de separatismo e vitimização.

Quando é que isto mudará?
é incrível!!!
é preciso ter lata..gasta milhões em coisas fúteis, e esbanja dinheiro com empresas de amigos..e agora a culpa é do governo de Lisboa??
ehehehheheh
há cada palhaço mais triste em portugal!!
independência da madeira??
gostava de ver isso..a serio!!!
o marítimo seria campeão todos os anos...
mas já não vinha ao contenente!!
Governo não cumpre Acordo com Troika

apoiado por TODOS os Parttidos e prefere aumentar impostos e colocar na MISÉRIA idosos e pessoas de fracos rendimentos.

- Corte de 40% no NÚMERO DE CÂMARAS MUNICIPAIS - zero, nada feito nem a fazer, claro, é onde se acoitam as clientelas partidárias.

- Eliminação de EMPRESAS PÚBLICAS, no Estado e Autarquias (EGEAC, ESTAMO, SOGESTAMO, etc etc) -zero

- Diminuição da TSU - zero

- Eliminação das Grandes Obras Públicas - muito pouco, continua a Barragem do Tua, e o Museu dos Coches, e o gigantesco Edifício para a Judiciária, e os Planos do mamarracho da Gare Marítima de ALFAMA, que irá descaracterizar toda essa ZONA HISTÓRICA, dos principais focus turísticos de Lisboa, os Tribunais NÃO voltaram para a Boa-Hora, o Jardim junto ao Terreiro do Paço será despesista e modernaço, outra agressão à paisagem histórica, etc etc
Comentários 28 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub