Orçamento de Estado 2014
frase

"Lotaria" para quem pede fatura

Governo quer sortear prémio para quem pedir fatura.
Ana Sofia Santos

A proposta de Orçamento do Estado para 2014 contém um pedido de autorização legislativa para o Governo criar um regime que "institua e regulamente a elaboração de um sorteio específico para a atribuição de um prémio às pessoas singulares com um número de identificação fiscal associado a uma fatura comunicada à Administração Tributária".

A intenção do Executivo é "a prevenção da fraude e evasão fiscais, valorizando a atuação dos cidadãos na exigência de fatura comprovativa da existência de uma operação tributável localizada em território nacional".

Comentários 23 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
mas então a AT não vai ter mais mil inspectores?
é mandá-los pra rua a fiscalizar todos os estabelecimentos com a ASAE!
quem cumpre, óptimo!
quem não cumpre, carrega com coimas pesadissimas!e fecha-se o burlão!
mais nada!
sortear o quê?????
cambada de incompetentes....
Pois... Ver comentário
Por aqui se vê como somos medíocres!
Os países onde os cidadãos têm um sentido cívico elevado, cultura e educação, não precisam de incentivos desta natureza, para pagar os seus impostos! No Sul abunda a mediocridade.
É verdade Ver comentário
Atenção: Ver comentário
qualquer dia vão pagar a bufos
para denunciar os merceeiros das aldeias que não passam factura.
Lindo!!!
Solução para a evasão fiscal: uma tômbola de facturas!!!!
O sorteio será feito no dia de Ano Novo, e os apresentadores serão, como não podia deixar de ser..., a Serenella Andrade e o José Carlos Malato.
E eu a pensar que não havia imaginação neste governo...
Não sei se eles estarão cientes, mas acabaram de descobrir "A" solução para a reforma do Estado: sortear os serviços que vão ser extintos! Sortear quem vai ser despedido! O caminho é este, meus amigos, é este...
E o prémio é....!!!!
Um conjunto de 10 fantásticas pastas de arquivo... de lombada grossa!!!!!!
Nada de admirar
Quando M F Leite foi ministra das finanças, eu fiz essa sugestão - o ministério respondeu -. A ideia, não era original e baseava-se no que já acontecia em Taiwan ( Formosa) na década de 1970, em explorava a apetência dos chineses pelo jogo. Os prémios era suficientemente importantes para garantir o sucesso da medida. Creio que agora também é praticada em vários países.
comédia
Porque não um sorteio para aplicar eutanásia nos velhos para deixarem de ser um encargo para o Estado? A gasolina para os BMW's dos ministros (mentes brilhantes autoras desta proposta) é cara!!
Como chamar a isto?
Então como vamos chamar a isto? Um doce? Ora, Ora!
... não acredito
República das Bananas..

Se for eficiente e provisório até se aprender que os serviços têm que pagar imposto...
olhe sff
olhe se faz favor é uma bica com boletim do totofinanças.

... é triste quando tem de se passar tamanho atestado de "atraso civilizacional" a um povo, mas depois de ver o isaltino morais ganhar uma camara apartir da prisao, pouco resta para dizer
:D))))))))) Ver comentário
exacto Ver comentário
nem mais...infelizmente Ver comentário
Porreiro
Finalmente, o Estado arranjou-me trabalho... vou ser fiscal das Finanças, pena é que para receber tenha que entrar num concurso. Porra, que chatice.
t-r-e-z-e.blogspot.pt/
Pois...
Com a cabeça de portas, ou de passos, a medida seria um sucesso com toda a certeza.
MENTIROSOS!!!
Passos Coelho não tem vergonha na cara, é um homem desprezível, porco sujo, sem carácter, tira constantemente tudo o que o Povo tem e agora até da a Lotaria por uma factura, mentiroso hipócrita, este homem vai ter um mau fim!!!
O QUE EU GOSTAVA DE SABER
era se com a introdução da "lotaria" fiscal, o governo deixa cair o bónus que atualmente dá nas faturas da restauração, cabeleireiros, e oficinas. É que neste momento esse bónus já ascende a 14 milhões de euros, pelo que é aceitável que até ao final do ano esse valor atinja os 18 milhões. Ora, se a lotaria são no máximo 10, então o governo vai "poupar" cerca de 8 milhões.
Um tanto cómica mas...
É uma forma de implementar um hábito que na realidade não é mais que um dever cívico. A factura é algo que devia ser sempre entregue ao cliente, não é ao último que cabe pedia-la.

Ao contrário do que muitos advogam na realidade o consumidor não está a ser delator da fuga aos impostos, simplesmente existe um incentivo que visa, como disse, incutir boas práticas ao consumidor.

Convém salientar, que o IVA por exemplo, é um imposto imputado ao consumidor com efeito quando pagamos um café ou de um corte de cabelo entregamos à fazenda 23%, este montante fica "à guarda" do vendedor até à entrega do mesmo. Assim, quando se dá a fuga ao IVA o consumidor é primeiro e principal lesado pois entrega um montante referente a um imposto que fica "retido" na caixa do vendedor, não chega aos cofres do Estado nem se traduz numa redução do preço de venda.

Notícias
Simon O'Connor, o porta-voz do comissário europeu para os assuntos económicos e monetários

Bruxelas diz que cortes na despesa são "amigos do crescimento"

Daniel do Rosário, correspondente em Bruxelas  143

Respeito do défice e consolidação assente em cortes da despesa agradam à Comissão Europeia.

mais
Maria Luís Albuquerque entrega o OE 2014 a Assunção Esteves

Governo corta 3184 milhões de euros na despesa

João Silvestre   94

Funcionários públicos e beneficiários das prestações sociais pagam mais de dois terços dos cortes. Receita contribui  com pouco mais de 700 milhões de euros.

mais

PIB cresce 0,8% e desemprego atinge 17,7%

João Silvestre 

O Orçamento do Estado conta com uma queda do PIB de 1,8%, menos acentuada que os 2,3% inicialmente previstos. Quanto ao desemprego, deverá situar-se nos 17,7%.

mais

Governo pede para Banif não contar para o défice

Pedro Lima 

A recapitalização do banco eleva défice deste ano para 5,9%. Sem este efeito atingem-se os 5,5% acordados com a troika.

mais

Estado pretende emitir 10,5 mil milhões em obrigações

João Silvestre 

Orçamento do Estado para 2014 conta com regresso aos mercados e prevê duplicação das emissões de divida de médio e longo prazo

mais

Governo avança com imposto sobre transações financeiras

Isabel Vicente e Elisabete Tavares 

Governo quer  criar uma taxa, até 0,3%, para aplicar à generalidade das transacções financerias no mercado secundário

mais

Despesa cresce mais de 50% no Ambiente e Energia

Virgílio Azevedo 

Apesar da crise, os gastos do ministério de Jorge Moreira da Silva disparam.

mais
Pires de Lima queria baixar o IVA da restauração

Orçamento mantém IVA da restauração

Ângela Silva  18

Pires de Lima tentou mas proposta do Governo não baixa IVA da restauração. Maioria vai tentar a alteração no Parlamento.

mais
O MNE terá um corte de 30,2 milhões de euros no orçamento

Negócios Estrangeiros reduzidos ao osso

Luísa Meireles  5

A aposta é na redução de pessoal e das missões externas. Camões leva corte de 7,8 milhões de euros.

mais

Defesa corta em tudo

Luísa Meireles  2

Apesar dos cortes, as despesas com a Defesa mantêm-se ao mesmo nível do ano passado em termos percentuais (1,1% do PIB).

mais

Saúde com menos 848 milhões

Vera Lúcia Arreigoso 

Saúde vai ter menos 848 milhões de euros em 2014. Ministro vai continusr a cortar nos medicamentos e nos exames.

mais

Inspetores e procuradores preocupados com corte na Justiça

Micael Pereira  10

Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal alerta para os "graves problemas orçamentais" que a PJ já tem. Sindicato dos procuradores teme pela reforma judiciária.

mais
O Orçamento de Estado suspende o pagamento das subvenções vitalícias pagas a ex-políticos, como deputados

Políticos perdem subvenção vitalícia

Rosa Pedroso Lima  34

Isentos deste corte estão apenas os ex-titulares de cargos políticos que comprovem ter rendimentos abaixo de 2000 euros mensais e, em simultâneo, um património inferior a cerca de 100 mil euros.

mais
O controlo apertado de admissões no Estado consta do Orçamento do Estado hoje entregue pela ministra das Finanças à presidente da Assembleia da República

Controlo apertado de admissões no Estado

Rosa Pedroso Lima  1

A medida junta-se ao congelamento de admissões em vigor e visa estimular a circulação de funcionários entre os vários organismos estatais.

mais

CP, Carris e Metro de Lisboa com maiores cortes nas indemnizações compensatórias

Anabela Campos 

O Estado vai poupar 108 milhões de euros em indemnizações compensatórias às empresas públicas. CP, Carris e Metro de Lisboa é quem vai receber menos. O total das indemnizações compensatórias (IC) ascenderá a 193 milhões de euros.

mais

Assembleia da República recebe menos

Cristina Figueiredo  3

A diminuição dos encargos com as subvenções partidárias para a realização de campanhas eleitorais é a justificação.

mais
Áreas na dependência da Presidência do Conselho de Ministros também serão alvo de cortes

Governação e Cultura perdem 4,5%

Cristina Figueiredo 

A áreas na dependência da Presidência do Conselho de Ministros passam de 755 milhões para 725.

mais

Agricultura e Pescas perdem 34 milhões de euros

Joana Madeira Pereira 

O Ministério da Agricultura e do Mar perde 2,6% no seu orçamento para 2014, menos 33,8 milhões de euros face a 2013. Ministério vai ter de poupar através da redução de 6% do seu pessoal.

mais

Corte nos benefícios fiscais dos fundos

Ana Sofia Santos  1

Fundos imobiliários e de pensões vão pagar mais impostos.

mais
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Os nossos leitores