28
Anterior
Transportes: Acessos a Lisboa congestionados devido a greve
Seguinte
Indústria: Novas encomendas com subida homóloga de 24,7%
Página Inicial   >  Economia  >  Lisboa: greve no Metro com 100% de adesão

Lisboa: greve no Metro com 100% de adesão

Metropolitano de Lisboa esteve em greve desde as 6h30 até às 11h30 de hoje, em protesto contra os cortes salariais impostos pelo Governo. Este é um "sinal" do desagrado dos trabalhadores, diz dirigente sindical.(Veja vídeo SIC no final do texto)
Lusa |
Quem tentou andar de Metro esta manhã deparou-se com as portas das estações trancadas, como aconteceu no Colégio Militar/Luz
Quem tentou andar de Metro esta manhã deparou-se com as portas das estações trancadas, como aconteceu no Colégio Militar/Luz / Miguel A. Lopes/Lusa

A adesão dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa à greve decretada para hoje rondou os 100%, disse à agência Lusa Diamantino Lopes, da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores dos Transportes (Fectrans). "Neste momento não estão a circular metros. A adesão ronda os 100%", avalia o sindicalista. 

De acordo com Diamantino Lopes, na "central de energia e circulações, que é o coração do Metro, está tudo parado, na circulação de comboios está tudo paralisado, quer as chefias, quer os maquinistas, e no que diz respeito às estações só sabemos de uma trabalhadora que se apresentou para trabalhar".

Para o sindicalista, este é um "sinal" do desagrado dos trabalhadores. "É essa a intenção, é dar um sinal ao Governo e à administração do Metro de qual o sentimento dos trabalhadores", afirma. "Para já estamos satisfeitos, sem dúvida nenhuma", sublinha. 

A Lusa contactou também com o Metropolitano de Lisboa, que remeteu declarações para mais tarde. 

Metro só retoma às 12h


Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa estão em greve desde as 6h30 até às 11h30 de hoje, em protesto contra os cortes salariais impostos pelo Governo. O Metro já fez saber que o serviço só será normalizado a partir das 12h00, acrescentando que "não foi fixada a prestação de serviços mínimos relativamente à circulação de comboios, pelo que não poderá garantir o serviço de transporte entre as 6h30 e as 11h30". 

As greves no setor dos transportes continuam na quarta-feira, com as paralisações parciais dos trabalhadores da Transtejo, da Carris e da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP). 

Na quinta-feira é a vez de paralisarem as empresas do setor ferroviário (CP, CP Carga, REFER e EMEF) e os CTT também se juntam aos protestos.  

Na sexta-feira, as empresas privadas associam-se a semana de luta, nomeadamente a Soflusa, a Rodoviária de Entre Douro e Minho e a Rodoviária da Beira Interior.  

O ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, António Mendonça, já apelou ao "bom senso" e ao "sentido de responsabilidade de todos os intervenientes".


Opinião


Multimédia

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.


Comentários 28 Comentar
ordenar por:
mais votados
Vá lá, apesar de tudo...
... e para os tempos actuais não estão muito mal pagos pois não fazem parte da geração €500! Se reclamam tanto é porque ganham mais do que €1.500 uma vez que só esses é que têm cortes salariais.

Será que - mais uma vez - há mãozinha do polvo sindical/partidário a conduzir o processo? Esses (os sindicalistas que mais não fazem do que estas coisas) também ganham mais do que €1.500 sem trabalhar; nada mau!...
Re: Vá lá, apesar de tudo...
Re: Vá lá, apesar de tudo...
Re: Vá lá, apesar de tudo...
Re: Vá lá, apesar de tudo...
Re: Vá lá, apesar de tudo...
Re: Vá lá, apesar de tudo...
Os símios e as caixas de comentários
Re: Os símios e as caixas de comentários
Re: Vá lá, apesar de tudo...
Re: Vá lá, apesar de tudo...
greves inúteis
os grandes prejudicados são sempre os mesmos...
Quem paga os prejuízos de quem compra passe mensal?
Re: greves inúteis... e injustas!
Re: greves inúteis... e injustas!
Re: greves inúteis... e injustas!
Greves...
Eu também me dava jeito fazer uma grevezita, para esticar os ossos mas depois não tenho dinheiro para pagar as contas!
Estas acções não resolvem nada, param o País, prejudicam todos e só servem para dar protagonismo a meia-dúzia de galifões dos sindicatos.
Deixo-vos à reflexão a Soflusa/TRANSTEJO que as notícias da semana passada declaram FALIDAS e cujos 'trabalhadores' ainda acham que com greves resolvem o assunto: um destes dias aquilo fecha, os navios são desmantelados os chupistas dos admnistradores da coisa são colocados num qualquer instituto e os 'trabalhadores' vão pedir trabalho aos sindicatos que incitam ás greves.
Trabalhem,produzam,revoltem-se,manifestem-se,entupam os Tribunais,arranjem outras formas de lutar mas greves não ... obrigado!
Paz podre.
Esta greve tal como todas as outras tem o sua origem na corrupção da classe dirigente empresarial.
Infelizmente todos os nossos bons gestores estão no estrangeiro.
Acho muito bem.
Deviam era cortar na frota parlamentar e deslocações e não nos ordenados das pessoas que têm as suas dívidas e nível de vida!
Re: Lisboa: greve no Metro com 100% de adesão
100% qual a dúvida? Desde que que se ponha o cadeado nas portas...
despesas
o mal destas empresas são os administradores pagos a peso de ouro para dificultarem a própia vida aos seus mais directos colaboradores os TRIPULANTES com sobrecargas de hórarios elevadas e más condições no que diz respeito á higiene e condições de trabalho e depois outros colaboradores de departamentos fantasma e a empregada da empregada supostas amigas dos mesmos administradores,não se trata de aumentos mas despesas a mais!!!
Os que mais ganham!...
Continuem a fazer greve, até podem fazer todos os dias, assim as pessoas podem inventar outras alternativas e chegar á conclusão que vós não servis para nada, a não ser para sugarem o dinheiro dos nossos impostos, dado que quem está a fazer greve trabalha em empresas altamente deficitárias, isto porque existe uma discrepancia muito grande entre os vencimentos auferidos por estes (superiores a 1.500 € mensais), enquanto muitos dos utentes apenas ganham o salário mínimo.
São estas desigualdades que provocam tanto descontentamento, mas são precisamente os que mais ganham os que mais se manifestam.
Re: Os que mais ganham!...
Re: Os que mais ganham!...
Re: Os que mais ganham!...
Re: Os que mais ganham!...
Re: Os que mais ganham!...
Sócrates escuta: O Pôvo está em luta !
Ó José Sócrates : - Já é altura de teres medo do Pôvo ! Olha que no dia em que ele se IRRITAR a sério, pode ser que não fiques "bem da saudinha" ! Tu és um presumido pateta e mais ou menos burro teimoso ! Mas cuidado não apertes de mais, senão o tal pôvo ainda se deita ... a adivinhar o modo de Te arrumar ! Olha o 25 de Abril, ou o 28 de Maio, ou o 5 de Outubro ou o ---, ou o ---- ! Treme Pinóquio ! - Os teus dias já foram, agora restas TU !
O privilégio dos trabalhadores dos transportes
As greves dos transportes são praticamente as únicas que afetam a atividade económica ao impedirem a deslocação dos trabalhadores para o seu local de trabalho.
Na prática os trabalhadores de transportes são uns privilegiados, em relação a muitos outros que nem sequer podem pensar em fazer greve, de tal maneira é inconsequente a promoção e adesão a greves.
A falta de capacidade reivindicativa dá origem a baixos salários e ausência de regalias.
As estruturas dirigentes do sindicalismo nunca encararam estas assimetrias do mundo do trabalho, de forma a que todos os trabalhadores sejam beneficiados pelas reivindicações do movimento sindical, pertencem ao setor que pertencerem.
O movimento sindical tem, assim, perdido capacidade de mobilização de setores vastos da classe trabalhadora.
Impõe-se, pois, uma reflexão do movimento sindical de modo a integrar no seu seio o maior número de trabalhadores possível.
E importa, por outro lado, ter uma noção correta da pertinência ou não pertinência do momento em que as greves devem ou não devem ser feitas.
O momento atual não é, na verdade, o melhor para fazer greves. Portugal está a debater-se com dificuldades para obtenção de crédito nos mercados internacionais a juros razoáveis. Estão a ser pedidos alguns sacrifícios para normalizar a atividade económica num momento de crise financeira e económica grave, com aumento do desemprego.
É lamentável que nem todos compreendam a situação!
Comentários 28 Comentar

Últimas

Ver mais
Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub