96
Anterior
Petroplus: suspeita de fraude "não tem fundamento"
Seguinte
Investidores defendem OPA da China Three Gorges sobre EDP
Página Inicial   >  Economia  >  Energia  >   Licenças para novas eólicas suspensas

Licenças para novas eólicas suspensas

O Governo decidiu hoje 'congelar' a atribuição de novas licenças para a produção de eletricidade em regime especial, afetando principalmente a geração eólica e a cogeração.

O Governo decidiu hoje 'congelar'a atribuição de novas licenças para a produção de eletricidade em regime especial, afetando principalmente a geração eólica e a cogeração.

Segundo o decreto-lei publicado hoje em Diário da República, o Governho suspende, "com efeitos imediatos, a atribuição de potências de injeção na Rede Elétrica de Serviço Público (RESP)", ainda que ressalvando a possibilidade de poderem vir a ser excecionados casos de "relevante interesse público".

Esta lei decorre de uma resolução do Conselho de Ministros de 05 de janeiro que pretende reavaliar o enquadramento legal da produção de eletricidade em regime especial.

Esta decisão suspende a atribuição de pedidos de informação prévia, a primeira fase do processo para a atribuição de potência para a produção de energia elétrica a partir de energias renováveis ou de resíduos industriais, agrícolas ou urbanos, com exceção da energia hídrica, bem como em instalações de cogeração.

Na altura, o Executivo explicou que esta decisão "decorre das orientações de política energética previstas no Programa do Governo e que apontam para a necessidade de ponderar e reavaliar o enquadramento legal da produção de eletricidade em regime especial".

O Governo comprometeu-se na segunda revisão do memorando de entendimento com a 'troika' a analisar a eficiência dos regimes de apoio aos produtores de energia em regime especial até ao final de janeiro, um mês após a data definida em setembro na primeira revisão do acordo.

Na segunda revisão do memorando de entendimento, os prazos para a análise da eficácia dos regimes de apoio à cogeração e possíveis reduções na tarifa, uma redução implícita da subvenção, deveriam ter sido entregues à 'troika' até final de janeiro. No entanto, até ao momento, o Governo ainda não anunciou se entregou ou não.


Opinião


Multimédia

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 96 Comentar
ordenar por:
mais votados
JÁ ESTÁ.
Eu já aqui esscrevi várias vezes que não deveria demorar muito tempo, em que aparecesse uma campanha na comunicação social, a diabolizar as energias renováveis, e a tecer maravilhas do nuclear.

O primeiro passo já está dado. O governo já decidiu congelar as energias renováveis, fez muito bem, é melhor continuar a importar petróleo, continuar a poluir, do que apostar em energias limpas, e o automóvel eléctrico, e assim diminuir as importações de petróleo.

E nada acontece por acaso, por saberem que este governo ia seguir politícas diferentes, já os Japoneses pararam uma fábrica de baterias para automóveis que estava a ser construida em Mangualde.

Também já aqui disse, o que este governo devia fazer agora, era pôr uma carga exçlosiva na base de todas as torres eólicas e deitá-las abaixo, já que é uma coisa assim tão má.

Vamos ver quais são agora as orientações do governo.
Re: Tonteria.
Re: Tonteria.
Re: Tonteria.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
As Eólicas são um Lobby da treta...eles mamam.
ELES MAMAM ... ...vocês pagam ...
Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
A força do lobbie dás energias sujas.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
'Governo suspende licenças para novas eólicas

Este anuncio suscita-me várias dúvidas e vários comentários.

1. Aparentemente o governo parou com o processo de implementação de fontes de energia em regime especial para uma série de tecnologias, EXCETO para a energia hídrica.

Se bem percebo, os regimes especiais de produção de energia destinam-se a promover o aparecimento de fontes de energia alternativas que aproveitem todas as oportunidades energéticas que o país oferece, oferecendo preços acima do mercado para que infra-estruturas energéticas não tardem a aparecer sob iniciativa privada. A base da ideia é pagar acima do preço do mercado durante uns anos. Depreende-se acima que é legítimo pra o governo pagar acima do preço de mercado à energia hidro-eléctrica mas não a outras.

2. A suspensão ressalva possíveis exceções em casos de "relevante interesse público"

Perdão, mas a tradução disto é, "exceções para amigos"!!! Suspender tudo abrindo a porta para exceções cujos critérios não são anunciados não permite outra interpretação. É que se eles são anunciados, então não se trata de uma suspensão mas de uma redefinição dos critérios de atribuição.

3. Esta medida não cumpre as nossas obrigações para com a Troica, nem esta está interessada em acabar com o programa de energia do país. A nossa dependência energética é um dos pregos na nossa competitividade. Se o governo não entregou documentação de análise desse programa à Troica ainda, então estas medidas não decorrem desta.
Re: 'Governo suspende licenças para novas eólicas
Re: 'Governo suspende licenças para novas eólicas
Re: 'Governo suspende licenças para novas eólicas
resiliente
CONSTATAÇÃO DOS FACTOS
    1º O principal problema do país é o desiquilíbrio da sua Balança Comercial que gera todos os outros
    2º A importação de combustíveis fósseis é a causa principal do déficet que é crónico
    3º Nenhama nova fonte de energia se atingiu a maturidade sem apoios na fase inicial até atingir a maturidade.
    4º Portugal fez já um longo percurso para se tornar menos dependente e teve que pagar a factura para se libertar dessa dependência mas criou-se um cluster hoje importante na produção de torres eólicas e aerogeradores para consumo doméstico e exportação
    5º Este Governo destroi tudo à sua frente em nome de interesses que já se perfilam no horizonte. Patrick Monteiro de Barros e o seu lobby estão a recuperar o folego para o ajudar a amortecer os danos causados pela falência da Petroplus de que era accionista e Presidente não Executivo. Ou seja investiu noutros países, correu mal e para recuperar estende a mão ao Governo Português para ver se consegue a nuclear.
6º As movimentações estão no terreno.O homem desdobra-se em entrevistas e palestras não para falar da falência da Petroplus mas para atacar as Renováveis e falar das vantagens da nuclear.
É altura de os oponentes sairem dos escondorijos caso contrário lá iremos autorizar a nuclear quando os outros estão a abandoná-la
Governo suspende licenças para novas
Apetece-me dizer:-Perdoai-lhe Senhor porque não sabem o que fazem. Aliás as energias alternativas só são faladas cada vez que o crude sobre, escasseia, ou há problemas nos Países onde existe. Como as pessoas são de vistas e memoria curta, esquecem de imediato o essencial. Até pode ficar neste momento mais caro, mas não é deixando de produzir as alternativas, que algum dia o crude baixará, além da dependência a que estamos sujeitos. O nuclear continua a ser um perigo o qual ninguém deseja perto de casa. Existe ainda os resíduos que são eternos e de difícil armazenamento. A história julgará um dia esta irresponsabilidade, mas também a falta de inteligência e de visão futura. Os Velhos do Restelo estão de volta.

http://www.youtube.com/wa...

http://www.youtube.com/wa...

http://www.youtube.com/em...
Negócio ruinoso
A forma como foi montada pelo governo Sócrates é reuinosa para o País.
No programa negócios da semana (de dia 25/1 na SicN) com entrevista ao mira Amaral, precebi finalmente o que se passa.
As eólicas são renováveis intermitentes, ou seja, não estão sempre a produzir. Só quando há vento suficiente. Necessitam assim de centrais térmicas de apoio, que produzam quando não há vento. Por isso, há que contar com os custos fixos dessas centrais, que estão paradas quando as eólicas produzem.
Por outro lado, o incentivo à co-geração, em que o diferencial é pago pelo Estado, vai custar em 2015 1500 Milhõs e Euros por ano! Mais do que as SCUTS.
Re: Sobre o assunto:
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
equacionar o nuclear, já
Portugal é um país extremamente dependente pelo que deve iniciar o debate da energia nuclear o mais rapidamente possivel. Para o efeito deverá ser promovido pelo governo um debate aberto, ponderado, esclarecedor, sem demagogias baratas e, depois referendar a decisão.
Re: equacionar o nuclear, já
Nuclear e outras tretas
Mais antiecotretas
Para os anglofóbicos
Para os francófilos
Re: Nuclear e outras tretas
São Mira Amaral
Re: São Mira Amaral
Parvo
Re: Parvo
Iluminado
Re: São Mira Amaral
Santo Amaral
Re: Nuclear e outras tretas
Onshore wind energy
Cortes chegam à limpeza; estamos muito mal!
A atribuição de novas licenças para a produção de electricidade em regime especial, significava que a factura eléctrica a pagar pelo consumidor teria que aumentar e o governo entendeu que isso seria um preço demasiado elevado a pagar pelas energias "limpas". Quando os cortes chegam à limpeza, estamos muito mal!
Energia
Debate interessante, com alguns comentadores muito bem informados.
A achega que um leigo pode aportar é relembrar que faz parte do programa do governo espanhol o desenvolvimento e a expansão da produção de energia por centrais nucleares.Pela proximidade e pela pequena dimensão estaremos incluídos na zona de possíveis perigos.

Se temos de compartilhar os inconvenientes, é de pensar se não será melhor compartilhar também as vantagens....
Mais que obvio.
Ora ai esta uma das condicoes previas da aquisicao de capital da EDP por parte dos chineses: nao aumentar a concorrencia ou congelar qualquer outro tipo fornecimento de energia por parte de empresas particulares.Negocios da China, claro!
Problema está nas tarifas feed-in
O problema não está nas eólicas em si, está no pagamento de uma tarifa feed-in garantida aos promotores eólicos. Assim:

1-cada MWh eólico custa cerca de 95 €, cerca do dobro do custo normal da electricidade no mercado;
2-Como as eólicas não produzem quando não há vento, há que manter as centrais térmicas
3-Como as centrais térmicas têm custos, e têm que estar a funcionar, preparadas para quando o vento deixar de soprar, não se poupa muito...
4-Para compensar essas perdas de funcionamento, paga-se às térmicas para estar em "stand-by"
5-Como o vento sopra sobretudo de noite em Portugal, tem que se armazenar o excesso de energia, ou então exportá-la para Espanha a custo de quase ZERO. Note-se que continuamos a pagar 95 €/MWh aos produtores eólicos
6-Para não exportar a custo 0, há que fazer barragens para armazenar a energia da noite para o dia. Note-se que as barragens portuguesas perdem cerca de 35% da energia neste processo...

E podia continuar quase ad-eternum. O Governo fez bem em parar com esta pouca vergonha! Vejam muitos mais detalhes em:

http://ecotretas.blogspot...
Re: Problema está nas tarifas feed-in
Re: Problema está nas tarifas feed-in
Re: Problema está nas tarifas feed-in
Re: Problema está nas tarifas feed-in
Re: Problema está nas tarifas feed-in
Antiecotretas
Re: Antiecotretas
Ainda mais antiecotretas
Re: Ainda mais antiecotretas
Antiecotretas ad infinitum
Re: Antiecotretas ad infinitum
Re: Antiecotretas ad infinitum
Re: Problema está nas tarifas feed-in
governo com dias contados
o governo suspendeu o pais, nao as eiolicas! desistiu do pais!

o governo esta desgovernado, e a nossa desventura desfralda-se a todo momento e o governo ruira, fruto da propria ganancia. quem tudo quer, tudo perde!

o governo fecha tudo, aumenta todos os impostos, empobrece e apodrece os alicerces de uma sociedade sadia: classe media! logo, tem um desfecho rapido como a sua ganancia: morre subitamente, sem gloria e sem cor!
Mira Amaral uma referencia!
Mira Amaral.

Que me recorde vagamente das contas do Mira Amaral sobre o BPN....

Foram excelentes....para quem?
Fecharam a torneira
Tudo muito bonito , e ninguem que entender que se tratam de subvencoes, que teem de ir para outro saco. Alguns falam de centrais nucleares como quem compra um mercedes...só falta o guito nao é ?
As EÓLICAS são um Lobby da Treta.
Desde a sua implantação que o "ESQUEMA" pertence ao segredo dos deuses. Cada "moinho" custava + ou - 1000 000 de Eu. Os terrenos onde se implantam estes equipamentos são particulares, concessionados por autarquias, mas o capital para os comprar é outra onda. Alguém me explica quem são as empresas, quantas são e porque é que as poupanças das populações locais onde estão estes equipamentos não foram integradas neste negócio?
Comentários 96 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub