96
Anterior
Petroplus: suspeita de fraude "não tem fundamento"
Seguinte
Investidores defendem OPA da China Three Gorges sobre EDP
Página Inicial   >  Economia  >  Energia  >  Licenças para novas eólicas suspensas

Licenças para novas eólicas suspensas

O Governo decidiu hoje 'congelar' a atribuição de novas licenças para a produção de eletricidade em regime especial, afetando principalmente a geração eólica e a cogeração.

O Governo decidiu hoje 'congelar'a atribuição de novas licenças para a produção de eletricidade em regime especial, afetando principalmente a geração eólica e a cogeração.

Segundo o decreto-lei publicado hoje em Diário da República, o Governho suspende, "com efeitos imediatos, a atribuição de potências de injeção na Rede Elétrica de Serviço Público (RESP)", ainda que ressalvando a possibilidade de poderem vir a ser excecionados casos de "relevante interesse público".

Esta lei decorre de uma resolução do Conselho de Ministros de 05 de janeiro que pretende reavaliar o enquadramento legal da produção de eletricidade em regime especial.

Esta decisão suspende a atribuição de pedidos de informação prévia, a primeira fase do processo para a atribuição de potência para a produção de energia elétrica a partir de energias renováveis ou de resíduos industriais, agrícolas ou urbanos, com exceção da energia hídrica, bem como em instalações de cogeração.

Na altura, o Executivo explicou que esta decisão "decorre das orientações de política energética previstas no Programa do Governo e que apontam para a necessidade de ponderar e reavaliar o enquadramento legal da produção de eletricidade em regime especial".

O Governo comprometeu-se na segunda revisão do memorando de entendimento com a 'troika' a analisar a eficiência dos regimes de apoio aos produtores de energia em regime especial até ao final de janeiro, um mês após a data definida em setembro na primeira revisão do acordo.

Na segunda revisão do memorando de entendimento, os prazos para a análise da eficácia dos regimes de apoio à cogeração e possíveis reduções na tarifa, uma redução implícita da subvenção, deveriam ter sido entregues à 'troika' até final de janeiro. No entanto, até ao momento, o Governo ainda não anunciou se entregou ou não.


Opinião


Multimédia

Quase ninguém ficou em casa

Foi num 25 de Abril como o deste sábado, mas há 40 anos e numa liberdade então recentemente tomada: a 25 de Abril de 1975, Portugal testemunhou as primeiras eleições livres e universais após quase meio século de ditadura. Estas são as histórias, os retratos, os apelos e as memórias de um tempo que mudou o rosto do país.

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

26 mil esferográficas, 14 mil urnas e 760 quilos de lacre. Os números de uma eleição histórica

Mais de mil caixas de lacre foram usadas pelas secções de voto que por todo o país, no dia 25 de abril de 1975, recolheram os boletins de milhões de eleitores. O Expresso percorreu os quatro mapas de despesas das eleições para a Assembleia Constituinte, elaborados pelo STAP, para saber quanto dinheiro esteve envolvido, onde e como foi gasto. Cada valor em escudos foi convertido para euros a preços correntes, tendo em conta a inflação. 

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.


Comentários 96 Comentar
ordenar por:
mais votados
JÁ ESTÁ.
Eu já aqui esscrevi várias vezes que não deveria demorar muito tempo, em que aparecesse uma campanha na comunicação social, a diabolizar as energias renováveis, e a tecer maravilhas do nuclear.

O primeiro passo já está dado. O governo já decidiu congelar as energias renováveis, fez muito bem, é melhor continuar a importar petróleo, continuar a poluir, do que apostar em energias limpas, e o automóvel eléctrico, e assim diminuir as importações de petróleo.

E nada acontece por acaso, por saberem que este governo ia seguir politícas diferentes, já os Japoneses pararam uma fábrica de baterias para automóveis que estava a ser construida em Mangualde.

Também já aqui disse, o que este governo devia fazer agora, era pôr uma carga exçlosiva na base de todas as torres eólicas e deitá-las abaixo, já que é uma coisa assim tão má.

Vamos ver quais são agora as orientações do governo.
Re: Tonteria.
Re: Tonteria.
Re: Tonteria.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
As Eólicas são um Lobby da treta...eles mamam.
ELES MAMAM ... ...vocês pagam ...
Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
Re: Conversa fiada e falaciosa!
A força do lobbie dás energias sujas.
Re: JÁ ESTÁ.
Re: JÁ ESTÁ.
'Governo suspende licenças para novas eólicas

Este anuncio suscita-me várias dúvidas e vários comentários.

1. Aparentemente o governo parou com o processo de implementação de fontes de energia em regime especial para uma série de tecnologias, EXCETO para a energia hídrica.

Se bem percebo, os regimes especiais de produção de energia destinam-se a promover o aparecimento de fontes de energia alternativas que aproveitem todas as oportunidades energéticas que o país oferece, oferecendo preços acima do mercado para que infra-estruturas energéticas não tardem a aparecer sob iniciativa privada. A base da ideia é pagar acima do preço do mercado durante uns anos. Depreende-se acima que é legítimo pra o governo pagar acima do preço de mercado à energia hidro-eléctrica mas não a outras.

2. A suspensão ressalva possíveis exceções em casos de "relevante interesse público"

Perdão, mas a tradução disto é, "exceções para amigos"!!! Suspender tudo abrindo a porta para exceções cujos critérios não são anunciados não permite outra interpretação. É que se eles são anunciados, então não se trata de uma suspensão mas de uma redefinição dos critérios de atribuição.

3. Esta medida não cumpre as nossas obrigações para com a Troica, nem esta está interessada em acabar com o programa de energia do país. A nossa dependência energética é um dos pregos na nossa competitividade. Se o governo não entregou documentação de análise desse programa à Troica ainda, então estas medidas não decorrem desta.
Re: 'Governo suspende licenças para novas eólicas
Re: 'Governo suspende licenças para novas eólicas
Re: 'Governo suspende licenças para novas eólicas
resiliente
CONSTATAÇÃO DOS FACTOS
    1º O principal problema do país é o desiquilíbrio da sua Balança Comercial que gera todos os outros
    2º A importação de combustíveis fósseis é a causa principal do déficet que é crónico
    3º Nenhama nova fonte de energia se atingiu a maturidade sem apoios na fase inicial até atingir a maturidade.
    4º Portugal fez já um longo percurso para se tornar menos dependente e teve que pagar a factura para se libertar dessa dependência mas criou-se um cluster hoje importante na produção de torres eólicas e aerogeradores para consumo doméstico e exportação
    5º Este Governo destroi tudo à sua frente em nome de interesses que já se perfilam no horizonte. Patrick Monteiro de Barros e o seu lobby estão a recuperar o folego para o ajudar a amortecer os danos causados pela falência da Petroplus de que era accionista e Presidente não Executivo. Ou seja investiu noutros países, correu mal e para recuperar estende a mão ao Governo Português para ver se consegue a nuclear.
6º As movimentações estão no terreno.O homem desdobra-se em entrevistas e palestras não para falar da falência da Petroplus mas para atacar as Renováveis e falar das vantagens da nuclear.
É altura de os oponentes sairem dos escondorijos caso contrário lá iremos autorizar a nuclear quando os outros estão a abandoná-la
Governo suspende licenças para novas
Apetece-me dizer:-Perdoai-lhe Senhor porque não sabem o que fazem. Aliás as energias alternativas só são faladas cada vez que o crude sobre, escasseia, ou há problemas nos Países onde existe. Como as pessoas são de vistas e memoria curta, esquecem de imediato o essencial. Até pode ficar neste momento mais caro, mas não é deixando de produzir as alternativas, que algum dia o crude baixará, além da dependência a que estamos sujeitos. O nuclear continua a ser um perigo o qual ninguém deseja perto de casa. Existe ainda os resíduos que são eternos e de difícil armazenamento. A história julgará um dia esta irresponsabilidade, mas também a falta de inteligência e de visão futura. Os Velhos do Restelo estão de volta.

http://www.youtube.com/wa...

http://www.youtube.com/wa...

http://www.youtube.com/em...
Negócio ruinoso
A forma como foi montada pelo governo Sócrates é reuinosa para o País.
No programa negócios da semana (de dia 25/1 na SicN) com entrevista ao mira Amaral, precebi finalmente o que se passa.
As eólicas são renováveis intermitentes, ou seja, não estão sempre a produzir. Só quando há vento suficiente. Necessitam assim de centrais térmicas de apoio, que produzam quando não há vento. Por isso, há que contar com os custos fixos dessas centrais, que estão paradas quando as eólicas produzem.
Por outro lado, o incentivo à co-geração, em que o diferencial é pago pelo Estado, vai custar em 2015 1500 Milhõs e Euros por ano! Mais do que as SCUTS.
Re: Sobre o assunto:
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
Re: Negócio ruinoso
equacionar o nuclear, já
Portugal é um país extremamente dependente pelo que deve iniciar o debate da energia nuclear o mais rapidamente possivel. Para o efeito deverá ser promovido pelo governo um debate aberto, ponderado, esclarecedor, sem demagogias baratas e, depois referendar a decisão.
Re: equacionar o nuclear, já
Nuclear e outras tretas
Mais antiecotretas
Para os anglofóbicos
Para os francófilos
Re: Nuclear e outras tretas
São Mira Amaral
Re: São Mira Amaral
Parvo
Re: Parvo
Iluminado
Re: São Mira Amaral
Santo Amaral
Re: Nuclear e outras tretas
Onshore wind energy
Cortes chegam à limpeza; estamos muito mal!
A atribuição de novas licenças para a produção de electricidade em regime especial, significava que a factura eléctrica a pagar pelo consumidor teria que aumentar e o governo entendeu que isso seria um preço demasiado elevado a pagar pelas energias "limpas". Quando os cortes chegam à limpeza, estamos muito mal!
Energia
Debate interessante, com alguns comentadores muito bem informados.
A achega que um leigo pode aportar é relembrar que faz parte do programa do governo espanhol o desenvolvimento e a expansão da produção de energia por centrais nucleares.Pela proximidade e pela pequena dimensão estaremos incluídos na zona de possíveis perigos.

Se temos de compartilhar os inconvenientes, é de pensar se não será melhor compartilhar também as vantagens....
Mais que obvio.
Ora ai esta uma das condicoes previas da aquisicao de capital da EDP por parte dos chineses: nao aumentar a concorrencia ou congelar qualquer outro tipo fornecimento de energia por parte de empresas particulares.Negocios da China, claro!
Problema está nas tarifas feed-in
O problema não está nas eólicas em si, está no pagamento de uma tarifa feed-in garantida aos promotores eólicos. Assim:

1-cada MWh eólico custa cerca de 95 €, cerca do dobro do custo normal da electricidade no mercado;
2-Como as eólicas não produzem quando não há vento, há que manter as centrais térmicas
3-Como as centrais térmicas têm custos, e têm que estar a funcionar, preparadas para quando o vento deixar de soprar, não se poupa muito...
4-Para compensar essas perdas de funcionamento, paga-se às térmicas para estar em "stand-by"
5-Como o vento sopra sobretudo de noite em Portugal, tem que se armazenar o excesso de energia, ou então exportá-la para Espanha a custo de quase ZERO. Note-se que continuamos a pagar 95 €/MWh aos produtores eólicos
6-Para não exportar a custo 0, há que fazer barragens para armazenar a energia da noite para o dia. Note-se que as barragens portuguesas perdem cerca de 35% da energia neste processo...

E podia continuar quase ad-eternum. O Governo fez bem em parar com esta pouca vergonha! Vejam muitos mais detalhes em:

http://ecotretas.blogspot...
Re: Problema está nas tarifas feed-in
Re: Problema está nas tarifas feed-in
Re: Problema está nas tarifas feed-in
Re: Problema está nas tarifas feed-in
Re: Problema está nas tarifas feed-in
Antiecotretas
Re: Antiecotretas
Ainda mais antiecotretas
Re: Ainda mais antiecotretas
Antiecotretas ad infinitum
Re: Antiecotretas ad infinitum
Re: Antiecotretas ad infinitum
Re: Problema está nas tarifas feed-in
governo com dias contados
o governo suspendeu o pais, nao as eiolicas! desistiu do pais!

o governo esta desgovernado, e a nossa desventura desfralda-se a todo momento e o governo ruira, fruto da propria ganancia. quem tudo quer, tudo perde!

o governo fecha tudo, aumenta todos os impostos, empobrece e apodrece os alicerces de uma sociedade sadia: classe media! logo, tem um desfecho rapido como a sua ganancia: morre subitamente, sem gloria e sem cor!
Mira Amaral uma referencia!
Mira Amaral.

Que me recorde vagamente das contas do Mira Amaral sobre o BPN....

Foram excelentes....para quem?
Fecharam a torneira
Tudo muito bonito , e ninguem que entender que se tratam de subvencoes, que teem de ir para outro saco. Alguns falam de centrais nucleares como quem compra um mercedes...só falta o guito nao é ?
As EÓLICAS são um Lobby da Treta.
Desde a sua implantação que o "ESQUEMA" pertence ao segredo dos deuses. Cada "moinho" custava + ou - 1000 000 de Eu. Os terrenos onde se implantam estes equipamentos são particulares, concessionados por autarquias, mas o capital para os comprar é outra onda. Alguém me explica quem são as empresas, quantas são e porque é que as poupanças das populações locais onde estão estes equipamentos não foram integradas neste negócio?
Comentários 96 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub