Anterior
Líbia: Ajdabiya tomada pelos rebeldes
Seguinte
Líbia: encontrados corpos de 21 combatentes de Kadhafi
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Atualidade  >  Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente  >   Líbia: EUA não vão enviar forças terrestres

Líbia: EUA não vão enviar forças terrestres

Barack Obama garante que os EUA não vão colocar forças terrestres na Líbia. Para o Presidente americano, a missão no país "é clara, focada e bem sucedida". Clique para visitar o dossiê Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente
Lusa |

O Presidente norte-americano, Barack Obama, garantiu hoje que os Estados Unidos não vão enviar forças terrestres para a Líbia.

Clique para aceder ao índice do Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente

"Como já tinha dito, o papel das forças norte-americanas é limitado. Não vamos colocar forças terrestres na Líbia", disse Obama na sua intervenção semanal na rádio.

O embaixador da Rússia junto da NATO, Dmitry Rogozin, tinha defendido anteriormente que operações militares terrestres na Líbia seriam consideradas como uma ocupação do país.

NATO evitou catástrofe


"Operações (militares) terrestres seriam classificadas como ocupação da Líbia e isso contradiria diretamente a resolução adotada pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas", disse Rogozin à agência RIA Novosti. O Presidente norte-americano disse ainda que a missão internacional na Líbia "é clara, focada e bem sucedida".

"Estamos a proteger o povo líbio das forças de Kadhafi, declarámos uma zona de exclusão aérea e tomámos outras medidas para prevenir futuras atrocidades", disse Obama.

Para o chefe de Estado norte-americano, ao ter agido rapidamente, a NATO "evitou uma catástrofe humanitária e as vidas de inúmeros civis inocentes, homens, mulheres e crianças, foram salvas".
 


Opinião


Multimédia

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 20 Comentar
ordenar por:
mais votados
Líbia EUA não envia tropas terrestres
Também não é preciso, as que já lá estão chegam, desde que sejam destruídas as armas do outro lado. O Kadhafi já era e ou eu muito me engano, ou vai acabar com uma corda no pescoço.
Re: Líbia EUA não envia tropas terrestres
A Resolução da ONU...
...com o apoio da Liga Árabe e com um mandato inequívoco amplamente consensual,parece ter sido a melhor e única opção razoável para travar a insensatez de Kahdafi e a sua manifesta incapacidade para lidar com a contestação ao seu "reinado" de corrupção.

Provàvelmente se Bush estivesse na Casa Branca,a questão líbia seria incendiada ao gosto dos "falcões" Rumsfeld e seus capangas.
Temos de reconhecer...
O Coronel Muammar Kadhafi nesta guerra incomensoravelmente desproporcionada em termos bélicos,especializados e de propaganda entre a coligação internacional "democrática" defensora dos demagógicos direitos humanos e o regime líbio "opressor",não enveredou pela resistência intempestiva da destruição pela destruição(tal como havia ameaçado naturralmente inicialmente em clima de possível guerra),pelo que revelou racionalmente bom senso e sentido da responsabilidade.
Logo,não podem ser considerados,ele e os lideres intermédios do regime vigente na líbia durante mais de 40 anos- e,anteriormente, aceite pelo povo líbio- como sendo inimputáveis ou irresponsáveis.
Se a coligação diz que defende os direitos humanos,é de esperar que aja em consonância com isso.
Re: Temos de reconhecer...
Re: Temos de reconhecer...
Viu a reportagem toda? Abra os olhos. Veja bem!
Re: Viu a reportagem toda? Abra os olhos. Veja bem
A decisão dos EUA
É correcta, ou estariamos perante uma invasão igual à do Iraque.
No entanto não sei até quando pode durar esta ofensiva, pois o ditador Kadhafi pode ser uma surpresa e não creio que acabe de corda ao pescoço.
Importante salvaguardar a vida daqueles que nada têm a ver com isto e são apanhados no meio das trajectórias dos disparos.
Que os direitos humanos sejam realmente respeitados na Líbia e em tantos outros países de África onde existem ditadores sem o mínimo respeito pela vida humana.
Re: A decisão dos EUA
o regime líbio "opressor"??
O regime líbio "opressor"?? Poe exemplo, ele não chacinou civis, ele "chacinou" civis; ele não disparou armas de guerra contra populações, ele "disparou" armas de guerra...
afonso aguiar você está a brincar conosco ou anda a ler livros tipo "a guerra para tótós"??
Re: o regime líbio
O teixeiranet foi muito meigo.
Re: O teixeiranet foi muito meigo.
Gosta fundo?
Re: Gosta fundo?
É esse o seu problema.
Re: É esse o seu problema.
Na carga de pancada ou na violação
Re: Na carga de pancada ou na violação
Comentários 20 Comentar

Últimas

Últimas


Pub