Anterior
Líbia: descoberta vala comum com 1270 corpos
Seguinte
Líbia: dúvidas com ossos encontrados em vala comum
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Atualidade  >  Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente  >   Líbia: cadáveres descobertos em vala comum eram presos

Líbia: cadáveres descobertos em vala comum eram presos

Os 1270 corpos encontrados hoje numa vala comum, em Tripoli, são de presos assassinados em 1996 pelo regime de Muammar Kadhafi. Clique para visitar o dossiê Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente
Lusa |
A vala comum foi descoberta graças a informações fornecidas por pessoas próximas ao regime de Kadhafi
A vala comum foi descoberta graças a informações fornecidas por pessoas próximas ao regime de Kadhafi  / Suhaib Salem/Reuters

Os cadáveres descobertos hoje numa vala comum em Tripoli são de detidos na prisão de Abu Salim que foram assassinados em 1996 pelo regime de Kadhafi , confirmou hoje o porta-voz do Conselho Militar de Tripoli.

Clique para aceder ao índice do Revoltas no Magrebe e no Médio Oriente

Numa conferência de imprensa, Khaled Cherif, porta-voz das forças armadas das novas autoridades líbias, explicou que a vala comum foi descoberta graças a informações fornecidas por pessoas próximas ao regime de Kadhafi e que há 15 anos terão participado no massacre.

Depois de terem sido sujeitos a um interrogatório, as pessoas próximas do ex-líder líbio disseram que os corpos foram enterrados entre 1996 e 2000 no solo do estabelecimento prisional e que, posteriormente, foram desenterrados e voltados a enterrar numa vala comum no exterior.

Cadáveres pulverizados com produtos químicos


O porta-voz Conselho Militar de Tripoli adiantou aos jornalistas que as estimativas apontam para 1270 presos assassinados, acrescentando que já começaram as operações para exumar os cadáveres.

Adiantou que o Conselho Nacional de Transição, que governa Líbia depois de depor Muammar Kadhafi, não tem de momento os meios necessários para poder identificar os cadáveres, que terão sido pulverizados com produtos químicos para dificultar a identificação.

Cruz Vermelha envia equipa


O porta-voz pediu ajuda aos organismos internacionais e afirmou que a Cruz Vermelha irá enviar dia 6 de outubro uma equipa de peritos a Tripoli.
A prisão de Abu Salim tem uma reputação sinistra. Opositores do regime asseguram que foram torturados sistematicamente naquele local.

A prisão também abrigou presos acusados de pertencerem ao Grupo Islâmico Líbio de Combate (GICL) que terá promovido uma tentativa de rebelião entre a população prisional, que terminou com o massacre de 1996.

Nesse massacre, um dos maiores da história do país, foram mortas mais de 1200 pessoas. No final de agosto, quando as forças anti-Kadhafi assumiram o controlo de Tripoli, os habitantes que moram perto deste complexo prisional abriram as portas e libertaram centenas de reclusos.


Opinião


Multimédia

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 5 Comentar
ordenar por:
mais votados
A noticia omite que os presos eram muçulmanos
que se tinham revoltado contra Kadafhi. As noticias em Portugal são sempre muito esquisitas. Para sabermos as coisas de forma completa temos que ir à comuniação social estrangeira...Mas que estranho, não é?...
Re: A noticia omite que os presos eram muçulmanos
Só me resta dizer que o meu caro tira conclusões
Os cadáveres não falam
E já agora para me acusarem de eu defender um
ditador. E quantas centenas ou milhares de civis foram mortos nos bombardeamentos da NATO?...
Comentários 5 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub