Anterior
Nelly Furtado doa dinheiro que recebeu de Khadafi
Seguinte
Anúncio com Gisele Bündchen cria polémica no Brasil (vídeo)
Página Inicial   >  Sociedade  >  Gente  >   Lésbicas expulsas de avião por darem um beijo (vídeo)

Lésbicas expulsas de avião por darem um beijo (vídeo)

Leisha Hailey, da série televisiva "The L Word", e a namorada foram expulsas de um avião da companhia norte-americana Southwest Airlines por darem um beijo, acusa a atriz.
|
Leisha Hailey era uma das estrelas da série "The L Word"
Leisha Hailey era uma das estrelas da série "The L Word" / Getty

A atriz Leisha Hailey, que ficou conhecida pela participação na série televisiva "The L Word", e a namorada, Camila Grey, foram expulsas de um avião da companhia norte-americana Southwest Airlines por darem um beijo, acusam.

O caso, revelado pela própria atriz na sua conta no Twitter, está a criar polémica nos EUA e já obrigou a uma "guerra" de comunicados entre o casal e a companhia aérea.

Leisha Hailey e Camila Grey - que fazem parte da banda "Uh Huh Her" - iam voar entre Baltimore e Saint Louis quando foram abordadas por uma hospedeira que as terá advertido, depois de um beijo, dizendo que a Southwest era uma "companhia familiar" e deveriam moderar o seu comportamento.

"Desde quando é ilegal mostrar afeto pela pessoa que amas?"


A discussão instalou-se e o casal foi obrigado a sair do avião. "Fui vítima de discriminação. Desde quando é ilegal mostrar afeto pela pessoa que amas?", escreveu a atriz no Twitter.

A Southwest explicou a situação, em comunicado, dizendo que a atriz e a namorada se tinham "excedido nos comportamentos e na linguagem", tornando-se "agressivas", daí terem sido expulsas. A companhia também fez questão de frisar que não discrimina ninguém e apoia "com orgulho" a comunidade LGBT (lésbica, gay, bisexuais e transgénero).

"Queremos deixar bem claro que não estávamos na 'marmelada'"


O casal não aceitou a explicação e também respondeu em comunicado , esclarecendo que as suas acções "não foram nem excessivas, nem inaproriadas, nem vulgares - de maneira alguma."

"Queremos deixar bem claro que não estávamos na 'marmelada' nem a criar qualquer tipo de espetáculo - foi um único, e modesto, beijo. Somos mulheres adultas responsáveis que se comportam no mundo com dignidade. Estávamos simplesmente a comportar-nos como qualquer casal normal."

A Southwest Airlines já tinha sido notícia recentemente por ter expulso o vocalista da banda Green Day, Billie Joe Armstrong, de um avião, alegadamente por este ter as calças demasiado largas, isto é, a mostrar a roupa interior.

Leisha Hailey garantiu que nunca mais voltará a voar pela Southwest e que apresentará uma queixa formal contra a companhia - até por que diz ter "vídeo e som" do incidente.

Veja um vídeo que tenta explicar o incidente:

Opinião


Multimédia

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 24 Comentar
ordenar por:
mais votados
Re: Lésbicas expulsas de avião por darem um beijo
Re: Lésbicas expulsas de avião por darem um beijo
Cheira a esturro
Parece-me uma história mal contada......
Re: Cheira a esturro
Re: Cheira a esturro
Re: Cheira a esturro
Re: Cheira a esturro
Re: Cheira a esturro
Re: Cheira a esturro
Re: Cheira a esturro
Re: Cheira a esturro
Re: Cheira a esturro
Vídeo e Som
Claro, evidentemente, como não podia deixar de ser, as prevaricadoras ou inoportunas "meninas" (ponho aspas pois não sei a idade delas), têm, como prova, "vídeo e som". Então não haviam de ter? De resto, não é assim mesmo que as coisas se fazem? Pois fazem, lamentavelmente; sobretudo nesta nossa era do "vale tudo" e ganha sempre quem primeiro se faz de vítima, quem primeiro e mais alto grita, seja qual for a verdade do que esteja, realmente, por trás. E eu acrescento: as ACTRIZES têm tudo com elas, incluindo o som e o vídeo do "beijo" que deram; só não têm, ao que me parece, uma coisa: um mínimo de vergonha na cara! E dado que elas prometem nunca mais viajar na Southwest Airlines, eu, pela minha parte, declaro: logo que possa e tenha essa escolha, voarei com esta companhia que se diz "amiga" da família. Até para poder ver se, de facto, o é ou não. E claro, espero que as duas "meninas", simplesmente, nos deixem viajar em paz!
Re: Vídeo e Som
Re: Vídeo e Som
Re: Vídeo e Som
Re: Vídeo e Som
Re: Vídeo e Som
Re: Vídeo e Som
Re: Vídeo e Som
Re: Vídeo e Som
Re: Vídeo e Som
expulsao prematura :)
Nao vejo motivo para expulsarem as lesbicas, acho que nao havia perigo de as accoes seguintes fazerem tremer o aviao :) Ja se fosse um beijo entre um homem e uma mulher, achava a expulsao muito bem pensada pois as accoes subsequentes podiam fazer tremer a aeronave e podiam por em perigo a sua estabilidade no ar e nesse caso seria uma expulsao muito bem pensada
Mas aqui o pessoal passa-se?
Um beijo é motivo de expulsão? Fala-se aqui de vitimização porque? Reparem se dessem um beijo no vosso namorado/(a), acham que razão suficiente para usufruir de um serviço, o qual vocês pagaram?

Existem várias formas de resolver um conflito e parece-me que a expulsão das pessoas dos voos, não é o melhor posicionamento para a companhia de voo. Beijar, ter as calças mais baixas, são razões demasiadamente insignificantes para justificar uma medida tão drástica e quanto a mim bastante discriminatória.

E a todas as Mirandas e pessoal que acham que as meninas deveriam ter vergonha na cara, digo-lhes o mesmo quando por exemplo muitos casais heterossexuais, pessoas de bom nome e bons costumes, levam os filhinhos bebés para o shopping ou outro local publico, e os filhinhos fazem birra por tudo e por nada, emitindo gritos estridentes, bem acima da escala tolerável e o resto dos mortais (pessoas sem vergonha na cara, suponho eu) somos obrigados a aturar este tipo de comportamentos...

Isto foi só um exemplo, de que o que pode ser tolerável para si, pode ser uma experiência dolorosa para mim, mas não me dá o direito de expulsar quem quer que seja, apenas e só porque eu não gosto de algum comportamento. ( Ainda por cima é um comportamento comum a todos, seja um beijo ou grito estridente... ou será que são pudicos este ponto?)

Comentários 24 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub