Siga-nos

Perfil

Legislativas 2015

Legislativas 2015

Abstenção volta a aumentar e atinge o valor mais alto de sempre

  • 333

Taxa ficou acima da verificada nas legislativas de há quatro anos

Raquel Albuquerque

Raquel Albuquerque

Texto

Jornalista

Jaime Figueiredo

Jaime Figueiredo

Infografia

Infográfico

A abstenção nestas eleições legislativas ficou nos 43,07%, uma taxa mais elevada do que nas passadas eleições para a Assembleia da República, em 2011, quando 41,97% dos eleitores inscritos não foram votar. Ao contrário do que se chegou a estimar no início da contagem dos votos deste domingo, esta taxa representa um novo aumento, sendo a maior desde as primeiras eleições constituintes em 1975.

O que os números da Secretaria Geral da Administração Interna mostram é que nestas eleições, tendo em conta os votos contados a nível nacional, 5,37 milhões de pessoas deslocaram-se às urnas e 4,07 não votaram. Recuando quatro anos, até às passadas eleições legislativas, veem-se algumas diferenças: na altura, registaram-se 5,58 milhões de votantes e 4,04 milhões eleitores que não votaram.

É de sublinhar a vaga de emigração dos últimos anos e o impacto que pode ter na abstenção. Os votos até agora contados dizem respeito à votação de 3.092 freguesias do país, mas ainda não foram contados os votos dos consulados fora do território nacional.

Segundo os dados da Comissão Nacional de Eleições (CNE), a taxa de abstenção de 41,97% nas legislativas de 2011 tinha sido, até este domingo, a mais elevada desde 1975, quando ocorreram as primeiras eleições livres em Portugal. Nessa altura, a 25 de abril de 1975, registou-se a maior ida de sempre às urnas (a taxa de abstenção foi de 8,34%).

A taxa viria a ultrapassar os 30% pela primeira vez nas eleições de 1991 e, mais tarde, em 2009, ficou acima dos 40%. Tanto na votação de 2011 como na de hoje, a abstenção continuou acima desse limite.

Os resultados mostram ainda que nas eleições deste domingo se registou o número mais alto de votos nulos desde as legislativas de 1985: foram cerca de 87 mil, correspondendo a 1,42%. Já os votos em branco desceram em relação às últimas eleições: foram 112.293 (2,09%) este domingo, abaixo dos 148.618 (2,66%) de 2011.