Siga-nos

Perfil

Legislativas 2015

Legislativas 2015

Seguristas pedem cabeça de António Costa, Álvaro Beleza admite avançar contra Costa

  • 333

Mota Andrade foi o primeiro a pedir a demissão do secretário-geral socialista

Marcos Borga

Presidente da Federação Distrital do PS de Bragança foi o primeiro a pedir oficialmente uma mudança da liderança do partido. Seguiu-se João Assunção Ribeiro (“o partido das derrotas de 2011 e 2015 tem de dar lugar ao partido das vitórias de 2013 e 2014”), Álvaro Beleza, Miguel Laranjeiro e António Galamba

Cristina Figueiredo

Cristina Figueiredo

Jornalista da secção Política

A noite das facas longas acabou de começar. O presidente da Federação Distrital do PS de Bragança, Mota Andrade, nem esperou pela declaração de António Costa para emitir um comunicado de imprensa onde afirma claramente: "Face a esta mau resultado, o PS tem que repensar a política e escolher novos intervenientes que possam conduzir o PS a futuras vitórias".

O líder do PS/Bragança, um dos principais apoiantes de António José Seguro, afirma ver com "grande preocupação" os resultados eleitorais e lamenta ter-se interrompido "um ciclo de vitórias eleitorais" do PS, referindo-se às autárquicas e às europeias.

Por sua vez, o antigo secretário nacional do PS para as Relações Internacionais, João Assunção Ribeiro, exige a "saída imediata do atual secretário-geral do Partido Socialista". Na sua página no Facebook, o ex-porta-voz do partido na liderança de António José Seguro é taxativo: "O partido das derrotas de 2011 e 2015 tem de dar lugar ao partido das vitórias de 2013 e 2014, para ganhar em 2016 e 2017. Isso implica a saída imediata do atual secretário-geral do PS".

Já depois de terminada a conferência de imprensa de António Costa, o antigo dirigente socialista - atualmente a desempenhar funções nas Nações Unidas, na Coreia do Sul - considerou-a "absolutamente lamentável". "Cada voz do PS que se cale perante este exercício de cinismo e de alienação estará a condenar o PS a uma irrelevância dificilmente recuperável".

À saída do hotel Altis, outros dois seguristas pronunciaram-se a favor de uma discussão imediata da liderança do PS. Álvaro Beleza, que assumiu a herança do anterior lider do PS no pós-primárias, defendeu que "quem abriu a crise interna no PS e disputou a liderança (a António José Seguro) por achar que a vitória era pequena não pode deixar de ir a votos no partido quando tivemos uma derrota clara". Beleza entende que um congresso é preciso - "não chega uma comissão política e uma comissão nacional". E não excluiu a hipótese de ele próprio avançar com uma candidatura contra António Costa.

Também o ex-secretário nacional para a Organização do PS, Miguel Laranjeiro, confessou-se "triste, chocado e preocupado" com os resultados eleitorais desta noite. "Triste" porque "milhares de socialistas deram o seu melhor nesta campanha eleitoral", "chocado" com "os resultados obtidos pelo PS, já que se interrompeu um ciclo de vitórias", e "preocupado com o país e a vitória da maioria de direita". À pergunta se entendia que Costa se deveria demitir, Laranjeiro respondeu "ao contrário": "Sempre defendi que secretários-gerais que ganhem eleições devem manter-se no lugar".

O dirigente socialista António Galamba também pediu este domingo à noite a demissão do líder do PS, António Costa, por considerar que falhou na unidade do partido e na conquista de uma maioria absoluta.

"O que o Dr. António Costa fez ao PS e ao país é criminoso", escreve António Galamba numa declaração enviada à agência Lusa na qual pede a demissão do secretário-geral do PS após a derrota nas eleições legislativas deste domingo.

O antigo membro do secretariado nacional do PS no tempo da liderança de António José Seguro considera que Costa falhou os objetivos a que se propôs quando se candidatou a secretário-geral.