Siga-nos

Perfil

Legislativas 2015

Legislativas 2015

Resultados fechados: PS e coligação separados por 6 pontos, BE faz história e PAN consegue eleger

  • 333

Luís Barra

Numa altura em que falta apurar apenas uma freguesia, a coligação PSD/CDS obtém 38,57% dos votos, contra 32,38% do PS. Bloco confirma melhor resultado da sua história e o PAN revela-se o maior entre os pequenos partidos, conseguindo eleger um deputado por Lisboa

Joana Pereira Bastos

Joana Pereira Bastos

Texto

Jornalista

Jaime Figueiredo

Jaime Figueiredo

Infografia

Infográfico

Numa altura em que estão contados praticamente todos os votos, faltando apurar apenas uma freguesia, a coligação PSD/CDS vence com 38,57% dos votos, mais 6,19 pontos percentuais do que o PS, que alcança 32,38%.

De com os resultados oficiais, a coligação Portugal à Frente (PàF) já assegurou 102 deputados, ficando assim longe da maioria absoluta. Já os socialistas garantiram 83 lugares no Parlamento. No total, faltam ainda atribuir nove mandatos.

O Bloco de Esquerda conquista o melhor resultado da sua história, com 10,21% dos votos e 19 deputados - mais do dobro do que conseguiu em 2011, quando a bancada parlamentar se ficou pelos oito deputados.

A CDU passa a quarta força política, obtendo, para já, 8,25% dos votos e 16 deputados, o mesmo que há quatro anos.

O PAN (Pessoas - Animais - Natureza) revelou-se o maior entre os pequenos partidos, conquistando 1,39% dos votos e elegendo um deputado por Lisboa.

Entre os pequenos, segue-se o PDR de Marinho e Pinto, com 1,13%, e o PCTP/MRPP com 1,11%. O Livre/Tempo de Avançar, de Rui Tavares, não foi além de 0,72% dos votos.

LISBOA E SETÚBAL EXPLICAM PERDA DA MAIORIA ABSOLUTA

Lisboa e Setúbal ajudam a explicar a perda da maioria absoluta por parte do PSD/CDS.

Em Lisboa, a coligação de direita perdeu sete mandatos em relação a 2011, passando de 25 para 18 deputados. Já o PS obtém 33,54%, mais 6,1% do que há quatro anos, assegurando mais quatro deputados do que nas últimas legislativas.

O BE duplica a votação em Lisboa, tal como aconteceu a nível nacional, com 10,89% dos votos (mais cinco pontos do que em 2011) e cinco deputados, tantos como a CDU. A distribuição de mandatos pelo círculo de Lisboa fica completa com o assento parlamentar conquistado pelo PAN.

Em Setúbal, onde falta apurar resultados numa freguesia, a coligação PSD/CDS tem uma quebra significativa relativamente a 2011, passando de sete para 3 deputados e de 37,17% para 22,23% dos votos.