Siga-nos

Perfil

Legislativas 2015

Legislativas 2015

“Cavaco não é genuinamente republicano”

  • 333

CARLOS SANTOS/ Lusa

Marinho e Pinto considerou como “absurda” a justificação para a ausência do Presidente da República nas comemorações do 5 de outubro. “Ele nunca foi verdadeiramente o presidente dos portugueses, mas do PSD”, referiu

Assim que chegou ao largo do Carmo onde discursou para menos de 100 apoiantes, o presidente do PDR comentou a decisão do Presidente da Republica (PR) em não participar nas comemorações do 5 de outubro. "O atual PR nunca esteve verdadeiramente em nenhuma celebração do 5 de outubro. Esteve só a cumprir protocolo, nunca esteve em espírito, porque não é genuinamente um republicano e foge do povo".

O PR não estará presente por considerar que este é um momento particularmente delicado da situação política, uma justificação que Marinho e Pinto diz ser "absurda". "Ele pensa que somos todos tolos para aceitar essa desculpa. Mas um verdadeiro PR estaria no 5 de outubro a fazer o seu discurso de despedida. Ele nunca foi verdadeiramente o presidente dos portugueses, mas do PSD", concluiu o candidato a primeiro ministro pelo PDR.

No penúltimo dia de campanha o PDR passou a manhã na Feira de Carcavelos, à porta da qual se cruzou com as caravanas do PS e da coligação PàF. Entre cordiais cumprimentos, há um momento caricato, quando Marinho e Pinto resolveu fazer um "chiu", de dedo na boca, virado para o carro da coligação que tinha os altifalantes ligados.

A volta à feira decorreu como de costume, também com as frases do costume, tanto da parte dos feirantes, como do próprio líder do PDR. "Olha quem ele é, o advogado da televisão. Gosto de o ouvir falar". "Se gosta de me ouvir falar ainda vai gostar mais do que vou fazer. Vote na mudança", retorquia Marinho e Pinto.
Ao contrário da comitiva da coligação que contava com vários jovens que ofereciam bandeiras e canetas a quem por ali andava, os militantes do PDR só tinham panfletos para distribuir. "Este partido não recebe dinheiro do Estado para gastar em campanhas", justificavam a quem pedia mais qualquer coisa.

Na sexta-feira o ex-bastonário da Ordem dos Advogados vai passar o dia em Coimbra, onde fará o último comício desta campanha.