Siga-nos

Perfil

Legislativas 2015

Legislativas 2015

PDR. “Cavaco devia ter saído pela porta dos fundos”

  • 333

Alexandra Simões de Abreu

Marinho e Pinto acusa o Presidente da República de ter mentido aos portugueses, induzindo-os “a comprar ações do BES quando aquilo tudo estava a desmoronar”

O Presidente da República fará o seu último discurso de Estado a 5 de outubro, data em que se comemora a implantação da República e dia que marca também a criação do Partido Democrático Republicano.

Questionado sobre o que espera ouvir de Cavaco Silva nesse dia, o líder do PDR disparou sem pestanejar: "Eu teria boas expectativas se o senhor PR não falasse", porque "já falou de mais e não tem dito coisas que entusiasmem os portugueses", respondeu Marinho e Pinto.

Sem precisar que lhe fizessem nova pergunta, continuou: "Inclusivamente já faltou à verdade, induzindo os portugueses a comprar ações do BES quando aquilo tudo estava a desmoronar". A terminar, Marinho e Pinto ainda afirmou que se Cavaco "tivesse uma réstia de bom senso e vergonha, tinha-se calado e saído devagarinho pela porta dos fundos".

O Partido Democrático Republicano começou o dia de quarta-feira no mercado do Livramento, em Setúbal, onde teve o primeiro frente a frente com o seu "rival" Movimento Partido da Terra (MPT), que também por ali fazia campanha. A primeira vez que se cruzaram no recinto até nem correu mal, com elementos de ambos os partidos a cumprimentarem-se, mas quando Marinho e Pinto, eleito eurodeputado pelo MPT, se apercebeu de que os elementos deste partido resolveram manter-se junto da comitiva do PDR "para ganhar protagonismo", segundo ele, não conseguiu ficar calado: "Saiam da nossa beira, saiam da nossa beira", gritou.

"É uma estratégia política que eles têm para tentar baralhar os eleitores, fazendo crer que eu ainda estou nesse partido. Eles andam colados a nós, porquê? Somos partidos diferentes, façam a campanha deles, longe de nós", acabou por justificar aos jornalistas o advogado de Coimbra.

De seguida, a caravana do PDR dirigiu-se à Associação dos Armadores da Pesca Artesanal e Local do Centro e do Sul, em Sesimbra, mas a comunicação social foi barrada à entrada pelos pescadores, que conversaram com o eurodeputado à porta fechada.

A seguir veio a hora do repasto, que aconteceu na cantina do Centro Comunitário do Bocage, em Setúbal, já que a área da solidariedade e de apoio aos idosos é a principal bandeira do candidato do PDR pelo círculo de Setúbal, João Marrana, de 52 anos.