Siga-nos

Perfil

Legislativas 2015

Legislativas 2015

Marques Mendes. “Pedro Passos Coelho já tem um lugar garantido na história”

  • 333

Luis Barra

“Dá-me uma enorme confiança ter à frente do Governo uma pessoa que não tem medo nem anda aos ziguezagues”. Mendes, o comentador, nem sempre está de acordo com o Governo. Mas “o laranjinha” que conhece “o Pedro” há 30 anos foi a Coimbra avisar: “a escolha no domingo é entre a estabilidade e a aventura”

Ângela Silva

Ângela Silva

Texto

Jornalista

Luís Barra

Luís Barra

Fotos

Fotojornalista

Conhecem-se há “muitos anos”, nem sempre estão de acordo, e o Marques Mendes comentador não garante que vá concordar sempre com o Passos Coelho primeiro- ministro. Mas na reta final da campanha, Mendes foi a Coimbra dar um entusiástico apoio à coligação, com uma nota pessoal: “pelo que fez pelo país e pela determinação que evidencia Passos Coelho já tem garantido um lugar na história”.

Reconhecendo ao primeiro-ministro qualidades e defeitos, o ex-líder do PSD destacou, no entanto, duas qualidades do chefe do Governo que considerou essenciais no momento em que o pais vive: “uma enorme coragem e ser um político que não anda aos ziguezagues”. Paulo Portas também não ficou sem elogio: “foi o ministro mais importante até hoje a fazer diplomacia económica em Portugal”.

Luis Barra

Mendes apontou razões do passado (a devolução da troika à procedência), do presente (a economia a recuperar, o desemprego a cair), e do futuro (podermos distribuir a riqueza de forma equilibrada, preservar o estado social e reduzir a carga fiscal), para apelar ao voto na coligação.

“Mas atenção, este não é um tempo para aventuras”, alertou. E por isso pediu aos que ainda não se reconciliaram com Passos e Portas que não fiquem em casa (seria beneficiar o infrator). E que, ao contrário, contribuam para uma maioria que evite o risco “de um governo eleito pelo povo ser substituído por outro cozinhado nas costas do povo”.

“O país com eleições ano a ano não vai a lado nenhum”, afirmou. Passos e Portas agradeceram. O comentador no próximo sábado não estará na SIC. É dia de reflexão.