Siga-nos

Perfil

Legislativas 2015

Legislativas 2015

Pedro & Paulo, “amigos para siempre”

  • 333

Luís Barra

Canção interpretada pela tuna do Politécnico de Bragança deu o mote para Passos Coelho filosofar sobre a amizade na política e as “coisas bonitas” que o Governo fez

Filipe Santos Costa

Filipe Santos Costa

Texto

Jornalista da secção Política

Luís Barra

Luís Barra

Foto

Fotojornalista

É um clássico das campanhas eleitorais: uma visita ao Politécnico de Bragança, além de servir para qualquer candidato louvar a aposta na educação e o investimento no Interior, garante sempre um número musical com a tuna local.

Na visita de Pedro Passos Coelho e Paulo Portas, esta quinta-feira, o repertório incluiu "Amigos para siempre", o hit que José Carreras e Sarah Brightman gravaram para os Jogos Olímpicos de Barcelona. Passos, que gosta de cantar, acompanhou, apesar de reconhecer que a sua voz não está em forma, por causa do cansaço. Portas, que não é de cantigas, não cantou.

Os jornalistas quiseram saber se aquela canção dava um bom hino para a coligação de Pedro e Paulo. O líder da coligação invocou memórias da canção em causa, lembrou que "reagimos com emoção às coisas bonitas e que nos tocam" e acrescentou que "houve nestes anos de Governo muitas coisas bonitas que nos tocaram e muitas preocupações que compartilhámos".

Mesmo que "Amigos para siempre" não tenha sido promovido a hino de campanha, deu o mote para uma breve dissertação de Passos sobre a política e a amizade. "A vida traz, na política e em outras atividades, muitas oportunidades para construir amizades sólidas. Não temos muitas ao longo da vida, mas construímos algumas amizades. Isso exige disponibilidade grande, pouco preconceito e sobretudo olhos postos no futuro, que é o que costumo fazer."

Com o parceiro de coligação a ouvi-lo, Passos acrescentou: "Atitude idêntica é partilhada do lado do doutor Paulo Portas. Tenho certeza disso."

“Paulo, queres dar umas palavrinhas?”

O bom entendimento entre os dois líderes da coligação tem sido patente, assim como a preocupação de ambos em dar espaço e não ofuscar o outro. Portas dá sempre primazia a Passos, deixa-o ir à frente, falar primeiro. Mas o social-democrata esta quarta-feira trocou-lhe às voltas. Em Bragança, onde ambos improvisaram uma arruada, subiram ao pelourinho da cidade e foi Passos quem deu palco ao parceiro: "Paulo, queres dar umas palavrinhas?"

Depois, num almoço em Mirandela, num salão cheio como um ovo, Passos fez questão de elogiar o "doutor Paulo Portas por uma grande campanha que nos tem propiciado nesta coligação. Aqueles que apostavam numa imagem de desunião e fraca coesão estão, do lado dos nossos adversários, dececionados, porque temos mostrado que no Governo ou na campanha temos muita coesão."

Tem sido, de facto, assim.