Siga-nos

Perfil

Legislativas 2015

Legislativas 2015

Costa volta a apelar à maioria absoluta

  • 333

Rui Duarte Silva

"Não é altura de ter discussões inúteis sobre se quem ganha é quem tem mais votos ou mais deputados", afirmou o líder do Partido Socialista

Luísa Meireles

Luísa Meireles

Texto

Redatora Principal

Foi num comício este sábado ao fim da tarde em Évora que António Costa resolveu por fim apelar à maioria absoluta, dando assim uma resposta à sondagem que esta semana deu a vitória em votos ao Partido Socialista mas a maioria de mandatos à coligação.

"O tempo não está para meias palavras, mas para se ser muito claro", disse o líder socialista perante uma plateia semi-cheia no pequeno Largo do Sertório, no centro da cidade alentejana. "Só há uma forma de mudarmos: é dar ao PS a vitória com maioria absoluta para que não haja a menor das dúvidas, a menor das desculpas, a menor da hesitações, de que a mudança é possível e vai ser feita com o Partido Socialista"

E acrescentou: "Estamos a decidir o futuro do país, não é o momento para andarmos a debater se quem ganha as eleições é quem tem mais votos ou mais deputados, evitemos discussões absolutamente inúteis e resolvamos o problema da unica forma clara e inequívoca de a resolver, que é dar ao PS mais votos e mais deputados para que ninguém discuta a vitória do Partido Socialista", repetiu.

"Façam todos como a senhora de cor-de-rosa"

Num outro recado que pode ser entendido como uma explicação da sua rejeição a votar o orçamento de um governo da coligação - uma certa confissão de derrota - afirmou também que "é absolutamente extraordinário que alguém possa pensar que o PS que se compromete com os portugueses a mudar de política, fosse o mesmo PS que se dispusesse a continuar a política que quer mudar".

"Nas próximas eleições, afirmou, não se trata de decidir se o próximo Primeiro-ministro se chama Passos Coelho ou António Costa, mas que caminho queremos para o país", disse ainda.

E numa nota de humor, apelou a que dentro de duas semanas, todos fizessem como "a senhora de cor-de-rosa", e votassem de modo a fazer o que lhe dizem na rua: "correr com eles, acabar com isto, porque é altura de uma mudança".

Antes de António Costa, falaram ainda os dois primeiros candidatos do PS pelo distrito, Capoulas Santos e Norberto Patinho.