46
Anterior
Clube da bancarrota: Espanha sobe para 8º lugar e Itália regressa ao 10º
Seguinte
Juros de Espanha à beira de 7%, de novo
Página Inicial   >  Economia  >  Dívida  >   Juros descem para a dívida portuguesa

Juros descem para a dívida portuguesa

Pela primeira vez desde o princípio de março de 2011, os juros das obrigações do Tesouro a dois anos fecharam abaixo de 6%. Os juros da dívida portuguesa desceram hoje em todos os prazos, enquanto os de Espanha voltaram às subidas. Madrid. de novo, perto dos 7% nos juros a 10 anos.
|

As yields das obrigações do Tesouro (OT) a dois anos fecharam hoje, pela primeira vez, no mercado secundário da dívida soberana, abaixo de 6%, desde o início de março de 2011 (antes do pedido de resgate pelo anterior governo em 6 de abril desse ano). Segundo dados da Bloomberg, as yields destas OT fecharam em 5,90%, depois de segunda-feira terem fechado em 6,645%. A yield é a taxa de rentabilidade anualizada que o investidor recebe por manter um título até ao seu vencimento; é vulgarmente designada por juros.

Este movimento significativo de descida insere-se numa baixa das yields em todas as maturidades das OT, mas que tem sido mais acentuado nos prazos mais curtos, depois das decisões da reunião de governadores do Banco Central Europeu (BCE) na semana passada anunciadas pelo seu presidente Mário Draghi.

As yields das OT a três anos fecharam hoje em 6,995%, pela primeira vez abaixo da barreira dos 7%, também desde início de março de 2011.  Nas OT a dez anos, as yields fecharam em 10,05%. Esta remuneração das OT a dez anos tem estado acima de 10% desde junho de 2011 no mercado secundário.

O prémio de risco da dívida portuguesa em relação à dívida alemã (medido pelo diferencial entre as yields dos títulos dos dois países a dez anos) desceu para 8,56 pontos percentuais.

Também as yields dos títulos irlandeses a dois anos desceram hoje para 3,06%, estando, de novo, abaixo das verificadas, no mesmo prazo, para os títulos italianos, que fecharam em 3,189%. A "guerra" de quem consegue ter melhores condições de financiamento, neste prazo mais curto, entre Irlanda e Itália prossegue.

Espanha regressa às subidas


Em flagrante contraste, as yields das obrigações espanholas (OE) subiram em todas as maturidades, e reaproximaram-se dos 7% no prazo a dez anos.  Depois de um movimento de baixa no dia 3 de agosto (no dia seguinte à reunião do BCE) e ontem (6 de agosto), as yields das OE voltaram às subidas, e com particular incidência nos prazos mais curtos, a dois e a três anos, que haviam sido os mais beneficiados nos dois dias anteriores de negociação.

O efeito positivo da promessa de Draghi em eventualmente reativar o programa de compra de títulos soberanos dos países aflitos (ainda por resgatar) nos prazos mais curtos no mercado secundário (programa conhecido pelo acrónimo em inglês SMP) esfumou-se hoje. As yields das OE a dois anos fecharam em 3,85% e as das OE a três anos em 4.76%. Ontem haviam fechado em 3,495% e 4,524% respetivamente.

Depois de ontem terem descido para 6,73%, as yields das OE a dez anos subiram hoje para 6,86%, ameaçando, de novo, com uma aproximação à linha vermelha dos 7%, de insustentabilidade da dívida soberana sem resgate ou reestruturação. Espanha, no entanto, só "testará" esse problema no mercado primário (de emissão de dívida pelo Tesouro Público) a partir de 6 de setembro. Entre 6 e 28 de setembro suceder-se-ão em Madrid uma série de leilões de dívida pelo Tesouro em vários prazos. O Tesouro espanhol terá de pagar 6,6 mil milhões de euros de dívida que vencem em 21 de setembro e 29,5 mil milhões que vencem em outubro.

O prémio de risco da dívida espanhola em relação à dívida alemã subiu hoje de novo, ficando em 5,38 pontos percentuais.

Também, as yields dos títulos do Tesouro italiano subiram nos prazos a dois, a três e a cinco anos, invertendo o sentido dos dois dias anteriores, mas desceram no prazo a dez anos, fechando abaixo dos 6%. Em virtude da descida das yields no prazo a dez anos, o prémio de risco da dívida italiana desceu para 4,49 pontos percentuais.

O mesmo movimento de subida das yields verificou-se nos títulos alemães (designados por Bunds) e franceses, apesar dos níveis muito baixos em que continuam. No prazo a dois anos, as yields dos Bunds continuam em valores negativos - fecharam hoje em -0,03%. Segundo alguns analistas, a subida das yields no caso dos Bunds e das obrigações francesas pode indicar a saída de investidores internacionais do mercado da dívida da União Europeia, mesmo em relação a valores refúgio como são considerados os Bunds.


Opinião


Multimédia

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 46 Comentar
ordenar por:
mais votados
Boas noticias para Portugal!
e boas noticias para o Povo Português:o País está a merecer a confiança perdida no tempo de Sócrates,a credibilidade interna e externa a serem recuperadas e a politica do novo Governo a mostrar que não mente ao Povo!
Re: Boas noticias para Portugal!
Re: Boas noticias para Portugal!
Re: Boas noticias para Portugal!
Re: Boas noticias para Portugal!
Re: Boas noticias para Portugal!
Já que
Já que alguém aqui escreveu sobre certificados de aforro devo acrescentarr que foi mais uma engenhoca do ingenhêro para sacar aos pobres. Por isso os certificados têm vindo e perder fortemente saldo porque as pessoas não são parvas. Esse tal ingenhêro ao domingo e sua pandilha destilavam massa cinzenta (se é que a tinham) para inventar coisas para gamar aos pobres. Desde carregá-los de impostos como nunca se viu e endividar o País a pontos de agora até os fundos de pensões e os subsídios de férias e natal dos reformados serem gamados. Dificilmente houve em Portugal maiores incompetentes e ladrões do que eles.
Estes sobe e desces só servem para entreter tolos
Esqueçam os mercados da divida , Portugal não tem como pagar a sua divida , quanto mais andar sempre sucessivamente a contraír nova divida num ciclo vicioso de divida a gerar sempre mais divida.

Portugal não cria riqueza suficiente , nem criará no futuro proximo para sustentar estas ídas ao mercado da divida , alem de que o proprio endividamento por si é tambem ele , um travão à criação de riqueza.

Estes sobe e desces nos mercados da divida em relação a Portugal , não passam de um ruído , de um entretem , que só serve para tapar os olhos a muitos portugueses que erradamente tirarão a conclusão que Portugal está no bom caminho , e é claro que isto principalmente interessa tambem é aos especuladores que quanto mais sobe e desces , mais ganham.

Porque , em sua sã consciência , quem vai emprestar dinheiro a Portugal ?
Os grandes fundos internacionais nunca mais voltarão , porque esses só voltariam se Portugal voltasse a ter um crescimento economico superior a 2% do PIB , o que não vai acontecer nos anos mais proximos , nem isso se antecipa num horizonte mais alargado.

Esta descida pontual , que é o que se trata , deve-se ao facto de Draghi ter dito que ía actuar nos mercados de curto prazo da divida , nomeadamente nas maturidades a dois e a três anos.

E isto é o que acontecerá a Portugal nos próximos anos , mesmo que pontualmente os juros venham para baixo , na grande maior parte das vezes andarão lá por cima.
juros-descem-para-a-divida-portuguesa
Já comentei esta noticia vezes sem conta. É claro que para todos aqueles que defendem este governo independente de ser bom ou mau, de aplicar medidas que prejudicam ou beneficiam o País e os portugueses, cada vez que a noticia é de que os juros baixam vêm logo salivar de jubilo, mas cada vez que é de subida, metem o rabo entre as pernas e nem aparecem. Tudo isto não é nem mais nem menos, para entreter o pagode. Não é por este governo tomar esta ou aquela medida que acontece. Vale mais uma palavra de Merkel, Chistine Lagarde e Mário Draghi além de outros do que o corte dos subsídios, a venda das jóias etc. etc.. Enquanto o povo não perceber isso vão continuar a proceder como a carneirada, julgado que são os sacrifícios que vão resolver o problema. Por mais que nos custe, se a economia não crescer, nunca mais conseguiremos sair da Cave e pagar a dívida. Não se vê com a situação da Europa, que tal possa vir a acontecer nos tempos mais próximos. Podemos mudar de governo e de primeiro ministro todos os meses, mas a situação permanecerá sem grande alteração.

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/06/o-euro-e-os-custos-de-financiamento.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/04/divida-privada-um-problema-para.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/03/o-que-e-o-bce.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/03/sabem-o-que-e-o-banco-americano-goldman.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/06/resgate-portugal-nao-era-necessario.html
Re: juros-descem-para-a-divida-portuguesa
Re: juros-descem-para-a-divida-portuguesa
É o sobe e desce. E as alternativas?.
A catastrofe que alastra pela Europa com o aumento da pobreza e miséria, andamos a comentar noticias previamente orientadasque só mantêm esta situação preversa e a nada conduzem. Seria muito mais importante o debate de alternativas a este estado de coisas e não insistirmos no ridículo de manter o sistema de ditadura dos mercados defendida por politicos ao serviço de interessesque nada têm a ver com os cidadãos, mas sim com interesses transnacionais, para além dos deles próprios,que dominam a actividade economica e os meios de comunicação social. São predadores implacáveis e as presas são os cidadãos incautos. Subtraiem às populções para adicionar à Banca, perante a passividade dos inocentes. E o mais preocupante não é a acção dos maus, mas o silêncio dos bons. Assiste-se ao desmantelamento, dissolução, desintegração, e destruição das identidades nacionais e da própia civilização, únicamente por razões ideológicas ultra liberais. Assiste-se por outro lado ao definhamento da Cultura com o advento deste sistema. Está a ser corroida de forma larvar os fundamentos da Democracia, transformada em inimiga do povo e não como um poder dele emanado. Portanto é urgente resistir a este pensamento únicoque nosquerem impôr. Mas a primeira condição para modificar a realidade consiste em conhecê-la, bem como às possiveis alternativas. Mas é dificil, dado o assalto feito à comunicação social. Instalou-se em Portugal uma estranha Democracia, onde uma minoria tudo recebe e o povo tudo paga.

Sócrates mentia e Louçã ajudou-o
Re: Sócrates mentia e Louçã ajudou-o
Re: É o sobe e desce. E as alternativas?.
Re: É o sobe e desce. E as alternativas?.
Re: É o sobe e desce. E as alternativas?.
A alternativa é este Governo de Passos Coelho!
Re: A alternativa é este Governo de Passos Coelho!
Lá foram corridos e cá?.....
youtu.be/QYp3-RV9Ias
Re: Lá foram corridos e cá?.....
Quanto mais pedirmos, mais temos de pagar, + juros
Eis um bom sintoma: os juros da dívida portuguesa a baixarem.

Mas atenção: quanto mais devermos, mais temos de pagar, mesmo com juros baixos.

Prioridade: acabar com os pedidos de dinheiro ao estrangeiro.
Prioridade:levar Sócrates a Tribunal
Re: Prioridade:levar Sócrates a Tribunal
Re: Prioridade:levar Sócrates a Tribunal
Re: Prioridade:levar Sócrates a Tribunal
PAÍS GOVERNADO POR UM BANDO DE LADRÕES !!!

...os subsídios roubados a todos os reformados, devem ser devolvidos com juros e os ladrões do governo devem ser presos, como traidores e ladrões do povo !!! Os descontos dos reformados são intocáveis e inalienáveis, pois trabalharam toda uma vida e confiaram no Estado como FIEL DEPOSITÁRIO e não para serem roubados. O Estado serviu-se sempre desse dinheiro, aplicando-o em "casinos" sem nunca ter perguntado aos reformados se o deviam fazer ! Este (des)governo é corrupto, aplicando assaltos a quem trabalhou e mantendo mordomias a quem ganha milhares de euros...como é o caso de subsídios mensais de 16.000 euros em subsídios de alojamento !!! Portugal e principalmente este Governo são um nojo, pois usurparam o poder mentindo ao povo e ás...crianças e precisando de se juntar a outra seita para terem "maioria" na casa dos ladrões !!! E para a pouca vergonha ser complecta, a seguir aos assaltos / roubos / confiscos, vão de férias !!! o INQUILINO DE BELÉM, que não paga renda, não ganha para as despesas e é alimentado pelo povo, não muge nem tuge, pois pertence á mesma seita e assim sendo também vai a banhos... Entretanto, aumentam-se e promovem-se os MILITARES para que não aconteça nada de...SURPRESAS !!!
Para os fanáticos da austeridade
Journal financier la tribune du 01/08/2012

La Grèce n'a encore rien coûté à l'Allemagne
Avec 60 milliards d'euros économisés grâce aux emprunts à des taux négatifs, l'aide à la Grèce n'aurait encore rien coûté aux allemands. Le quotidien conservateur allemand Bild, connu pour ses violentes prises de position, notamment contre la Grèce, reconnait que l'Allemagne sort gagnante de la crise de l'euro.

NÃO PERCEBO
Os juros ainda nos 6% e os certificados de aforro à mingua. Criticou-se e BEM, o governo socrista (socrático é demasiado pomposo para ser utilizado aqui) por ter levado os certificados de aforro para a rua da amargura, no que se refere a juros, o que contribuiu para milhões de resgates.
Ora se, mesmo tendo descido, os juros ainda estão à volta dos 6%, porque é que não se aumenta a remuneração dos certificados de aforro, e, o que os portugueses lá colocarem, é sem dúvida uma ajuda para diminuir o pagamento de juros a outros países. Ou será que a banca nacional anda a viver dos juros que recebe da dívida portuguesa que vai comprando (por isso é que não empresta dinheiro a ninguém) e por isso o governo lhe faz o favor de não deixar os aforristas ganhar nenhum????
Re: NÃO PERCEBO
Re: NÃO PERCEBO
Re: NÃO PERCEBO
As yields ?O que é isso ? Uma Girls Band?
"As yields das obrigações do Tesouro (OT) a dois anos fecharam hoje, pela primeira vez, no mercado secundário da dívida soberana, abaixo de 6%, "
O yen e o yuen se é q estou a escrever bem , são as moedas do Japão e da China ,...AGORA YELDS DEVE SER COISAS do fMi da fufo francofona e da barata tonta ,
ò J N Rodrigues EXPLIQUE EXPRESSAMENTE ao Cidadão comum O que é que se passa ,
Torne-se um comunicador e escreva menos mas melhor entendivel, Não é para mim é para os outros , bons Portugueses, e alguns bons Portugueses q nos visitam nesta época , e que chegam aqui envenenados pela imprensa dominante Europeia ,...Quanto a prosa você até tem jeito ,LIBERALISTA me parece ás vezes

Ler mais: expresso.sapo.pt/juros-descem-para-a-divida-portuguesa=f745446#ixzz22tG2RGXL
Re: As yields ?O que é isso ? Uma Girls Band?
Re: As yields ?O que é isso ? Uma Girls Band?
Re: As yields ?O que é isso ? Uma Girls Band?
Amigo J Nascimento Rodrigues já me doiem os dedos
Tenho impressão de " to yeld" quer dizer forçar alguém a endividar-se ou assumir compromissos em troca de receber benefícios usurários , será? estorquir a a curto médio longo prazo
Agradeço responda ou então falo c/ o Balsemão ,...OK?
Re: Amigo J Nascimento Rodrigues já me doiem os de
Re: Amigo J Nascimento Rodrigues já me doiem os de
Re: Amigo J Nascimento Rodrigues já me doiem os de
um dia e tal depois o expresso lá falou da descida
dos juros em todos os prazos da divida portuguesa... isto é que é jornalismo de referência...
mas para "inventarem" estórias com fontes que violam todos os códigos do jornalismo, isso é na hora, quando "envolve" alguém do governo...veja-se a noticia de ontem da "vizinha" do PM que "fora assaltada" e que a fonte da noticia é "um popular que ouviu os seguranças do PM a conversarem com ele"...ESPETACULAR!
Isto está pelas horas da amargura...
PS.:Obrigado por terem publicado esta noticia da descida dos juros, depois de vos ter alertado no editorial para o lapso! até eu já sou uma vossa fonte! LoL
Re: um dia e tal depois o expresso lá falou da des
Re: um dia e tal depois o expresso lá falou da des
Re: um dia e tal depois o expresso lá falou da des
Re: um dia e tal depois o expresso lá falou da des
Re: um dia e tal depois o expresso lá falou da des
Comentários 46 Comentar

Últimas


Pub