24 de abril de 2014 às 17:08
Página Inicial  ⁄  Atualidade / Arquivo   ⁄  Jornais chineses criticam ativista cego

Jornais chineses criticam ativista cego

Enquanto as autoridades locais dizem que Chen Guangcheng poderá candidatar-se a estudar no estrangeiro, os jornais chineses quebram hoje o silêncio sobre o assunto. 
Alexandre Costa (www.expresso.pt)com agências
Jornais chineses criticam ativista cego  Reuters

O ativista cego Chen Guangcheng é hoje descrito num editorial do "Beijing Times" como "uma arma dos Estados Unidos", considerando que está a ser manipulado numa ação de chantagem contra a China.

Após terem durante dias ignorado o assunto do ativista chinês que fugiu da prisão domiciliária e esteve seis dias refugiado na embaixada dos Estados Unidos em Pequim, diversos jornais chineses de língua inglesa quebraram hoje o silêncio, lançando severas criticas à atuação de Chen Guangcheng e dos Estados Unidos.

Entre diversas acusações, "The Beijing Youth Daily" refere que ao tê-lo recebido durante seis dias, a embaixada norte-americana em Pequim "violou normas e a elementar ética diplomática".

Os artigos surgem após os responsáveis chineses terem respondido às pretensões de Chen Guangcheng, declarando que ele se poderá candidatar a estudar no estrangeiro como qualquer cidadão chinês.

"Se ele pretender estudar no estrangeiro terá, como os outros cidadãos chineses, de apresentar um pedido junto das autoridades competentes, de acordo com a lei", declarou o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, Liu Wei Min, citado numa nota divulgada no portal do ministério.

Chen falou em direto para o Congresso dos EUA 


Entretanto, o ativista chinês Chen Guangcheng apelou ontem ao Congresso dos Estados Unidos para que a secretária de Estado Hillary Clinton, que se encontra em visita oficial à China, o ajude a ir para a América, noticia a AFP.

Chen Guangcheng falou ao telefone, a partir do hospital de Pequim onde se encontra, para o congresso norte-americano. "Quero encontrar-me com a secretária Clinton. Espero conseguir mais ajuda da parte dela", declarou na chamada efetuada para o congressista Chris Smith, transmitida ao vivo no sistema de som da comissão do Congresso para os Direitos Humanos na China.

Chen Guangcheng disse que pretendia "garantir a sua liberdade de viajar", porque queria "ir para os Estados Unidos durante algum tempo para descansar", conforme a tradução feita por um amigo e apoiante, Bob Fu.

Comentários 4 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
CEGO COM VISÃO ESTRATÉGICA
A história do dissidente chinês Chen Guangcheng é longa e comovente, mas também é uma tremenda dor de cabeça para Obama.

Dissidente, cego e advogado autodidacta, em campanha contra abortos forçados e esterilizações, está na linha da frente na resistência à política de filho único no país de partido único.

Guangcheng também é um campeão na defesa dos deficientes e batalha em geral contra abusos, arbítrio e corrupção.

Mas Guangcheng também nfligiu a humilhação suprema ao regime, quando um cego conseguiu fugir da prisão domiciliar e se refugiou na embaixada dos EUA em Pequim.

A verdade é q Guangcheng criou um facto consumado e Obama faz o q pode para lidar com o embaraço.

Torna-se cada vez mais difícil conciliar pragmatismo e princípios. A China é um país cada vez mais importante e espera ser tratada com respeito, enquanto desrespeita cidadãos como Guangcheng.

Além de detestar interferências nas questões internas.

Os EUA têm com a China numa relação de cooperação e competição, seja em economia, geopolítica, em crises como as do Irão, Síria e Coreia do Norte.

Há a acrescentar na China, uma transição de poder no final do ano, bem menos amena do que se pensava.

Assim, a “linha dura” pode criar resistência às concessões aos americanos no caso de Guangcheng.

Qualquer q venha a ser o desfecho deste caso, não deixa de ser curioso q seja um dissidente cego a desafiar a visão estratégica dos EUA e da China
Re: CEGO COM VISÃO ESTRATÉGICA Ver comentário
Inacreditável...

é que Chen Guangcheng ainda esteja vivo!
Críticas negras.
O activista cego quando ler nos jornais as críticas que lhe foram dirigidas apenas poderá dizer que estas são negras.
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub