24 de abril de 2014 às 8:49
Página Inicial  ⁄  Desporto  ⁄  Jesualdo Ferreira elogia atitude dos "dragões" frente à Académica

Jesualdo Ferreira elogia atitude dos "dragões" frente à Académica

Jesualdo Ferreira admitiu que o FC Porto fez um jogo menos conseguido frente à Académica, mas enalteceu a "atitude" dos jogadores. Bruno Alves pediu desculpa aos adeptos pelo jogo com o Arsenal.
Lusa
Jesualdo Ferreira elogiou a atitude da sua equipa Marcos Borga/Reuters Jesualdo Ferreira elogiou a atitude da sua equipa
O treinador do FC Porto admitiu hoje que os "dragões" fizeram um jogo menos conseguido frente à Académica, mas enalteceu a "atitude" e "empenho" dos seus jogadores, numa vitória que vai trazer "vantagens" aos portistas. 

"Hoje o Porto precisava de ganhar este jogo. Não fizemos um bom jogo, mas fizemos um jogo de grande atitude e empenho. Esta vitória vai trazer vantagens, porque dá-nos uma semana para trabalhar com calma", disse Jesualdo Ferreira, em declarações à SportTv, após o triunfo (2-1) sobre os "estudantes".

Após a goleada sofrida com o Arsenal (5-0), para a Liga dos Campeões, os portistas regressaram às vitórias, embora com uma exibição fraca, que, segundo o técnico, ficou a dever-se à "ansiedade" que se apoderou dos jogadores.

Jesualdo Ferreira mostrou-se seguro que a equipa voltará "a jogar bem" e deixou ainda críticas à equipa da Académica, acusando os "estudantes" de anti-jogo. 

"Equipa muito fechada, com muita agressividade. Houve muitas paragens. Não pode haver tantas paragens. Depois de marcarmos o golo, mais ninguém caiu. Não é benéfico para o nosso futebol", adiantou. 

Já o "capitão" Bruno Alves, autor do primeiro golo dos tetracampeões nacionais, elogiou o "bom jogo" dos portistas, frente a uma equipa "bem organizada", antes de "pedir desculpa aos adeptos pelo resultado do jogo com o Arsenal". 

*** Este texto foi escrito ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico ***

Nota da Direcção do Expresso

O Expresso apoia e vai adoptar o novo Acordo Ortográfico. Do nosso ponto de vista, as novas normas não afectam - antes contribuem - para a clarificação da língua portuguesa.

Por outro lado, não consideramos a ideia de que a ortografia afecta a fonética, mas sim o contrário. O facto de a partir de 1911 a palavra phleugma se passar a escrever fleugma e, já depois, fleuma não trouxe alterações ao modo como é pronunciada. Assim como pharmacia ou philosophia.

O facto de a agência Lusa adoptar o Acordo Ortográfico, enquanto o Expresso, por razões técnicas (correctores e programas informáticos de edição) ainda não o fez, leva a que neste sítio na Internet coexistam as ortografias pré-acordo e pós-acordo.

Pedimos, pois, a compreensão dos nossos leitores.

Comentários 0 Comentar
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub