12
Anterior
Trânsito congestionado na rotunda externa do Marquês de Pombal
Seguinte
Nervos, filas extensas e falta de informação na rotunda do Marquês
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >  Ira islâmica sem fim à vista

Ira islâmica sem fim à vista

Manifestações contra filme norte-americano sobre a vida de Maomé terminam em confrontos com a polícia na Indonésia e Paquistão, onde morreu um manifestante.

Manifestantes envolvem-se em confrontos com a polícia em Jacarta, capital da Indonésia
Manifestantes envolvem-se em confrontos com a polícia em Jacarta, capital da Indonésia / Beawiharta/Reuters

Um manifestante morreu hoje no noroeste do Paquistão em confrontos com a polícia na sequência de um protesto contra o filme norte-americano sobre a vida de Maomé considerado ofensivo para o islão, indicaram fontes da polícia.       

Outros dois manifestantes ficaram feridos nos confrontos que ocorreram em Warai, distrito de Upper Dir, província de Khyber Pakhtunkhwa, indicaram dois responsáveis locais da polícia.

Cerca de 800 manifestantes também incendiaram uma esquadra da polícia, indicaram estes responsáveis.

Mas a ira do mundo árabe provocada pelo polémico filme não se ficou por aqui. Em Jacarta, capital da Indonésia, registaram-se hoje pela primeira vez confrontos entre a polícia e cerca de 700 manifestantes à frente da embaixada norte-americana.

Os manifestantes lançavam "cocktails Molotov" e gritavam palavras de ordem anti-norte-americanas enquanto a polícia respondia com canhões de água e tiros para o ar para dispersar os manifestantes, referiu a polícia.

Polícia debaixo de fogo


Cabul, capital do Afeganistão, também viveu uma manhã agitada. Mais de mil pessoas incendiaram carros e gritaram palavras de ordem como "Morte à América" na estrada 'Jalalabad', a  caminho das bases militares da NATO e do exército americano no leste da cidade, com dois carros da polícia entre os veículos incendiados, disse à AFP o chefe da polícia Mohammad Ayoub Salangi.

Homens armados entre a multidão dispararam sobre a polícia, sem que ninguém ficasse ferido. "Não disparámos em retaliação nem vamos fazê-lo", disse Salangi.

Um fotógrafo da AFP descreveu o fumo proveniente de pneus incendiados e relatou o lançamento de pedras para a estrada enquanto os lojistas fechavam os estabelecimentos e fugiam.


Opinião


Multimédia

Quase ninguém ficou em casa

Foi num 25 de Abril como o deste sábado, mas há 40 anos e numa liberdade então recentemente tomada: a 25 de Abril de 1975, Portugal testemunhou as primeiras eleições livres e universais após quase meio século de ditadura. Estas são as histórias, os retratos, os apelos e as memórias de um tempo que mudou o rosto do país.

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

26 mil esferográficas, 14 mil urnas e 760 quilos de lacre. Os números de uma eleição histórica

Mais de mil caixas de lacre foram usadas pelas secções de voto que por todo o país, no dia 25 de abril de 1975, recolheram os boletins de milhões de eleitores. O Expresso percorreu os quatro mapas de despesas das eleições para a Assembleia Constituinte, elaborados pelo STAP, para saber quanto dinheiro esteve envolvido, onde e como foi gasto. Cada valor em escudos foi convertido para euros a preços correntes, tendo em conta a inflação. 

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.


Comentários 12 Comentar
ordenar por:
mais votados
NÃO É UM PORMENOR
“Como pode ter acontecido isto num país que ajudámos a libertar, na cidade que ajudámos a salvar?”

É uma perplexidade no mínimo, inocente. Hillary quer saber por que os terroristas não são seres gratos e justos.

Logo mataram o embaixador Jay C. Stevens q negociou pessoalmente com os terroristas de Benghazi toda a ajuda dos EUA aos revoltosos, contra o carniceiro Kadafi.

Se toda a ditadura é execrável, nem toda a força que se lhe opõe é virtuosa. Para o ser teria de ser democrática. Caso contrário será a troca de uma ditadura por outra, eventualmente bem pior.

  Sem eleição, é certo, o q se tem é ditadura. Não bastam eleições para q um regime seja democrático, como comprova o islamofascismo do Irão.

  A democracia precisa ser desejada e isso, entre outras coisas, passa implicitamente pela liberdade de expressão, particularmente a das minorias. Considerou-se erradamente q o ódio profundo ao Ocidente, encoberto pelo ódio ao ditador, interessa à democracia e à paz.

No mundo árabe, floresce uma opinião pública mais afinada com os valores das democracias ocidentais?

A resposta não é animadora. Infelizmente, o espírito q anima os levantes não é a adesão a estes valores. Ao contrário, a somar ao ódio violentamente anti-ocidental, o q se fortalece nesses países é um totalitarismo religioso, q a pretexto de um filme sai enlouquecido disseminando o terror.

  No dia 11/9 o q não é um pormenor. Muito menos um acaso.
Não bastam eleições para q um regime seja democrát
Re: Não bastam eleições para q um regime seja demo
ISTO É COMUNISMO?
ESTES ALÁS DEVIAM ERA TER JUIZO E USAR A CABEÇA!
Os deuses e profetas não são intocáveis! Quem não acredita neles podem emitir comentários sobre os mesmos e logicamente não são positivos!
Para não irmos mais longe, os nuestros irmanos utilizam a torto e direito a expressão " me cago en diós ostia puta" e nem por isso deixam de ser católicos, e ninguém lhes vai dar vergastadas, ou pior! Deuses valem o que valem, e basta um sopro de inteligência para os por a milhas!
Islão, uma religião do passado e da escuridão
Este é o resultado dos líderes religiosos manobrarem os desgraçados fieis, que neles acreditam cegamente.

O Islão está tão atrasado que até mete dó.

Como é possível que uma religião, quase tão antiga como o Cristianismo, ser tão retrógrada, tão obscura?

Pelo facto de haver um filme indecente(?), já se põe a disparar para a esquerda e para a direita?

Nem as Cruzadas actuavam assim!
O fanatismo de mãos dadas.
Ou apenas um pretexto para se manifestarem contra os americanos e a sua política de expansionismo.
O Islão.
O que se está a manifestar por esses países fora, já não é a religião. E qualquer um com dois dedos de testa sabe isso.
O que se está a manifestar é a IGNORÂNCIA acirrada por uma religiosidade primária e castradora. Já tivémos disso na nossa Idade Média. As Cruzadas, a Santa Iquisição(?), a perseguição aos "outros". Agora são eles que estão a atravessar essa fase. É preciso ver que estão cerca de 500 anos atrasados. Em TUDO !
Têm é inveja
Estes bacanos têm é carradas de inveja. Não lhes basta andarem a assaltar os países árabes para roubar o petróleo e o gás, como é o caso da Líbia e do Irão. Agora também têm inveja de Maomé que casou com pelo menos uma dúzia de viúvas cheias de papel. Mas mais ainda, têm inveja de Maomé já com 54 anos casou com uma fogosa árabe de 9 anos, Aisha, nos braços da qual viria a morrer por esgotamento nove anos depois. Além das várias escravas e concubinas que tinha de servir. Querem vida mais feliz que esta?...
pois !!!
Folgo em ver que a provocação conseguiu ter efeitos e mostra de facto o obscurantismo que reina nestes paises islamicos !!! incendiários dispostos a morrer e a matar !!!
ALUHA ACKBAR
ó param de queimar o coirão ó vai tudo cus porcos
Ora façam funcionar o vosso cerebro!
Imaginem que Portugal incomodava outros paises, ou que possuia riquezas cobiçaveis. Alguem realizava um " filmezeco " que distribuiria pelas redes da Internet. Nesse filme Cristo era apresentado como um burro ( de 4 patas ), ver-se-ia a Virgem Maria a "fazer passes" ( prostituindo-se ), os principais santos cristão violando suas mães e irmãs, matando para roubarem, fazendo-se sodomisar publicamente, etc.
Perguntamos: como reagiriam os Portugueses? E os restantes cristãos do Planeta, ficariam indiferentes?
Menos mà-lingua nacional e mais ponderação!!!
Se tal fosse habito, em Portugal, não nos encontrariamos na penivel situação financeira, onde TODOS nos atiraram!!!
Comentários 12 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub