Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

União dos Estudantes Judeus e SOS Racismo apresentam queixa contra 10 candidatos da Frente Nacional em França

  • 333

Dez candidatos autárquicos do partido de extrema direita, liderado por Marine Le Pen, são acusados de "incitação pública ao ódio e difamação racial".

A cerca de duas semanas do arranque das eleições autárquicas em França é o tudo por tudo dos candidatos no final da campanha, enquanto os partidos de esquerda tremem com um possível bom resultado da Frente Nacional (FN), depois da vitória nas eleições europeias em maio do ano passado. Entretanto, a União dos Estudantes Judeus de França (UEJF) e a Associação SOS Racismo apresentaram na quarta-feira uma queixa contra 10 candidatos da FN, por alegados comentários racistas ou anti-semitas.

Os dois orgãos acusam esses candidatos do partido de extrema direita liderado por Marine le Pen dos crimes de "incitação pública ao ódio e difamação racial", segundo o jornal francês "Libération."



A UEJF e a Associação SOS Racismo dizem ter recolhido centenas de comentários, sobretudo no Facebook, que se referem a muçulmanos e judeus. E cita alguns, como exemplo: Thierry Kern, o candidato da FN à autarquia de Brunstatt, na Alsácia escreveu um comentário no Facebook a dizer "esses malditos muçulmanos, precisamos de livrar-nos deles". "Os bancos dirigem o mundo, os judeus lideram os bancos... Os judeus vêem-se com permissão para assassinar", escreveu por seu turno Jérémy Ayckart, candidato da FN em Limoges, Haute-Vienne.

Os dois órgãos condenam tais declarações, defendendo que é preciso mostrar aos eleitores os ideais racistas que defendem. "É uma questão importante porque Marine Le Pen está a querer transformar as eleições locais em eleições nacionais. Cabe-nos a nós mostrar que existem pessoas entre os seus candidatos abertamente racistas e anti-semitas", afirmou Sacha Reingewirtz, presidente da UEJ.

"A suposta dita respeitabilidade de Marine le Pen é só fachada. A prova: estas acusações [de comentários racistas ou anti-semitas] que fazemos a Frente Nacional não apaga, assim que a imprensa falar sobre o assunto", disse por seu turno Dominique Sopo, presidente da SOS Racismo.



Alegadas irregularidades financeiras na FT


Entretanto, o Parlamento Europeu anunciou na segunda-feira ter pedido ao Serviço Europeu de Luta Antifraude para analisar alegadas irregularidades financeiras na sequência da denúncia de salários pagos a 20 assistentes de eurodeputados da FN que não desempenhavam qualquer cargo no organismo.



A líder da Frente Nacional, Marine le Pen, anunciou também, entretanto, na sua conta no Twitter que tinha apresentado uma queixa junto do Conselho Superior de Audiovisual contra um jornalista da France 2, Michel Mompontet. Em causa, alega Le Pen, estão "múltiplas asneiras" e "derrapagens" do jornalista, que fala em "racismo e desprezo de classe social."

Na semana passada, o primeiro-ministro francês, Manuel Valls,  alertou para o "imenso perigo" da Frente Nacional se tornar no primeiro partido de França.

"O perigo é imenso. Todos sabem isso, contudo, verifica-se um quase adormecimento generalizado. É importante que as pessoas não esqueçam que os departamentos [autarquias] são um símbolo francês", declarou Manuel Valls durante um ato de campanha eleitoral em Limoges, apelando aos votos nos candidatos socialistas.

As eleições autárquicas em França vão decorrer entre os próximos dias 22 e 29 de março.