Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tunísia. Dia da segunda volta das primeiras presidenciais livres

Quase 5,3 milhões de eleitores chamados a votar. O favorito: Béji Caïd Essebsi, líder do partido laico Nidaa Tounès

Yassine Gaidi/Anadolu Agency/Getty Images

Este domingo escolhe-se entre Essebsi, de 88 anos, e o cessante Marzouki, 69 anos, ex-exilado. Eleições encerram o ciclo de transição política iniciado com a revolução 2011, que depôs Ben Ali depois de 23 anos no poder.

A Tunísia realiza hoje a segunda volta das eleições presidenciais, com o líder do partido laico Nidaa Tounès, Béji Caïd Essebsi, como favorito face ao presidente cessante Moncef Marzouki.

Quase 5,3 milhões de eleitores são chamados a votar para escolher entre Essebsi, que obteve 39,46% dos votos na primeira volta, realizada a 23 de novembro, e Marzouki, que alcançou 33,43% dos votos.

É a primeira vez, desde a independência, em 1956, que os tunisinos escolhem livremente o presidente do país.

A vitória na primeira volta de Essebsi, 88 anos, consolidou os resultados obtidos nas legislativas de 26 de outubro pelo seu partido laico Nidaa Tounès, uma coligação heterogénea de militantes de esquerda, sindicalistas, empresários e antigos membros do regime, unidos pela oposição aos islamitas do partido Ennahda.

Essebsi disputa a presidência com o presidente cessante, o histórico opositor Moncef Marzouki, 69 anos, que viveu anos no exílio em França e, regressado à Tunísia após a revolução de 2011, foi eleito presidente interino pela Assembleia Constituinte.

Estas eleições encerram o ciclo de transição política iniciado com a revolução de 2011 que depôs Zine el Abidine Ben Ali, que estava no poder há 23 anos.