Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tribunal Japonês autoriza a reabertura de dois reatores nucleares

  • 333

No sul do Japão, habitantes locais receiam a reabertura de dois reatores nucleares, decisão que já foi anunciada por um tribunal do país. Desde a crise nuclear de Fukushima, em 2011, que todos os reatores comerciais estavam desativados.  

O tribunal de Kagoshima, no sul do Japão, rejeitou uma injunção avançada por habitantes locais que se opunham ao reinício de atividade de dois reatores nucleares e deu luz verde à reabertura dos mesmos já para este verão.

A decisão favorável do tribunal, relativamente ao funcionamento dos reatores nº1 e nº2, da central nuclear de Sendai foi recebida com alívio, tanto pelo setor de energia, como pelo primeiro-ministro, Shinzo Abe, e pelo seu executivo.

Estes reatores deverão ser os primeiros a ser relançados após terem obtido em julho de 2014, sob o novo regulamento imposto após o desastre nuclear de 2011, o certificado de segurança técnica, emitido pela autoridade de regulação nuclear. Na altura do incidente, todos os 48 reatores do país foram encerrados.

O tribunal considerou que as novas medidas de segurança propostas são adequadas e suficientes. Kyushu Electric Power Co, a empresa responsável pela empreitada, deverá inaugurar os reatores já em julho.

O governador de Kagoshima, apesar da resistência de alguns habitantes locais, aprovou a reabertura dos reatores no passado mês de novembro. Adicionalmente, membros do poder local de Satsumasendai, a cidade em que se encontra a central nuclear, votaram também a favor do reinício de atividade de Sendai.

A autoridade de regulação nuclear japonesa sublinha que o país aprendeu com o desastre de Fukushima e que os reatores estão em conformidade com novas e estritas medidas de segurança. O incidente nuclear de 2011 aconteceu após um devastador terramoto e tsunami. Os opositores da reabertura da central de Sendai afirmam estar particularmente preocupados com a atividade vulcânica que afeta o território.