Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trezentos civis raptados por rebeldes islâmicos

  • 333

Civis viajavam de autocarro entre Afrin e Damasco, na Síria. Não é o primeiro rapto com estes traços.

Viajavam em cinco autocarros os 300 curdos que foram raptados esta segunda-feira por rebeldes islâmicos. Os civis faziam o percurso entre Afrin, uma zona curda, e Damasco, a capital da Síria, quando foram interceptados por um grupo de rebeldes islâmicos.

Esta são informações confirmadas às agências internacionais pelo porta-voz do Partido Curdo da União Democrática, Nauaf Jalil. Ao jornal espanhol "El País", Jalil disse que ainda não é conhecida a identidade dos homens armados, mas tudo aponta para que sejam militantes do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) ou membros da Frente al Nusra, um grupo sírio com ligações à Al-Qaeda. O ataque ainda não foi reivindicado. 

Este não é o primeiro rapto com estes traços. No ano passado, 150 estudantes curdos foram raptados pelo Daesh quando regressavam a casa, em Kobane, depois de terem estado em Alepo a realizar exames. Os jovens acabaram por ser libertados, mais tarde. 

Na Síria, cerca de 9% da população é curda e vive sobretudo nas regiões de Afrin e Ain al Arab, em Alepo, no norte da Síria.